Publicidade

Publicidade
30/12/2009 - 02:04

Lendas platinas

Compartilhe: Twitter

IMG_2812
PAVILHÃO celeste

O Uruguai é um país dado a pensamentos sobre a história: pequeno, vivendo eternamente à sombra dos grandes feitos do passado – tanto economica e social quanto desportivamente -, é inevitável ver os majestosos prédios de Montevideo e lamentar o destino daquelas paredes, que hoje estão invariavelmente pichadas e com mendigos de soslaio na soleira das portas.

Mas também é inevitável sentir uma enorme INVEJA dos uruguaios, principalmente dos residentes da capital, pela vida extremamente digna que levam. Há mendigos, há pobreza, há sujeira, sim. Mas você pode andar na rua às 2h da madrugada, em um bairro com dois postes de luz à meia boca em três quadras, e chegar no seu quarto de hotel sem a sensação de que escapou de ser ESTUPRADO.

Uso este paralelo aparentemente NONSENSE TOTAL para falar sobre algo que, felizmente, aconteceu enquanto eu estava desfrutando de tudo que a cidade na beira do Rio de la Plata oferece de bom (abraço, chopes da Pilsen e LA PAMPOÑITA, desde já meu eterno três estrelas do Guia Michelin): o retorno de Michael Schumacher, confirmado para deleite dos meus colegas de trabalho na justa semana do Natal – venci, haha.

Schumacher sempre será o melhor piloto da história da F1 – qualidade, antes que alguém venha com as 50 pedras verde e amarelas nas mãos, é algo mensurável em número; para falar de MAIOR PILOTO é que são outras, cada um com a sua preferência -, pois conseguiu marcas inatingíveis. Já está na história. E, sinceramente, não consigo esperar um grande desempenho seu em 2010.

Mas, por isso mesmo, não posso deixar de louvar seu retorno. Ele é desnecessário para ele, e muito mais importante para a F1 do que para si. Os carros são totalmente diferentes do que aqueles que ele guiou nos últimos dez anos em que correu, contra adversários de inegável talento – Hamilton, Vettel, Massa e Alonso, que o bateu em um confronto direto, bom não esquecer.

A dignidade de aceitar um desafio que poderia servir apenas para deixá-lo com a impressão de que seu tempo passou – como passou o tempo da “Suíça Americana”, da minha querida e gloriosa Celeste Olímpica, dona do pavilhão remendado, que foi utilizado na campanha histórica em Colombes em 1924 -, mas não aceitar algo que o CORROÍA por dentro, como aparenta ser o caso, seria muito pior. E qualquer competição que conta com a presença de campeões do seu quilate – com a Copa de 2010 entrando como exemplo no futebol – é uma competição melhor.

Avante, Schumi. Aguante, Celeste.
IMG_2789
Palco maior do futebol mundial

E, para fechar, a dica musical do dia. Uruguaia, claro:

Orientales, la Patria o la Tumba!!
Libertad o con gloria morir!,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , ,

Ver todas as notas

40 comentários para “Lendas platinas”

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Grande Prêmio, Francisco Luz. Francisco Luz said: Para fechar a terça, aprendam o que tem a ver o retorno de Schumi e um passeio por Montevideo: http://bit.ly/6CLGkE […]

  2. Você não viu Fangio? Você não viu Stwuart? E Lauda? Esse é mais contemporâneo! E essa era uma formula um em que também existiam armações, mas pelo romantismo, ganhava o melhor, vou só citar alguns fatos recentes, Schumaker bate o carro, não corre o resto do ano, ainda era bi-campeão e um inexpressivo segundo piloto, Eddie Irvine, recebe um carro em condições de vencer provas e ganhar aquele titulo, mas por força de contrato, não deixaram o coitado levar o título, perdeu títulos, para Mika Hakkinen, jogou o carro em cima do Jacques Villeneuve, para não perder o titulo e você fala em melhor de todos? Meu querido é lógico que entendo que precisamos de competições para não morrer no Brasil, o jornalismo desse segmento, não precisamos falar dos nossos pilotos, para vermos que tudo não passa de um verdadeiro teatro.
    Segue o post a respeito no meu blog: http://www.irodrigues.com/2009/08/triste-foumula-um-sem-graca.html.
    Lógico, falo dos pilotos brasileiros sim, não sou nenhum nacionalista, mas não podemos negar que tivemos pilotos acima do normal, que os que estão aí hoje não serveriam, nem para lustrarem as sapatilhas deles.

  3. Alvaro disse:

    Grande comentário, concordo com a dificuldade que Schummy vai ter em 2010, quanto à qualidade dele como piloto é inegável e indiscutível, sou um grande admirador dele, mas 3 anos se passaram, acredito que ele demore um pouco para pegar a mão principalmente pela falta de testes, terá adversários muito fortes, Vettel na Red Bull, se o motor aguentar vai dar muito trabalho, Hamilton numa Mclaren que estava chegando num bom acerto no final de ano e Alonso na Ferrari que depende de acertarem o projeto.
    São 3 campeões do mundo (sim, incluo o Vettel por ser somente uma questão de tempo o campeonato) com enorme potencial e vontade de derrotar o Schummy, mas no fundo torço mesmo para que ele dê uma aula e leve o oitavo título.
    Abs

    • francisco disse:

      É isso mesmo. Nem “torço” tanto por ele, na ACEPÇÃO clara da palavra – sou fã descarado de outro piloto, que já foi revelado aqui -, mas quero muito que ele se dê bem.

  4. Johnny disse:

    Temos que lembrar que o Schumacher teve duas grandes vantagens para gerar seus números impressionantes: 1) os carros da F1 era Schumacher não mais quebravam tanto quanto antes, na era Senna, era normal em ~50% das corridas o carro quebrar. Portanto “pole positions/corrida” é um “metric” mais relevante para comparar pilotos do passado com os do presente 2) O Schumacher teve a sorte de sempre correr por a maior parte da carreira dele com o melhor carro/equipe da temporada. Isto não ocorreu com o Senna (e outros grande pilotos) que muitas vezes não tinha na mão o carro melhor da temporada. Diria também….. que o Schumacher correu numa era que faltou outros corredores de alto calibre. Na era Senna, tinha Prost, Mansell, Piquet, etc. e na era Schumacher é dificil lembrar de algum outro piloto que impressionou…..

    • francisco disse:

      Distorcer os números em favor do seu piloto favorito é uma prática mui condenável. Eu posso tentar arranjar uma maneira de mostrar que o Inter é o time mais vencedor da história do futebol, mas seria desonestidade.

      Como disse, contra números não há argumentos. O que pode ser discutido é qual piloto foi MAIOR, e aí outros tantos entram na história – até caras com números risíveis, como Gilles Villeneuve, por exemplo.

      E este não é o propósito do post. Se nego só ficar falando de Senna x Schumacher, vou começar a agir a lá Edward Mãos de Tesoura.

  5. Também acredito que números são incotestáveis. Não importa contra quem você jogou ou correu, mas sim a quantidade de troféus que tem na sua estante.

    Graças a DEUS Pelé é brasileiro e Maradona argentino, se não com certeza iríamos dizer que o gordinho seria o melhor.

    *Mas o que mensura números é quantidade, não qualidade né?

  6. Ricardo disse:

    Schumacher melhor que Senna! Sempre!

  7. Lucius disse:

    Só trocaria o melhor por maior e vice-versa.

  8. Rodrigo disse:

    Você já foi estuprado? Revelaçõesss!
    Brincadeira!

    Só passei mesmo pra comentar que alguns “comentaristas” da internet são bem infelizes, não conseguem lidar com a verdade de Schumacher ser o melhor e inventam mil coisas, e ainda tentam desesperadamente convencer outras pessoas. Em vão.

    • francisco disse:

      Há partes da minha anatomia que nunca serão conhecidas por ninguém. Até eu ficar velho, exames de próstata já terão evoluído, etc e tal.

  9. fran disse:

    A empáfia do blogueiro só não é maior do que a sua falta de razoabilidade e bom senso. Inveja dos uruguaios? Compre um bilhete de avião SÓ de ida. Se é por falta de um adeus, até logo.

  10. Rubens disse:

    Clone do Flávio Gomes?

    • francisco disse:

      Sim, veja na foto. Também sou pequeno e careca.

      Oh, wait.

    • Rubens disse:

      Você entendeu exatamente o que eu quis dizer. Não venha com ironias. Aproveito pra ratificar o que alguém já disse aí: você fez uma troca providencial entre maior e melhor. Devo crer que ela seja proposital, pois inteligente você já demonstrou que é.

    • francisco disse:

      Ela é proposital, sim. É baseada, como todo mundo está fazendo aqui, na minha humilde opinião.

      Acho que ser MAIOR é mais importante do que MELHOR e, por isso, fiz essa troca. Por exemplo: Beckenbauer foi o melhor defensor da história, mas Figueroa foi MAIOR.

      Ou, para comparar valores diferentes, MANGA foi maior do que BUFFON.

  11. Miguel Soares disse:

    Uma pergunta: no Grande Prêmio vocês podem achar alguém melhor que Schumacher? E não falo de Senna, mas de Fangio, Clark, Moss, enfim… Pode?

    PS: você confundiu o conceito de ‘maior’ com ‘melhor’, e vice-versa.

    • francisco disse:

      Sim. Eu, por exemplo, sou Alonsista.

      O Felipe, pelo que parece, é Sennista. Bruno Vicaria também era.

      Enfim, quando nego não sabe como argumentar, tem que falar merda. É foda.

    • Miguel Soares disse:

      Pronto, você respondeu minha pergunta. Não precisa ver com essa de “falar merda”, etc.

      MAIOR: quantidade de números, carreira, conquistas;
      MELHOR: qualidade, rapidez, espetáculo (os critérios que quiser).

      Dá pra usar números nos dois casos: para o melhor, faça as médias vitória/GP, título/campeonato, and so on.

  12. ECidade. disse:

    Com todo o respeito, automobilismo começou em 1896, e não na década de 1990. É preciso ler muito, conhecer muito antes de dizer “os maiores” ou os “melhores”. Alguém já comentou aí, mas o Queixudo Pernóstico, sempre que confrontado com decisão foi derrotado. Por Hakkinem e por Alonso (não vou nem discutir Damon Hill e Villeneuve – bem mais fraquinhos do que seus pais, respectivamente, um sortudo bicampeão não tão bom assim e de uma lenda muito maior do que o piloto). Schumacher, é claro, é um excelente piloto. Só é bem menor do que sua fantástica numerologia faz supor. Acredito, na atual conjuntura, que Hamilton e Alonso (não necessariamente nesta ordem) não ficam nada a dever a ele. E o Vettel logo logo chega lá. Vale lembrar que Rosemeyer, Caracciola, Nuvolari, Fangio, Moss (o maior injustiçado da História da F1), Clark e Stewart nunca jogaram o carro em cima de nenhum adversária. Reza a Lenda que tinham Caráter, coisa que o demagogo alemão nunca teve.

    Abraço a todos e Feliz Ano Novo.

    ECidade
    Brasília (DF)

    • francisco disse:

      Eraldo, não falei de caráter. E números são números. Não sou fã de matemática, mas não posso por isso tirar a lógica da coisa toda.

      Se antes existia uma concorrência melhor, ou se os carros quebravam mais, ou se nego era azarado, ou se… ou se… ou se… não me servem. Como eu só comecei a acompanhar F1 a fundo mesmo a partir de 1994, só posso comparar os pilotos que eu vi com os que eu não vi com base nas estatísticas.

  13. Felipe disse:

    quer saber… vão tudo tomar no cú!!!

  14. Joao Augusto disse:

    A resposta de a partir de quando começou a acompanhar corridas já diz tudo, sendo desnecessário comentar algo mais do que “simplesmente lhe falta memória do esporte”.

    • francisco disse:

      Então também vou deixar de acompanhar futebol, já que nasci em 1985 e não vi Pelé, Didi e etc jogar. É cada uma…

  15. Ari Jr disse:

    Concordo totalmente com ECidade, e digo mais, vamos parar de inverter valores, mau carater não pode ser venerado, pois neste caso os resultados vão para o fundo do poço. Rapaz, pare com esse negócio de, trapaceou mas é bom. Se o sujeito é um vigarista, não pode ser respeitado e fim de papo.

    Feliz Ano Novo pra todos
    Ari Jr

    • francisco disse:

      O problema é que TU acha ele um vigarista. Eu, não.

    • fran disse:

      O problema é a conjugação verbal…

    • francisco disse:

      O problema é tu achar que a tua opinião sobre INVEJA dos uruguaios tem ALGUM sentido ou relevância.

      Patrulha de opinião é uma porcaria; se nunca te avisaram, faço questão de registrar.

  16. Fernando Monteiro disse:

    Olá pessoal,

    Acho que as pessoas deveriam enteder que automobilismo não é para torcedores de A, B ou C e sem para quem gosta da coisa. E contra numeros não há argumento, vejam bem eu disse NUMEROS e ninguem ganharia essa quantidade todas de títulos e corridas se não fosse um genio do volante.Acompanho a F1 desde de meados dos anos 70 e vi toda transformação da categoria assim com as dos pilotos e de uns 20 naos para cá os carros não quebram por que são melhores construidos e o asfalto é de qualidade bem melhor e o traçado já não sacrificam tanto os carros, tirando Mônaco, claro. Sejamos sensatos, o Shumy é muito bom e chegou em uma época que em que outros que lhe bateram não ficaram muito tempo na categoria e na época de ferrari a F1 já não “era” permitido ter dois pilotos de ponta na equipe. Então tudo foi um conjunto de fatores que contribuíram para esses numeros impressionantes, mas se ele não fosse tambem genial não adiantaria muito. Feliz 2010 a todos.

  17. Becken disse:

    Eu, FELIZMENTE, comecei a acompanhar a F1 no meio da década de 80, mais precisamente de 84 para cá, ano de estréia do Senna.

    O problema que vc incorre aqui, ao afirmar que Schumacher é o melhor e coisa e tal, é que a F1 é um esporte em constante mutação tecnológica, política e esportiva.

    Por exemplo, como Schumacher vai lidar com o fim do reabastecimento, algo que foi fundamental para boa parte de suas vitórias no passado? É uma baita mudança na forma como os piotos deverão genciar as corridas, não acha?

    OUtro ponto que algupem qu não vivncou a era Senna não tem acesso,são os bastidores daquela época.

    Enquanto Schumacher quase sempre competiu dentro dos sistema da Formula 1 — FIA/Ferrari — Senna bateu de frente com dirigientes, foi banido por que disse o que pensava na cara do contenrrãneo de Prost, o Balestre e Max Mosley enquanto Schuamcher se escondia em baixo da saia e do prestígio comercial da Ferrari.

    Em suma, a F1 é um esporte com subtância histórica muito rica por isso mesmo vc não pode querer AFIRMAR com propriedade que Schumacher é o melhor com base em números depois afirmar que “só pode comparar os pilotos que eu vi com os que eu não vi com base nas estatísticas”.

    É um desrespeito com a longa história do esporte e com pilotos mais corajosos e com mais caráter que Schumacher.

    By the way, ao invés de estudar estatíticas, LEIA mais sobre a história da F1, aposto que vc mudará de opinião…

    Abração!

    • francisco disse:

      É foda. Eu escrevi que acho difícil que o Schumacher consiga um bom resultado em 2010 justamente pelas mudanças, mas pelo jeito isso passou despercebido.

      Aliás, todo o maldito texto passou despercebido. Vocês conseguiram ler APENAS E TÃO SOMENTE uma frase. Que saco.

      Torcida fanática que não aceita opinião contrária é uma merda em qualquer caso.

  18. Felipe Paranhos disse:

    Sério que vocês tão discutindo Senna x Schumacher? Pff. Recomendo curtir o fim de ano. A propósito, não acho que o Senna tenha sido o melhor, nem que tenha sido o Schumacher, nem ninguém. Nâo acompanho automobilismo assim. Não acho a menor graça.

  19. Eduardo Baldi disse:

    Olá Francisco
    Á única “merda” que vc disse é em relação à demasiada importância que dada aos números e estatísticas para tirar suas conclusões, principalmente quando você diz que só pode comparar os pilotos que viu com os que não viu na base das estatísticas. Não digo que esse seja o caso, mas as vezes, levar em conta somente dados e números podem gerar grandes aberrações. Não “vi” o Reinaldo do Galo jogar. Então vou pegar apenas números para compará-lo com Tulio Maravilha. O primeiro conquistou apenas alguns campeonatos mineiros na carreira além marcar aproximadamente 300 gols. O outro conquistou uns 4 campeonatos goianos, um paulista, um rio-são paulo, um brasileirão e está prestes a fazer o milésimo gol da carreira. Mesmo com essa disparidade nos números, você acha que dá pra dizer que Tulio Maravilha foi melhor e, pq não, maior que Reinaldo?
    Parafraseando aquele famoso comercial, “é possivel contar um monte de mentiras dizendo só a verdade”.

    PS: Sou CRUZEIRENSE.

    Abraços

    • francisco disse:

      Sei das aberrações. Mas mantenho a minha opinião. Posso estar errado (provavelmente estou), mas não achei ainda nenhum parâmetro que me agradasse mais.

      E, se eu fosse seguir isso, escolheria então Jim Clark como o maior/melhor piloto da história. Ele foi escolhido em uma lista certa vez com os jornalistas que acompanham a categoria há mais tempo. Tenho que prezar pelo corporativismo, né.

      Abraços

  20. Carlos Alberto Petry disse:

    Fui ao Uruguay pela primeira vez em 1963, onibus Leyland, e carros alguns com direção do lado direito, monumentos muitos, praças incontáveis, e menfigos, não vi nenhum, e olha que ficamos 12 dias em Montevideo. Já quanto a serr o maior de todos os tempos, digo: sou ferrarista, e nenhum piloto deu tantas alegrias aos “tifosis” do mundo todo. Claro que o alemão vai enfrentar problemas de readaptação, mas esperimentem comparar ele com o Rubinho, nas cinco primeiras provas. Jogo nio “schucrute”.
    Petry

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo