Publicidade

Publicidade
21/12/2009 - 11:27

Prost-Renault só pode ser falta de assunto

Compartilhe: Twitter

A1France

Felipe Paranhos

Posso estar errado, mas me incomodo pacas com a especulação nesse período de pós-temporada. Tem dias que surgem notícias muito legais, mas em outros.. Agora é a vez dessa do Nicolas Prost [foto] como reserva da Renault. Surgiu na quinta ou na sexta, num site francês pouco conhecido.

Pode ser verdade e tudo, já que piloto reserva hoje é cargo decorativo, mas por que o Prost? É um cara de 28 anos, que não correu de fórmula em 2009 depois da A1GP —  e, nesta, teve como melhor resultado um sexto lugar. Ganhou a F3000 em 2008, mas é algo que conta muito pouco, já que, além de a categoria viver decadência [tanto que agora mudou seu nome], foi, dos 22 pilotos que correram, um dos únicos 4 a disputarem todas as etapas. O Luiz Razia, por exemplo, ficou oito pontos atrás tendo ficado uma rodada [duas corridas] fora.

A Renault tem em seu programa de jovens pilotos Charles Pic, Davide Valsecchi e Marco Sørensen. O dinamarquês não seria uma opção viável ainda, mas Pic foi terceiro colocado nesta temporada da World Series com só 19 anos e está correndo a GP2 Ásia, e Valsecchi é apoiado pela equipe há tempos, é experiente e corre na GP2.

Aí vocês me dizem: ah, mas o Genii, novo parceiro da Renault, é vinculado à Gravity Sport Management, que é uma empresa que agencia pilotos, então os três mencionados devem ser descartados.

Ué, mas a empresa não vai preferir colocar o D’Ambrosio, o Vietoris, o Ho-Pin Tung? Por que o Prost? Se o cara não serviu de jogada de marketing a vida inteira, vai servir aos 28 anos?

Se for verdade, não é bom negócio. Mas não deve ser verdade. Não pode ser.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,

Ver todas as notas

19 comentários para “Prost-Renault só pode ser falta de assunto”

  1. henrique - botafogo RJ disse:

    Discordo em alguns pontos, o principal é dizer que por conta das categorias de acesso especular-se alguma coisa sobre o piloto.

    Todos sabemos que tem muito piloto que não fez nada na F1 e foi rei nas categorias de acesso.
    Como marketing é bom sim, de fato.
    Eu torço muito, vai que ele corre…rsrs

    • Felipe Paranhos disse:

      Mas tem muito piloto que não fez nada no acesso e foi rei na F1?

    • Celso Silva disse:

      Kimi Raikkonen, 23 corridas em monopostos, campeão da F1 em 2007. See you later..

      Resposta do Felipe Paranhos

      Sim, mas quando o Kimi foi campeão, tinha 121 GPs só na F1. E chegou na F1 com 21 anos, logo depois ser campeão da F-Renault…

  2. Eduardo Azeredo disse:

    Concordo plenamente com tudo dito!

  3. Kelton Reis disse:

    Não será porque ele é francês e tem um sobrenome de peso?

  4. João disse:

    Se fosse metade do que o pai foi… seria um grande piloto..

  5. Daniel Ramos de Oliveira disse:

    Eu acho que vai ser o Prost sim.Mas olhando a carreira dele,ele nunca fez nada de importante,literalmente nada.As vezes eu me pergunto,porque a Renault nunca coloca alguem bom pra pilotar os carros dela?Tudo bem colocou o Alonso e agora o Kubica,mas nunca colocou um segundo piloto bom(tirando o Fisico,mas que também não é aquilo tudo),os caras no programa deles tem pilotos muito bons,e colocaram o Heikki Kovailanen,depois o Nelsinho Piquet e depois o Romain Grosjean,três pilotos que só fizeram burradas,tirando o Kova que até que foi um bom piloto,só no começo que ele não foi muito bem,e todo nesse tempo eles tinham o Lucas di Grassi e também o Alvaro Parente,e nunca deram uma chance se quer pro os dois,eu realmente não entendo a Renault.

  6. Olá colegas, eu acho que vocês poderiam ler mais um pouco antes de criticar um piloto como o Nicolas Prost. Acompanho a carreira dele dês da F-3, e acho ele um bom piloto sim, ganhou corridas e foi 3 colocado em 2007 na F-3 Espanhola.

    Em 2008 arrematou o titulo da F-3000 Euroseris, a mesma que o Felipe Massa correu e foi campeão em 2001 eu acho.

    Já correu as 24 hs de Le Mans e só falta a Fórmula 1.
    Vale apena lembrar que ele também começou no automobilismo tarde, assim como o Bruno Senna que vai correr na F-1 em 2010 e chega sem nenhum titulo na carreira, mas com um super sobrenome.

    Torço muito para que eles cheguem à categoria máxima e tenham sucesso como seus pais ou parentes tiveram.
    Assim como espero que o Marco Andretti chegue logo na F-1 e o Nelsinho Piquet possa ter outra chance, afinal quem teve a oportunidade de ver ele correndo na F3 e GP2 sabe que ele é um baita piloto.

    Tenho certeza que e melhor um GRID com esses garotos de sobrenome polpudo, do que ver um Grid com Trulli, Kova, Fisico, Sutil, Heidfeld, Liuzzi, Sebastien Buemi e Barrichello que não vão a lugar nenhum.

    Por isso eu digo….

    Volta Michael Schumacher, volta Jacques Villeneuve, seja bem vindo pilotos de sobrenome famoso e tomará que tenham o pé direito pesado…

    Anderson – Campo Grande-MS

    • Felipe Paranhos disse:

      Convenhamos, ser terceiro colocado na F3 Espanhola é muito, muito pouco. E a F3000 Europeia, como eu disse, vivia uma decadência tão grande que até trocou de nome agora. Sobrenome não basta, definitivamente. Quero ver gente realmente boa na F1, não filhos de campeões.

  7. Delano Braga disse:

    Pode ser porque o Bernie Eclestone quer ver um novo duelo Prost x Senna- no caso do Bruno na Campos, seria bom ver os dois ao lado do velho Schumaquer na temporada de 2010, mas nada se compara ao papai Alain e o tio Ayrton quando duelavam na F-1 dos anos 1980 e 90…é apenas um palpite, Abração.

  8. Douglas Arruda disse:

    Eu tenho um assunto melhor:
    Sebastién Bourdais na USF1. O cara foi tetracampeão nos Estados Unidos, só…
    Há um ano atrás, o piloto mais conhecido da F-1 para os americanos. Acho que não tem cara melhor para por no time.

    • Felipe Paranhos disse:

      De fato, Douglas. Seria uma grande ideia. E não sei, não, viu… Assim como o Kovalainen, quietinho, apareceu na Lotus, não duvido nada que o Bourdais surja na USF1.

  9. Bruno disse:

    Vai que o cara é bom. Schumacher não era bom em categorias de base, e olha no que deu. E idade não é problema, Damon Hill chegou com 32 anos e ainda conseguiu ser campeão, e se não fosse aquela batida de Adelaide, ele seria bi.

    • Felipe Paranhos disse:

      Não é que o Schumacher não fosse bom, ele não era considerado o mais promissor de sua geração. Em 1988, primeiro ano de profissional, ele ganhou a Koenig, em 1989 foi terceiro na F3 Alemã e ganhou a mesma categoria no ano seguinte. Em 1991, já apareceu na F1. Com 21 anos. Quanto ao Hill, você tem razão, é um exemplo positivo.

    • Douglas Arruda disse:

      E tem mais Bruno:
      Com Hill deu certo justamente por ele ter um sobrenome famoso, o de Graham Hill. Com Prost essa linhagem ainda é mais respeitada.

  10. Bruno disse:

    Só pra acrescentar mais, duvidei do Kobayashi e o cara chegou chegando, colocando tempo no veterano Trulli. E foi pra Sauber, tradicional por tornar novatos em grandes pilotos, Raikkonen e Massa começaram lá.

  11. gavi disse:

    cartada… na manga… isso se chama marketing… já que o cargo de piloto reserva é apenas pra ilustrar o campeonato,… porque não usar o nome Prost pra chamar atenção da midia e patrocinio… o nome Prost é uma marca forte assim como Senna, Fangio etccc…

    • Felipe Paranhos disse:

      Sim, que seria marketing, tudo bem. Embora ache inútil também. Mas olhando da mesma forma, pelo lado do business, não creio que um cara que é acionista de uma equipe vá deixar de colocar um piloto que ele empresaria para contratar, ainda que como reserva, alguém sem qualquer currículo pra chegar à F1 simplesmente por causa do sobrenome. E aos 28 anos.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo