Publicidade

Publicidade
23/10/2009 - 10:25

Conspiração

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Enquanto a festa começava na Brawn, com mecânicos e engenheiros curtindo o título de Jenson Button no último domingo (19), em Interlagos, Rubens Barrichello se fechava em seu canto, pensativo com a repentina queda de rendimento de seu carro após a primeira parada nos boxes, que foi decisiva para a perda de posições e, assim, para o título do inglês. Assim o diário “AS” descreve os momentos do brasileiro após a bandeirada do GP do Brasil. O jornal aponta a possibilidade de a queda de desempenho de Barrichello ter sido arquitetada por Ross Brawn, para que Button conquistasse logo o título.

Segundo o jornal espanhol, na primeira parada de Rubens, na volta 21, a equipe poderia optar por colocar menos gasolina e impedir que o brasileiro ficasse preso no tráfego. Do contrário, voltaria à frente de Sebastian Vettel e Lewis Hamilton — ambos mais rápidos —, o que acabou acontecendo.

Depois de dez voltas, o carro caiu repentinamente de rendimento, cerca de 0s4 por volta em relação a Kubica, que estava logo atrás. A publicação espanhola acusa a Brawn de modificar a pressão dos pneus para atrapalhar Barrichello, o que teria causado a mudança de ritmo. Tal alteração é apontada como a maneira mais fácil e discreta de prejudicar um piloto em lugar de outro.

Na classificação para o GP da China de 2007, em Xangai, a McLaren foi acusada de alterar propositalmente a pressão dos pneus de Fernando Alonso em prol de Lewis Hamilton. Segundo o asturiano afirmou à época, o ajuste foi “totalmente desorbitado”, deixando no ar a possibilidade de tudo ter sido feito de propósito.

No desespero, Barrichello perguntava: “O que está acontecendo? O que acontece?” E ouviu de Jock Clear, seu engenheiro, que estava tudo “tranquilo”, de acordo com o previsto. O “AS” afirma que Brawn queria que Jenson levasse o título, para não correr o risco de Rubens levar o número 1 à Williams.

Opinião? Não acredito. Teoria da conspiração pura.

Atualização em 24 de outubro, às 11:50, depois de ler os comentários: Meninos, se fosse pra sacanear o Barrichello, não seria mais fácil (e eficiente) fazê-lo a partir do pit-stop, não dez voltas depois? Como disse, até a volta 31, o ritmo de Rubens era compatível com o dos rivais. Ele parou na 21.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags:

Ver todas as notas

59 comentários para “Conspiração”

  1. Gil Queiroz disse:

    Concordo plenamente. Se tem um lugar que NÃO existe nenhum tipo de sacanagem, este lugar é a F1. Os caras são bastante santos, você observa pelas câmeras, a gente fica até emocionado de ver tanta honestidade, bom caráter, dignidade nas declarações, atitudes nunca suspeitas. De fato, dá gosto de ver a ombridade existente na F1.

    • Felipe Paranhos disse:

      Não disse isso, né, Gil? Só disse que não concordo. Mas aquilo é um poço pleno de lama, mesmo.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo