Publicidade

Publicidade

Arquivo de julho, 2009

19/07/2009 - 12:27

O 'segredo' do sucesso da Top Race: gastar pouco

Compartilhe: Twitter

A crise econômica mundial deixou o automobilismo de joelhos e causou transtornos em muitos lugares do mundo, até mesmo em países com moeda forte. Com uma economia que não é muito sólida, a Argentina também passa por problemas e faz esforços para conter o avanço da crise. Por isso, é de surpreender ver uma categoria do país sul-americano, a Top Race V6, ultrapassar barreiras, fazer sua primeira viagem internacional e trazer um campeão mundial de F1, Jacques Villeneuve. De acordo com Alejandro Urtubey, presidente da categoria argentina, não há muito segredo para sobreviver em meio aos contratempos econômicos. A solução encontrada é a mais simples possível: levar qualidade às pistas, mas gastando pouco.

“O Top Race nasceu em 2004 com um conceito distinto daquele que temos no automobilismo na Argentina. Foi a criação de uma categoria puro-sangue, que atende às expectativas do público que é amante do automobilismo, mas tem um baixo custo”, afirmou o dirigente. A Top Race alinhou 39 carros no grid em São Paulo e tem a participação de cinco montadoras: Mercedes, Ford, Chevrolet, Peugeot e Volkswagen.

BloGP apurou que, na Argentina, as equipes gastam cerca de R$ 20 mil para correr em cada etapa. Mas a prova do Brasil foi especial. A organização da Top Race V6 bancou todas as despesas dos times, com passagens aéreas, ônibus para trazer mecânicos, engenheiros e demais integrantes, translados e hotel cinco estrelas para os pilotos. Assim, assegurou a festa da categoria no autódromo de Interlagos.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , , , , ,
19/07/2009 - 12:24

Gripe A não afastará Truck da Argentina, garante Neusa

Compartilhe: Twitter

A Argentina é um dos países mais afetados pela gripe A – com 137 mortes causadas pelo vírus, é o lugar com o segundo maior número de vítimas fatais, perdendo apenas para os EUA (211), de acordo com relatórios oficiais. Para não ter de desfazer o acordo para a vinda da Top Race V6 para o Brasil, a F-Truck tomou todas as providências com o Ministério da Saúde e outras autoridades para garantir a presença da delegação argentina em São Paulo. Mas esse acerto tem duas mãos, já que a categoria brasileira também vai visitar os “hermanos”, em Buenos Aires, em setembro. Com a epidemia da doença na Argentina, questionou-se a viabilidade da prova. Algo que a presidente da Truck, Neusa Navarro Félix, rechaçou.

“Com certeza, a corrida vai acontecer, sim. Nós tivemos todos os cuidados com a vinda deles para cá. Consultamos todas as autoridades de Saúde. A nossa ida para lá só vai deixar de acontecer se for por uma impossibilidade, caso não possamos entrar lá ou sair daqui, o que acho difícil de acontecer. Até setembro, tudo deve estar resolvido”, afirmou Neusa.

A segurança da dirigente é tanta que nem há um projeto paralelo à prova de Buenos Aires no caso de ter de cancelar a etapa argentina. Não existe plano B. O plano A tem de acontecer. Com certeza, iremos para lá”, falou Félix, garantindo um sonho de seu falecido marido, Aurélio Batista Félix, de ultrapassar as fronteiras com a F-Truck.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F-Truck, Top Race V6 Tags: , , ,
19/07/2009 - 11:26

Treino é treino, corrida é corrida

Compartilhe: Twitter

Já dizia Didi, não o Mocó, mas o falecido jogador, bicampeão mundial pela Seleção Brasileira de futebol: “Treino é treino, jogo é jogo”. No automobilismo, também. Treino é treino, corrida é corrida. O clima no autódromo de Interlagos para as etapas da F-Truck e Top Race V6 neste domingo é bem diferente do que sexta e sábado. O agito no pit-lane é mais intenso. Pessoas indo e vindo para lá e para cá, maior agitação de torcedores nos boxes, aquela festa.

Na sala de imprensa, uma mudança é clara. Temos comida aqui! Sim, porque nos dias de treinos, só havia água e mais nada. Mas a organização providenciou quitutes para hoje. Fome, nunca mais.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F-Truck, Top Race V6 Tags: , , , ,
19/07/2009 - 08:50

Locutor pede para Cacá vingar Brasil pela Libertadores

Compartilhe: Twitter

Ao chegar em Interlagos, já deu para ouvir uma pérola. O locutor do autódromo estava fazendo o aquecimento para a primeira bateria rápida da Top Race V6 e, ao falar do Cacá Bueno, que participa dessa série, lançou: “Vamos ver se nós conseguimos vingar a derrota da Libertadores” (o Estudiantes venceu o Cruzeiro por 2 a 1 no Mineirão na última quarta e conquistou o título da Libertadores).

Até que demorou para aparecer a primeira provocação. Não houve até agora nenhuma discussão acalorada sobre quem é melhor, Pelé ou Maradona.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , , , , ,
18/07/2009 - 17:25

A comemoração, digamos, efusiva pela pole

Compartilhe: Twitter

Wellington Cirino partia para sua tentativa de marcar a pole-position da etapa de São Paulo da F-Truck. Como ele havia sido o primeiro colocado da fase classificatória, que conta com intermináveis 90 minutos (para uma partida de futebol, vale, mas para uma fase classificatória de um treino de automobilismo?). Roberval Andrade tinha de torcer pela insucesso do adversário.

E aí, Cirino foi para a pista, tentou ao máximo superar a volta de Roberval, usou as zebras e tudo mais. Mas não teve felicidade ao cruzar a linha de chegada. Terceiro melhor tempo, também atrás de Felipe Giaffone. Foi quando se ouviu um alto e sonoro grito através do microfone do locutor da Truck em Interlagos: “Chuuuuuupa!”.

É óbvio que a pessoa que gritou isso estava torcendo fervorosamente para o Roberval, que garantiu a pole.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F-Truck Tags: , , , , , ,
18/07/2009 - 16:34

A internet 'cai-cai'

Compartilhe: Twitter

O dia foi produtivo aqui em Interlagos. Muitas entrevistas, conversas sobe vários assuntos, teremos material para colocar no ar nas próximas horas. O problema é que a internet aqui da sala de imprensa (sala, mesmo, hoje não estou no caminhão) não está colaborando. Muito difícil para manter uma conexão firme, cai a toda hora. Isso que é o saco de trabalhar fora do seu habitat natural.

Não estou com uma máquina fotográfica em mãos, o que é uma pena. Gostaria de mostrar as “chicas” argentinas de promoção que estão desfilando por aqui.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F-Truck, Top Race V6 Tags: , , , , ,
18/07/2009 - 11:44

O box faz-tudo

Compartilhe: Twitter

O box 13 de Interlagos é o quebra-galho da organização da Top Race V6. A simplicidade da garagem comentada ontem foi quebrada. Colocaram uma divisória entre o box da equipe de Jacques Villeneuve e Cacá Bueno e transformaram uma parte do box em sala de briefing. Nesse momento, todos os pilotos da categoria estão reunidos. E o portão está fechado, para não deixar curiosos entrarem no local.

O mesmo lugar vai servir como sala de conferências, para a entrevista coletiva de Jacques Villeneuve, logo mais à tarde.

Ah, e começou a chover em Interlagos. Estava muito bom para ser verdade, ficar um fim de semana inteiro sem uma chuvinha.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , , , ,
18/07/2009 - 10:50

O 'diferente' regulamento da Top Race V6

Compartilhe: Twitter

É preciso ter paciência para entender o regulamento da Top Race V6. Ao lê-lo pela primeira vez, é difícil ter noção de qual é a ideia adotada pela categoria. O velho sistema de pontos corridos, aquele que ganha mais pontos ao fim do campeonato, o mais simples de entender, não é usado pela competição argentina. A fórmula adotada é capaz de causar inveja aos dirigentes das federações estaduais de futebol, responsáveis pelos regulamentos mais mirabolantes já vistos no esporte mundial.

A Top Race V6 é dividida em quatro etapas distintas, usando as estações climáticas: verão, outono, inverno e primavera. Cada parte do campeonato tem três provas e é independente. É como se houvesse quatro torneios dentro de um só. Passa três provas, e a pontuação é zerada.

O propósito disso é a etapa final, composta por duas corridas, que define o campeão da temporada. Para esse “playoff”, classificam-se os cinco primeiros de cada etapa classificatória – a das estações do ano – e os vencedores de corridas que não tenham terminado no top-5. Exemplo prático: piloto A venceu uma prova da parte da primavera, mas não ficou entre os cinco melhores na classificação ao fim dos três GPs. Ele vai para a disputa pelo título.

Nessa etapa final, os pilotos classificados levam os pontos obtidos pela colocação conquistada em cada etapa. O primeiro lugar vale cinco pontos, o segundo, quatro, e assim vai sucessivamente até o quinto pegar apenas um. Mais uma vez, um exemplo prático: se o piloto B for o primeiro na disputa de verão, o terceiro na de inverno e o quarto na da primavera, vai para a luta pela taça com dez pontos. Aqueles que se classificarem só por ter vencido uma corrida começam zerados.

Nas duas últimas corridas, a pontuação utilizada é a habitual das doze provas classificatórias. Que, como não poderia deixar de ser, também prima pela complicação.

Todos conquistam pontos. O vencedor obtém 20, o segundo colocado, 19, e a conta segue diminuindo um até o décimo, com dez. Do 11º ao 15º, oito pontos são dados. Do 16º ao 20º, seis. Do 21º ao 25º, quatro. Do 26º ao 30º, dois. Do 31º ao último, um.

O pole-position também ganha um ponto, nada mais natural, algo que é utilizado em muitas categorias mundo afora. O interessante da Top Race V6 é que o piloto que conquista a pole no treino de classificação não é aquele que necessariamente vai largar na frente.

Os classificados em números ímpares (primeiro, terceiro, quinto…) disputam uma bateria preliminar na manhã de domingo (19). Aqueles em números pares (segundo, quarto, sexto…) correm em outra série. O vencedor da bateria que obtiver o tempo total mais rápido larga na primeira posição da prova principal do dia. Além disso, faz com que todos os participantes de sua série que estiverem na sua mesma volta comecem a corrida no mesmo lado do grid.

Ah, os seis primeiros de cada bateria também ganham pontos. O primeiro lugar conquista seis, o segundo, quinto, e, novamente, a conta segue diminuindo um até o sexto colocado, que leva seu pontinho.

Essa é a fórmula da Top Race V6. Complexa, para não dizer outra coisa. Resta saber se existe sistema mais diferente no mundo do automobilismo como esse.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , ,
17/07/2009 - 16:36

Invasão da "prensa" argentina

Compartilhe: Twitter

Impressiona o número de jornalistas argentinos que vieram cobrir a etapa brasileira da Top Race V6, em Interlagos, preliminar da F-Truck. São entre 30 a 40 “periodistas”. E das mais diversas mídias.

Tem rádio, TV, jornal e internet. Sete emissoras de rádios estão aqui cobrindo a prova. Quatro canais de TV, incluindo a ESPN e a FOX Sports. Representantes de grandes jornais, como o Olé e o Clarín, também estão aqui.

Mas, por enquanto, a “prensa” argentina não está tão enturmada com a brasileira. Está cada um em seu canto. Devido à massa de argentinos, há uma sala de imprensa exclusiva para eles.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F-Truck, Top Race V6 Tags: , , , , , ,
17/07/2009 - 15:25

O sentimento paterno que faz Villeneuve querer voltar à F1

Compartilhe: Twitter

A vontade de Jacques Villeneuve de voltar à F1 supera a ambição pessoal de mostrar que é ainda capaz de ser um piloto competitivo em uma categoria de alto nível. Vai muito além do ego, da auto-estima, da satisfação de saber que é o melhor. É algo paternal.

Suado, depois de ter treinado pela Top Race V6, o canadense atendeu alguns jornalistas que o cercaram no box 13 de Interlagos, onde está sua equipe. O Grande Prêmio perguntou para o campeão mundial se achava que precisava provar mais alguma coisa na F1. A resposta não poderia ser mais surpreendente. E humana.

“Eu quero que meus filhos me vejam correr. Isso é importante. Hoje em dia, eles me veem em fotos. Quero que eles me vejam correr”, disse Jacques, filho da lenda Gilles e pai de Jules, de 2 anos e meio, e Jonas, de um ano e meio.

Além disso, Villeneuve mostrou que a forma como deixou a F1 ainda lhe incomoda, que não foi o fim ideal. O piloto foi demitido pela BMW Sauber na metade da temporada 2006, há exatos três anos, antes do GP da Hungria, e nunca mais voltou à categoria. Isso também o incentiva a tentar o retorno.

Porém, a volta não será fácil. O próprio Jacques é quem acredita nisso. “Gostaria de voltar. Mas é difícil. Poucas possibilidades”, afirmou o canadense, que também falou a um jornalista argentino que não negociou com a US F1, uma das três equipes novatas em 2010.{

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F1, Jacques Villeneuve, Top Race V6 Tags: , , , , ,
Voltar ao topo