Publicidade

Publicidade
16/09/2009 - 11:46

Então ficamos assim

Compartilhe: Twitter

Em um dia, a FIA anuncia que uma equipe que ninguém sabe de onde veio nem para onde vai pegou o nome Lotus para si, apresentou um carro MEDONHO e vai ser o 13º time na F1 em 2010, no lugar da já estabelecida Sauber.

Unidos da Lotusjuca
Carro abre-alas da Unidos da Lotus

Duas horas depois, a BMW anuncia a venda da Sauber para outro destes grupos que ninguém sabe se existem ou não. A FIA, então, anuncia a intenção de contar com 14 equipes no grid. Com isso, todo mundo especula que a Renault deve estar arquitetando sua saída da F1 devido aos escândalos sobre Cingapura.

No dia seguinte (conhecido popularmente como HOJE), a Renault solta a bomba logo cedo: Flavio Briatore foi para o espaço, e ainda levou junto com ele Pat Symonds de lambuja. Isso a poucos dias da reunião do Conselho Mundial que provavelmente puniria o italiano, caso Symonds participasse da delação premiada que liberou Nelsinho Piquet de ser considerado culpado também. Confissão de culpa do time, aparentemente.

Trocando em miúdos, temos o seguinte: 14 times para 13 vagas. Destas 14 equipes, quatro têm situação totalmente desconhecida, apesar de a Campos — pela pura e simples falta de assunto a respeito — parecer um tanto quanto mais adiantada do que as demais. Da Manor, só sabe que terá a Virgin ao seu lado. A US F1 sofre com atrasos, e essa Lotus tem cheiro de picaretagem das maiores já vistas.

Me parece um tanto quanto óbvio que algum destes times não vai alinhar em Melbourne, ou no Bahrein, em março de 2010. E me refiro a um destes quatro: todas as atitudes da Renault nos últimos dias, culminando com a demissão de Bria e Symonds, dão estofo à FIA para que faça um julgamento puramente midiático com uma punição inofensiva. A FIA vai agradecer sua permanência, assim como Bernie Ecclestone — que, provavelmente, vai acabar ganhando dinheiro de alguma maneira com essa situação toda. Preciso descobrir como ele faz isso.

Enquanto isso, Prodrive e Epsilon Euskadi, times estabelecidos e com estrutura para dar um passo adiante e entrar na F1, são relegados por sociedades anônimas na concepção pura da palavra.

A F1 já foi um esporte bem legal, e mesmo como entretenimento também já foi melhor. Nos resta dançar conforme a música, agora.

Dance fatal,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,

Ver todas as notas

15 comentários para “Então ficamos assim”

  1. Eduardo Azeredo disse:

    A FIA também sabe jogar pra torcida. Uma Lotus, ainda que made in Malaysia, tem mais apelo pra massa. A grande maioria do público não deve nem imaginar que existam essas equipes relegadas, quiçá conseguir falar “Epsilon Euskadi”.

  2. Tiago S. disse:

    Esse é o carro mais feio que já vi no automobilismo, nem na indy que tem umas pinturas um tanto toscas, tem um negócio desse tipo. Na boa, duvido que essa pintura seja aprovada, não é possível.

    A Renault, começou errado, no começo escolhendo tomar partido de um lado (Briatore), agora fica esperando o resultado de segunda-feira. To esperando no mínimo uma multa proporcional a que a McLaren levou no caso da espionagem.

    Briatore viu que não é tão foda assim, bom ele cuidar agora daquele timinho de merda lá e deixar a F-1 menos poluida, aquela cabeça gorda ridícula, não me incomodará mais nas transmissões.

    Resposta do Francisco Luz

    Quanta mágoa nesse coraçãozinho!

    • Tiago S. disse:

      É azia por natureza, mau humor quase que full time. Acho que é culpa do meu trabalho hahah. Mas com deu pra ver, não gosto do Briatore

      abs

  3. Tô puto disse:

    Mataram minha Lotona. Isso aí é mentira, só é Lotus se tiver John Player Special.

  4. Evidente que esse carro é de alguma das últimas temporadas, provavelmente algum patrocinado pela Petronas, que foi vítima dessa m@#$% de pintura.
    A própria Lotus de carros de rua, que se separou da de corrida sei lá quando, trocou de dono diversas vezes, inclusive foi (ou ainda é) de um grupo malaio. Como dito sobre a Force India, desde que façam um trabalho sério, não importa de onde venha a grana.

  5. Verde disse:

    Bom, a Prodrive foi excluída de 2007 porque tinha um staff de impressionantes 4 pessoas. Uma equipe de kart em Granja Viana emprega mais gente que isso. Nesse sentido, USF1, Manor e Campos estão bem à frente.

    Quanto à Epsilon Euskadi, pensemos que o calendário da categoria contempla duas etapas espanholas. Imagina a merda política que daria ter uma equipe basca correndo em Valência e em Barcelona. Pior: imagine se, por algum acaso, eles acabam vencendo e são obrigados a ouvir o hino espanhol.

    Creio que a EE pode trazer problemas prosaicos nesse sentido para a categoria. Seria como se fosse ter uma equipe palestina e um GP de Israel no calendário.

    Resposta do Francisco Luz:

    Entendo tuas ressalvas. Errei ao falar em estrutura da Prodrive, mas queria falar no expertise dos caras em corrida. Lidam com uma categoria bem maior do que a F3 inglesa que a Manor vê.

    E sobre a Epsilon Euskadi, concordo que poderia ser algo complicado politicamente. Mas eu tento sempre imaginar que esse tipo de estupidez ligado a nacionalismo não vai PERDURAR por muito mais tempo.

    • Tem como explicar melhor essa história da Prodrive ter só 4 pessoas na equipe? Ao que me constava, tinham sido excluídos porque queriam comprar o carro pronto da McLaren, o que foi vetado pela FOTA (ou FIA, sei lá).

      Resposta do Francisco Luz:

      Quando a inscrição para 2008 não foi aceita, disseram que a Prodrive só tinha uma sala de escritório com três pessoas e o David Richards, sem estrutura para comandar um time de F1.

    • felipe antunis disse:

      A Epsilon Euskadi já venceu provas na World Series (foi a equipe que levou o Kubica ao titulo)… Sinceramente, não sei que hino tocaram no pódio, mas que eu saiba nunca teve problema… realmente não acredito que ela traria alguma confusão do tipo…

  6. Com esta pintura, se chegarem em Cingapura vou assistir a corrida ao som de DIO – RAINBOW IN THE DARK.

  7. felipe antunis disse:

    porque todos insistem em afirmar que essa é a pintura definitiva para a temporada de 2010? Está na cara que foi só um modelo (miniatura) de apresentação…

    E vamos parar com a babaquice de “Lotus tem de ser preta ou amarela”… o carro vai ser da cor do patrocinador…

  8. Joshua Arneiro disse:

    O que a Lotus verdadeira mostrou e a Lotus fake “talvez ” consiga mostrar.

    De uma obra deslumbrante (tem um exemplo aí em cima), à uma aberração que parece um sorvete colorido caído ao chão! Terrível…

  9. Fabrizio disse:

    Puxa! Que texto mais bacana… criativo, incisivo, realista e ainda bem humorado, Parabéns!

    “Carro abre-alas da Unidos da Lotus…” Muito bom!!! rsrsrs

  10. jenson disse:

    hi achei legal!

  11. Tony George disse:

    Pior clipe que já vi na vida!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo