Publicidade

Publicidade
24/03/2010 - 13:26

Lights: um brasileiro e uma musa

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Neste fim de semana começa a temporada 2010 da Indy Lights. Com menos brasileiros, mas com bons nomes. Rodrigo Barbosa é o único piloto daqui confirmado para o campeonato. Agora na PDM, o piloto terá uma situação muito mais amigável do que no ano passado: a ELFF, equipe brasileira, era terrível, um desastre. O time, que tinha sede em Asheville, na Carolina do Norte, teve desempenho pífio em 2009, sendo cerca de 3s mais lento do que os rivais em mistos e até 5s em ovais.

A PDM, equipe do brasileiro para este ano, teve passagem curta pela categoria em 2009, mas o rendimento agradou bastante. Com o holandês Junior Strous,  dominou as duas primeiras corridas na temporada. Um episódio de bebedeira, porém, fez com que Strous perdesse o patrocínio da Shell, e a PDM deixou o campeonato.

Strous, novamente com o patrocínio da petrolífera, agora corre na HVM, que estreia programa de acesso à Indy. A Bryan Herta, que ano passado adotou em algumas corridas o talentoso brasileiro Felipe Guimarães, terá Sebastian Saavedra, terceiro colocado em 2009 pela AFS/Andretti Green, e Stefan Wilson — irmão mais novo do Justin.

A Andersen, agora sem a Rahal-Letterman, promove a estreia de Carmen Jordá na categoria. A pilota, que veio da F3 Espanhola, assume o lugar que foi de Mario Romancini. Não se deve esperar, porém, muita qualidade na pilotagem — ela deve aparecer mais por seus atributos físicos. Outro que vem da F3 Espanhola é Adrián Campos Jr, filho do quase chefe de equipe na F1, que será companheiro de James Hinchcliffe na Moore.

A já citada AFS/Andretti terá Charlie Kimball e Martin Plowman para tentar repetir o título conquistado por JR Hildebrand. A Sam Schmidt, pela qual correu Bia Figueiredo, vai com o canadense Philip Major, a inglesa e fraquinha Pippa Mann e o francês JK Vernay.

A Genoa terá Richard Kent, a novata Cape vai com Gustavo Yacaman, ex-companheiro de Bia na Sam Schmidt, e o Team E entrega o carro de número 17 a Jay Heylen. A Walker aposta em Jonathan Summerton, aquele mesmo que foi especulado na USF1 tempos atrás. Ele foi vice-campeão da finada F-Atlantic em 2009.

Alliance, Brian Stewart, Davey Hamilton/Kingdom, ELFF e PBIR, esperadas para este ano, não têm futuro definido.

Atualização em 26/03:  A Sam Schmidt confirmou também James Winslow, britânico campeão da finada F3 Ásia em 2006 e da F3 Australiana em 2008. No ano passado, correu pela Genoa na última — última mesmo — temporada da F-Atlantic.

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , , , ,

Ver todas as notas

12 comentários para “Lights: um brasileiro e uma musa”

  1. bru1 disse:

    MUITO BOM TEXTO….VAMOS DAR MAIS ATENÇAO PARA A INDY LIGHTS….UMA OTIMA CATEGORIA

  2. Diogo disse:

    E que “atributos” belos tem a Carmem Jordá!!!!

    A Indy está se tornando uma categoria muito GOSTOSA de se ver…

  3. marcelo ivo disse:

    Apaixonei-me pela vivente…

    E o Felipe Guimarães…que fim levou???

    • Felipe Paranhos disse:

      Sabe que eu não sei? Vou descobrir. Não foi anunciado em lugar nenhum esse ano.

  4. Rodrigo disse:

    ê lá em casa!

  5. Olegário disse:

    Me divirto com esse post estilo “minha tia fofoqueira comentando a Indy Ligths”…

    …Juro que não é zoeira, gostei de verdade.

  6. Lucas Martin disse:

    será que ela sai no paparazzo?? melhor se fosse na sexy….

  7. carlos giacomello disse:

    de quem é a equipe ELFF, que dizem ser brasileira?

    • Felipe Paranhos disse:

      Do engenheiro Edson DeGobbi, paulista radicado em Asheville.

  8. bru1 disse:

    e o Guimares q fim levou:????? 2;

  9. derek warwik disse:

    Pippa Mann fraquinha? Deixa de ser preconceituoso e vai pilotar um fórmula seu paranhos…

    • Felipe Paranhos disse:

      Ela pode dizer que eu sou um jornalista fraquinho, se quiser. Eu posso dizer que ela é fraquinha como pilota, se quiser. O que ninguém pode fazer é me chamar de mau piloto, porque não é o que eu faço, não é minha profissão.

      Preconceituoso? Então é assim? Só porque é mulher, tenho que dizer que é boa, qualificada, puro talento? Ridículo.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo