Publicidade

Publicidade
26/01/2010 - 14:40

Ainda as cores

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Não tinha visto, mas acho que muitos de vocês também não: a Fazzt, equipe que Alex Tagliani defenderá na temporada 2010 da Indy, lançou semana passada a pintura de seu carro, no Montreal International Auto Show. O toque de laranja-marrom (sei lá que cor é essa) quebra um pouco a sobriedade alvinegra.

Fazzt

E aí eu descobri que o capacete do Tagliani também tem esse maldito padrão tribal-espermatozóide. Acho confuso pacas. E de mau gosto. Eis:

Fazzt2

A propósito, para quem não sabe, os donos da Fazzt são os empresários Jim Freudenberg, Andre Azzi e… O ator e ex-piloto Jason Priestley, conhecido no Brasil por trabalhar no seriado Barrados no Baile, nos anos 1990. Não lembra? Olha a foto dele aqui.

Seu ápice nas pistas foi a participação na temporada 2002 da Indy Pro Series, hoje Indy Lights. O norte-americano abandonou as pistas no ano seguinte, com a morte do amigo Tony Renna durante treinos de pós-temporada em Indianápolis.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

11 comentários para “Ainda as cores”

  1. Ever Rupel disse:

    ouvi dizer q Alex Tag tb é sócio do time…

    Pergunta:
    o Jason Priestley deixou de correr depois de quase ter morrido numa prova do IndyLights, foi não?

    • Felipe Paranhos disse:

      Foi a primeira coisa que li também. Mas ele não consta entre os donos. Sobre o Priestley, o que lembro é que ele teve o acidente em 2002, ia voltar, mas aí o Tony Renna morreu no ano seguinte — aí ele parou.

  2. Olegário disse:

    Eu chamaria aquela cor de “Bronze”… mas pior que o padrão espermatozóide tribal é o padrão “Topo de Torta” que fica na cabeça de muitos pilotos, tipo o Webber,,,,

  3. Eu chutaria cor de bronze pras rodas…

  4. lastikas disse:

    Felipe acho que tá mais pra cobre do que pra laranjom.

    • Felipe Paranhos disse:

      Isso, isso. Sou ruim de cores, pra mim só tem seis ou sete.

  5. Pablo Habibe disse:

    Hoje em dia temos de reconhecer que a Indy, que já quis peitar a F1, é um espelho da GP2. Monomarca, mas com pilotos reprovados no vestibular do mundial. Os carros devem ser até mais lentos que os da categoria de acesso ao topo.
    Pra quem achava que eles eram uma ameaça real nos anos 90, ai está a resposta…

    • Felipe Paranhos disse:

      Acho que a coisa é um pouco mais complexa. Não acho que a Indy será um dia do tamanho da F1, mas tenho certeza que vai crescer.

  6. Verde disse:

    Mas o carro tá bonito, de qualquer modo. Só queria ver o patrocínio da Sears que ele utilizou na etapa de Edmonton, acho.

    Sim, a Sears, aquela dos anos 80.

  7. diogo_c disse:

    adorei o patrocínio da bowers & wilkins – eles fazem umas caixas excelentes para quem curte torrar uma nota num belo som!

  8. […] This post was mentioned on Twitter by Felipe Paranhos, Luis Fernando Kemp. Luis Fernando Kemp said: @ThaisNunesCWB veja quem virou dono de equipe na Indy… esperto… http://grandepremio.ig.com.br/2010/01/26/ainda-as-cores/ […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo