Publicidade

Publicidade
19/09/2009 - 18:41

Alain Prost brasileiro

Compartilhe: Twitter
Terena treinando para as 500 Milhas

Terena treinando para as 500 Milhas

Assim como repórteres de futebol se metem a bater uma bola de quando em quando, o pessoal que mexe com corridas também acha que sabe acelerar mais do que a média. Em alguns casos, no entando, é verdade; em outros, nem tanto — Marcus Lellis, por exemplo, conseguiu ser o último colocado em uma prova de kart promocional há pocuso dias, enquanto Felipe Paranhos faz fiasco até nos computadores.

Do lado positivo da face corredora do GP, não posso deixar de citar Bruno Terena. O nosso fotógrafo oficial, considerado pela ala mais animada do automobilismo nacional o homem mais bonito a frequentar os paddocks do Brasil – ao menos, foi o que me disseram – , vem pisando fundo na preparação para as 500 Milhas da Granja Viana.

Mas o grande destaque nem é esse. Fuçando os arquivos do grande Blog do Pandini, descobri que a fama do Terena é tão grande que os caras ESCULPIRAM UM MORRO em sua homenagem. Vejam só:

Homenagem feita enquanto Terena dormia

Homenagem feita enquanto Terena dormia

Parabéns, Terena! E vê se honra o nome do GP nas pistas; alguém tem que fazer isso de uma maneira decente.

Abraços,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): Kart, Música Tags: ,

Ver todas as notas

2 comentários para “Alain Prost brasileiro”

  1. wagner neves disse:

    Aqueles morros são a Pedra Bonita à esquerda e a Pedra da Gávea à direita, no Rio de Janeiro, entre São Conrado e Barra da Tijuca.

    Resposta do Francisco Luz:

    Prefiro chamar de “Queixo do Terena” e “Nariz do Terena”, hahaha.

  2. Daniel Betting disse:

    Este conjunto de morros é conhecido como Morro do Terena. Já sua habilidade nas pistas, se deve ao avantajado difusor nasal, instalado dentro do capacete do fotógrafo piloto.

    Resposta do Francisco Luz:

    Pois é, as novas regras da FIA para 2010 podem obrigar o douto piloto a realizar uma NASECTOMIA no ano que vem. Informações novas a qualquer momento.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo