Publicidade

Publicidade
18/02/2010 - 08:19

Barriquismo, antibarriquismo e afins

Compartilhe: Twitter

59634557
Barrichello e o S do Senna no bico da Williams praticamente monopolizam as perguntas do Ao Vivo

Felipe Paranhos

Como muitos de vocês sabem, eu sou o responsável pela maioria das transmissões ao vivo do Grande Prêmio. E nesta jornada de testes coletivos em Jerez de la Frontera, na companhia de Marcelo Ferronato, que digita direto do circuito andaluz, tenho recebido ótimas perguntas e palpites de leitores. Mas o coletivo tem me espantado mais do que o individual. Vejo bastante interesse sobre a Virgin de Lucas Di Grassi, algumas questões sobre o possível rendimento de Felipe Massa ante Fernando Alonso, mas nada, nada supera a preocupação dos internautas em relação a Rubens Barrichello.

Chegam entre 70 e 80 emails por dia. Pelo menos 30 falam de Barrichello. Rendimento do motor Cosworth e suas consequências nas pretensões de título do brasileiro, a qualidade ou não do FW32, a possibilidade de Nico Hülkenberg dar trabalho… As mais diversas.

Isso me atenta para algo que notei em maio do ano passado, quando escrevi este texto para o finado Zeroforce. O deboche com que muitos tratam o piloto da Williams nada mais é do que rancor nutrido em relação àquele em quem foi depositada toda a expectativa da torcida de um país que só valoriza o campeão. Parece que não, mas muita gente caiu na conversa de “novo Senna”, em meados dos anos 1990. Por outro lado, há os que ainda torcem pelo sucesso de Rubens, piloto acima da média do grid atual, como para esfregar na cara de quem não acreditava no veterano.

Nenhum dos dois caminhos — extremos — é o ideal. Ainda me incomoda ver que no Brasil não apenas se torce doentemente pelos brasileiros — como se fosse errado não torcer para ninguém ou por um estrangeiro ou equipe em particular —, mas também se rotula o torcedor como Sennista, Piquetista, Barriquista, Massista, essas babaquices. Esse tipo de raciocínio serve tão apenas para elevar o tom das discussões e aproximar o automobilismo de uma mesa-redonda de futebol das antigas, uma Grande Resenha Facit enfiada garganta abaixo em blogs do tema.

Visto assim, como um campo de deboches e disputas entre torcedores apaixonados e reclamões, o automobilismo continua sendo assunto apenas para piadas no Casseta & Planeta e no Pânico na TV, além de objeto na mão da TV que transmite a F1 e chama as equipes por nomes aleatórios. Sem espectadores e fãs mais exigentes, que esperem mais do que a ladainha Brasil-sil-sil e os gritos contra os Dick Vigaristas do universo que não deixam os brasileiros ganharem, nada vai mudar.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,

Ver todas as notas

139 comentários para “Barriquismo, antibarriquismo e afins”

  1. Carlão disse:

    Realmente, há no país, uma verdadeira babaquice em torno de esportes. Se o cara não ganha, é ruim, se ganha é o melhor do mundo. Idiotice sem tamanho.
    Eu aprendi a gostar de F1 vendo o N. Piquet. Porém não sou PIQUETISTA. Aprendi a admirar o estilo do Villeneuve, do Fittipaldi, do Stewart, do Lauda etc.
    Para mim, não importa quem ganhe, desde que haja um bom nivel de competição.
    O Rubens Barrichello, É um bom piloto. É um gênio ??? Não, mas é um grande piloto e espero que ele tenha sucesso em sua carreira. Por ele mesmo. Não porque é Brasileiro. Mas sim por que acredita no que faz, e gosta do que faz. Se uma equipe de lato nivel, como a Williams acredita nele, por que nós, não devíamos acreditar ???
    Será que entendemos mais de corridas de F1 do que Sir Frank Williams ???

    • Eduardo disse:

      Perfeito seu comentário, Carlão. Minha relação com a F1, e outros esporte, é exatamente igual à sua. Eu gosto de esporte a motor, e pronto. Ah! eu comecei a gosta de F1 sem conhecer Fittipaldi e antes de Piquet se tornar notório, eu tinha 11 anos.

    • Luis disse:

      Perfeito….é isso mesmo…eu comecei a gostar de corrida vendo os pegas entre Emerson Fittipaldi e Mario Andret na Indy… eram d+….

  2. Rodrigo Medri disse:

    Muito bom essa sua análise, é facil perceber tudo isso em uma simples conversa no cafézinho da empresa…. !!!

  3. Tiago Fontes disse:

    Muito bom seu comentário, sou fã de Rubens Barrichello, vc resumiu bem esse “mal entendido” sobre o mesmo, pois o torcedor brasileiro pegou esse piloto para descontar todas as suas raivas, bando de hipócritas, pois o mesmo que mete o pau no Rubens é o mesmo que se tivesse uma oportunidade iria pedir um autografo, foto, abraço, etc. O mal dessas pessoas, que na realidade precisam de ajuda é: Tirar primeiro o tronco do seu próprio olho, para depois oferecer ajuda para tirar o cisco dos olhos dos outros. Lógico que gostaria que Rubens fosse campeão do mundo, todo ano torço para isso, e para falar a verdade não torço para Felipe Massa, não é por isso que vou meter o pau nele ou também ficar “aumentando suas qualidades” e criar expectativas que nunca poderam ser aucansadas. Obrigado.

  4. Rodrigo Medri disse:

    Muito boa sua análise, é facil perceber tudo isso em uma simples conversa no cafézinho da empresa…. !!!

  5. Cacá disse:

    Simplesmente impecavel seu comentario!!!!

  6. Edgard disse:

    http://www.oconsumidoremdebate.blogspot.com

    Enquanto o braslleiro encarar tudo como se vestisse a camisa de um time de futebol, nada vai mudar…

  7. Tomáz disse:

    Se ja deu pra ver que Williams não tem o melhor carro, pelo que viu até agora qual seria o melhor carro no seu palpite?

  8. Divani Felix disse:

    Demais!!!

    Tudo isso que comentou é a mais pura verdade.
    Comecei gostar de f1 desde a época do Piquet e Arton Sena e depois o Barrichello.
    Torço pelo o Barricello porque acredito que ele é um ótimo piloto, as vezes não tem tanta sorte como para outros as coisas parece ser mais facil.
    Mais a vida é assim mesmo você não pode agradar a todos!!

  9. Marcelo disse:

    A maioria das pessoas não assiste as corridas, ou quando assiste não entende nada, e sabe mais de F1 pelos programas de humor do que por pessoas que realmente passem informações coerentes. Por isso Rubens é injustiçado, mas quem realmente entende de F1 sabe do seu valor.

  10. Maicon Libardoni disse:

    Infelizmente a grande massa do povo Brasileiro e até dos que se acham “entendidos” de f1, não sabem porra nenhuma.

  11. Diego disse:

    É verdade. Mas você se esquece que um dos que mais rotula torcedores assim chama-se Flávio Gomes.

    • Felipe Paranhos disse:

      Mas tem gente que é assim. O que eu tô criticando é o próprio fato de as pessoas se sentirem “Sennistas” ou “Piquetistas” ou “Barriquistas” ou “Schumaquistas”, como se houvesse uma verdade universal, um herói em cada um.

  12. Heitor disse:

    Muito bem escrito Felipe Paranhos. Também sempre torci para o Rubens Barrichello e concordo que ele é um Piloto acima da média e merece um Título de F1 para encerrar sua carreira. Pilotos com menos Competência Técnica do que ele já o fizeram.

    • Felipe Paranhos disse:

      Oopa. Não disse que torci pelo Rubens. Nem que acho que merece um título de F1 para encerrar a carreira. Disse só que ele é acima da média. Mas concordo contigo quando você diz que pilotos piores já foram campeões.

  13. jaacesar disse:

    parabéns pela sua análise, totalmente neutra e impecável, grato.

  14. Guilherme disse:

    Belo texto. Flavio Gomes escreveu sobre Barrichello meses atrás e também foi muito feliz. Acredito que Rubens é Barrichello, Ayrton é Senna, Nelson é Piquet, Emerson é Fittipaldi e Felipe é Massa, cada um na sua e todos para o BRASIL. Só não dá pra se contentar com a fantasia do Brasil-il-il… isso pra mim é o mais triste!

  15. Julio disse:

    Excelente, eu sou fã da formula 1, já torci por Senna, PIquet, Barriquelo e outros, já torci contra o Schumacher e torci para sua volta, troci para outros estrangeiros? Sim dentre tantos digo, Vettel, Boutsen, Berger, Hakkinen, Alonso. No Final, para quem gosta de F1 o que importa são os pegas, as corridas emocionantes independentemente de quem transmite ou stá na pista. Claro que se for um brasileiro na frente melhor…. ….a única ressalva que faço para Barriquelo é que ele fala demais, coisa que outros, mesmo estrangeiros, fazem pouco ou não fazem, isso abala a forma com que ele deveria ser respeitado de forma totalmente negativa, uma pena para ele.

  16. Prof. Alexandre Santos disse:

    E dá-lhe Pachecos…. Coisas da “cultura” ditatorial forjada nos anos 60-70 e sedimentada pelo nosso jeito “brasileiro”, fomentado pela Rede Plim-Plim… É isso: o resumo do que somos em sua grande maioria. A cultura do coitado continua prevalecendo… E a nossa mídia repercutindo as mesmas coisas todo ano…

    Obs.: Barrichello não é gênio e nunca o disse ser. Mas respeitem esse piloto que tem uma carreira limpa (conturbada, sim), mas digna, mesmo nos tempos de Ferrari. Sim, sou fã de Rubens….

  17. Carlos disse:

    É a mais pura verdade. Torço para todos os brasileiros na F1. Na falta, torço para que aconteça um bom campeonato. O interessante é que cada geração se identifica com seu corredor; meu irmão mais velho é fã do Piquet, eu, peguei Senna e Barrichello e sou fão deles. Meu filho já fala muito do Massa. Mas o importante é que ser fã de um não significa massacrar o outro. Gostaria muito que o Rubens fosse campeão pela própria história de vida dele. Abraços.

  18. chulas disse:

    Existe um pouco de tudo dentro de um brasileiro que torce por F1, ou outro esporte qualquer, mas nao existe o entendimento, e isso faz a diferença, ja que analisamos tudo pelo lado da PAIXAO, esse é o paradigma do brasileiro. Já o Rubinho, vem para 2010 em busca do titulo de campeao, e acho que terá muita chance de ganhar sim, ja que, para este ano, o que vai valer sao as constantes em corrida, conservar os pneus, conservar o carro, ou seja, tudo aquilo que ele sabe muito bem fazer….o motor Cosworth aquenta? Sim, aguentará sim por que nao?

  19. Allan Rodrigues disse:

    Os rótulos são um mal que a sociedade carrega. Ouvi uma vez que o mundo precisa de “heróis”, e besteiras do gênero. No mundo de hoje, só é valorizado a pessoa que se mostra vencedora o tempo todo, e não existe mais espaço para aqueles que uma hora vencem, outra não. Barrichello é uma vítima dessa hipocrisia. A crítica precisa ser construtiva. Muitos que são melhores que os outros se acham no direto de criticar aqueles que não são destaque. Mas é uma triste realidade quando se diz “the second place is the first to lose”. Sou fã das corridas, da velocidade, do automobilismo. Sou Ferrarista declarado, muito antes de Barrichello e Massa… Senna era muito bom, e daí? Piquet o mesmo, Fittipalddi também… Mas e Puppo Moreno, Carlos Pace, Wilson Fittipalddi, Luciano Burti, e mais um sem número de pilotos da safra brasileira? O próprio Senna foi vítima dessa cobrança: quando, depois de 1991, começou a apenas ganhar uma corrida aqui e outra ali depois de três campeonatos, perdeu o equilíbrio emocional, estava numa Wiliams “de outro planeta” que não ganhava nada, pediu para reduzir o diâmetro da barra de direção e deu no que deu. SENNA FOI VÍTIMA DAS COBRANÇAS DELE MESMO E DE TODOS NÓS, pois na cabeça dele e na nossa, somente prestava que ganhasse sempre. Aí veio Barrichello, carregando a responsabilidade de ser “o novo Senna”, e acabou se mostrando quem ele era: apenas Barrichello. E como ele não era Senna, foi rotulado de “pé-de-chinelo”. Puta hipocrisia. Cada um é bom ao seu modo, e é isso que precisa estar claro: não é porque o cara não foi campeão, não foi um Senna ou um Schumacher que não é bom… Fora os outros pilotos estrangeiros aos quais sempre tive muito apreço: Berger, Alesi, (Damon) Hill, Prost, Mansell, Fangio, Lauda… reconhecer o valor daquilo que é extra-pátria é sim, admitir que existe muita qualidade e competência dos lados de lá, como aqui também. Tanto é ridículo esse movimento de fanatismo tupiniquim que a Rede Globo, no GP do Brasil, lançou a ridícula campanha de “vamos secar o Button”. Sinceramente, é muita babaquice. Quando o brasileiro tirar as tapas dos olhos, vai crescer e muito em dignidade e respeito pelo outro e por aquilo que não é de seu país.

  20. Delmar Viana disse:

    Cadê o S do Senna no bico da Williams???

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo