Publicidade

Publicidade
21/11/2009 - 01:51

Bovinas 1

Compartilhe: Twitter

IMG_2246
Temporal DO CARALHO caindo na minha fuça na hora de andar 70 km até o autódromo

Bueno,

Antes que os gaúchos que nos leem comecem a desfraldar xingamentos como se alguém estivesse rindo do feriado que comemora uma revolução derrotada, vale a pena dizer que sou colorado e gaúcho nascido em Novo Hamburgo, exemplo maior do provincianismo que reina no Pampa. Em 1993, por aí, acho que a taxa de carros que tinha aquele adesivo maléfico de República dos Pampas era de 1 para cada 2, facilmente.

Portanto, sei do que falo. Somos todos, sim, bovinos até os ossos. Achamos bonito ter conhecimento sobre merda de vaca, por exemplo. Nada mais bovino do que isso.

Mas vamos lá: uma das diversas coisas que me irrita neste estado é a completa falta de estrutura de tudo de tudo mais tudo. Como hoje (ontem, teoricamente, mas o dia só vira amanhã quando vamos dormir, o que pretendo fazer nos próximos 20 minutos): quando coloquei o pé na estrada – ou, mais especificamente, os pneus do Golzinho na BR116 -, o mundo começou a EMULAR 2012 pela segunda vez em dois dias.

Sério mesmo, foi PAVOROSO guiar em uma estrada que conseguiu ficar alagada entre NH e Sapucaia em dez minutos. Gravei vídeos e, quando tiver uma internet decente, vou colocar no youtube para que vejam – sigam @franciscoluz no Twitter para serem avisados.

Mas, depois, a água tranquilizou e consegui chegar a Tarumã praticamente ileso, com apenas um tênis dando sinais de esgotamento fatal. E o que vi lá me surpreendeu: um grande trabalho conseguiu recuperar o autódromo da DESGRACEIRA absoluta de quinta e deixou tudo em ordem para o treino.

Não é novidade para ninguém – ou, ao menos, ninguém que me conheça – que não gosto das corridas de Stock. Acho chatas: os carros são muito grandes para as nossas depauperadas pistas, como destacou o Felipe logo abaixo. Não tem condições de se fazer uma prova competitiva se não há como dois carros ficarem lado a lado sem que um deles passe metade do tempo na grama.

Mas admiro, sim, o trabalho que é feito nos bastidores da Stock. Claro que toda a política que existe, por N motivos (Rede Globo, comissários inaptos, pilotos que têm mais poder do que os outros, etc), incomoda – e muito. Mas a estrutura é MUY DIGNA e merece os parabéns, por conseguir colocar de pé um negócio que parecia fadado ao fracasso: metade das cidades da região metropolitana de Porto Alegre está com problemas no abastecimento de água e luz. Isso é caos, gurizada, e a Stock superou isso. Como sempre dissemos, parabéns quando estes são merecidos.

Como só cheguei à tarde em Tarumã – estava fazendo o rescaldo da tragédia na firma nº 2 pela manhã -, pude acompanhar apenas um treino de cada categoria. Mas valeu para ver que, se a chuva permanecer caindo por aqui, como está previsto, vamos ter mais problemas. Paulo Salustiano capotou seu carro no final do TL2 da V8 na curva do Tala Larga, e eu burramente deixei a câmera na mochila na hora de ir conferir. Logo que eu tinha chegado, João Ometto havia batido na Pick-up, e não vai participar da prova, pois seu carro ficou todo empenado.

Mas vamos lá. Copiando o que faz a chefia, este é o primeiro boletim das Bovinas. Mais virão ao longo do sábado e domingo. Não percam.

E, como estamos aqui, é hora de homenagear o que realmente merece desta terra:

Escutando um hardcore,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): Stock Car Tags: , , ,

Ver todas as notas

2 comentários para “Bovinas 1”

  1. Emerson Butzen disse:

    Fala Francisco!
    Tchê a BR-116 é o caos do caos, acho que nem a pinheiros em São Paulo é tão ruim.
    Quanto conseguir por os vídeos no youtube, se puder, dá um toque por aqui também, esse tal de twiter não me convenceu ainda… hehehehe
    Boa cobertura no final de semana!
    Ah, e meu time deu uma ajuda para o seu nessa quarta-feira. Vê se aproveitem.
    Forte abraço!

    • francisco disse:

      Vou colocar os vídeos aqui, sim, pode deixar.

      E co-irmão é isso aí. Só não esperem algum tipo de retribuição no futuro, hahaha.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo