Publicidade

Publicidade

Arquivo de março, 2010

23/03/2010 - 16:25

Cose Della Vita

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Trident, da GP2, treina em Paul Ricard nesta terça e nesta quarta com um patrocínio inusitado: a turnê do cantor italiano — como a equipe — Eros Ramazzotti. Sei lá, é meio inútil, mas achei curioso. Nem sabia que esse cara existia ainda.

Atualização às 18h38: Aí o Verde, que sabe tudo de GP2 — leiam o blog dele aqui — avisa que o Ramazzotti patrocina a Trident desde 2006. E eu fico com cara de bunda porque nunca reparei.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , ,
23/03/2010 - 12:20

Coincidências

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Sabem a caixa de leite Bom Gosto autografada por Will Power, vencedor da etapa de São Paulo da Indy? Foi arrematada por R$ 300 por um usuário que criou seu perfil no site de leilões Toda Oferta no dia 21 de março, exatamente uma semana depois da corrida.

Os lances, que começaram em R$ 120, vinham subindo de R$ 2,50 em R$ 2,50. E estavam em R$ 250, quando o usuário BORELA___MALB fez uma oferta de R$ 300 e levou a “peça única para o automobilismo brasileiro”.

BORELA___MALB está cadastrado no site como sendo de Tapejara/RS, que é a cidade onde fica a sede do…

Laticínio Bom Gosto.

Não são legais as coincidências?

Atualização às 15h59: E não é que parece ter sido encontrado quem adquiriu a caixa? O internauta Rodrigo mostrou o link do site da Oficina Mecânica Malb, de Tapejara, cujo chefe é Antonio Carlos Borela. Com isso, a gloriosa oficina acaba de ganhar audiência via BloGP, olha que beleza.

Atualização às 9h48 de 24/3: Leiam comentários.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , , , ,
20/03/2010 - 14:52

Senna por Da Matta

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Ontem, conversei com Cristiano da Matta sobre as memórias que ele tinha do Ayrton Senna em sua carreira. Como são de gerações diferentes (o piloto mineiro tem 36 anos), a influência do tricampeão nos passos de Cristiano foi, por assim dizer, virtual. Mas, mesmo assim, a força que Ayrton teve no automobilismo europeu e as pegadas que deixou no mundo do esporte-motor chegaram a seduzir Da Matta a não tomar o caminho dos Estados Unidos, no início da segunda metade da década de 1990.

Na ótima conversa que tivemos, ele falou um pouco também sobre a trajetória dele. Curtam aí.

“A imagem que ficou dele lá fora é aquela que ele criou — que os resultados que ele conseguiu criaram, na verdade, né? Ele é sempre visto como um cara da velocidade, um dos maiores que já existiram — pra não dizer o maior, na verdade. É opinião de 100% das pessoas do meio.

Durante o crescimento no automobilismo, ter um cara como ele para olhar é algo que não tenho palavras para descrever. Já para seguir, não é muito fácil se espelhar naqueles passos, mas ter alguém para se espelhar e tirar algo de bom, aprender, foi ótimo, não tem o que falar.

[Quando Senna morreu,] Eu era novo no automobilismo, estava começando a fazer F-Ford, estava para começar a F3. Eu estava naquela parte de aprendizado, ainda começando a dirigir fórmula. Só de assistir correr já era bom para quem queria caçar coisa para aprender, procurar. Era um exemplo fantástico.

Essa parte [deixar a Europa] é sempre muito díficil. Naturalmente, a maior parte dos pilotos tem como objetivo final a F1, porque é para onde todo mundo alimenta o sonho. Mas para mim foi engraçado, porque naquela parte eu tive que tomar a decisão de abandonar a europa porque estava ficando cada vez mais difícil, precisando de dinheiro, de patrocinador, para subir. Era caro, quase impossível. E nos Estados Unidos as perspectivas eram mais realistas, existiam muito mais oportunidades.

É claro que a F1 pesava na nossa cabeça, mas tem horas que tem ter pé no chão, ser menos emoção. Eu dei muitas voltas, mas de um jeito ou de outro cheguei lá. Hoje, acho que eu fiz o caminho certo, embora seja difícil dizer como seria se eu tivesse feito diferente. Eu consegui chegar contratado, sem ter de levar um centavo de patrocínio. Não é como um grande resultado ou uma vitória, mas chegar lá sem dinheiro, sem patrocínio pra levar era uma coisa complicada. Sempre tive sorte e bom relacionamento com as montadoras. Mas, quando eu tive que decidir, era difícil colocar o pé no chão pensando no Senna e na situação que ele teve lá.”

Grande cara, o Cristiano. Que seja feliz com a Iveco na Truck.

Autor: - Categoria(s): F-Truck, F1 Tags: , , , ,
17/03/2010 - 15:56

Vai leite aí?

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Sabe aquela fabulosa iniciativa de dar o leite tradicional de uma, eu disse uma, grande etapa da Indy ao vencedor do GP de São Paulo deste ano? Então. A caixa que recebeu o olhar de “What the fuck?” do Will Power foi posta a leilão pela fabricante depois de autografada pelo ótimo australiano.

Está neste site aqui. A descrição do objeto leiloado convida você a não perder essa chance de adquirir “uma peça única para o automobilismo brasileiro, que teria espaço em qualquer museu da velocidade, mas que pode muito bem entrar para sua coleção”. Uma beleza.

O dinheiro arrecadado será doado para um projeto de educação no trânsito, diz o texto. Mas, até agora, não é muito: passado um dia do início do leilão, foram apenas cinco lances — o maior deles, que levaria a caixa se o martelo fosse batido agora, em R$ 132,50. O lance inicial foi de R$ 120.

Interessados?

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , , ,
15/03/2010 - 08:30

Até o Bahia!

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Pelo visto, esse negócio de misturar futebol e automobilismo pegou mesmo — só não se sabe até quando. Depois de o Corinthians estampar sua marca em equipes da Superliga, da Stock Car, do GT3 e da Truck, e de o Flamengo quase seguir o mesmo caminho, mantendo apenas o carro da categoria internacional, temos um novo representante clubístico no esporte-motor brasileiro.

Acreditem: é o Bahia.

O clube tricolor vai anunciar hoje que o piloto baiano Patrick Gonçalves, campeão da classe Master da Stock Jr. em 2008, vai levar o símbolo do clube no Mini Challenge, campeonato que estreia neste ano em terras brasileiras.

Em tempo: nesta semana, o Bahia pegou um empréstimo de R$ 1 milhão para pagar o 13º — sim, de 2009 — e o mês de janeiro aos funcionários a que devia.

P.S. em 16/03, 13h57: O Bahia informa que o clube não vai gastar nem ganhar nada com a empreitada. Menos mal.

Autor: - Categoria(s): Stock Car Tags: , , ,
11/03/2010 - 13:58

A nova musa

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Sebastian Vettel teve Kate. Mas ele não cuidou bem dela, até brigou com Robert Kubica. Depois, veio a Irmã Safada da Kate. Essa, sim, era boa. Com ela, Vettel ganhou quatro corridas em 2009. Mas veio o momento de aposentá-la.

Agora, o alemão ganhou uma nova paixão. Luscious Liz, a Liz Voluptuosa. Eis:

O nome dado por Vettel ao carro novo me lembra uma banda que eu gosto pacas. Dando uma de Francisco Luz, aê-ó:

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
10/03/2010 - 10:38

Monange e Bia

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Monange, fabricante de hidratantes, vai patrocinar Bia Figueiredo na etapa de São Paulo da Indy, neste fim de semana. Legal que a pilota esteja conseguindo atrair apoios pelo fato de ser mulher. Negócio é negócio, e aos poucos marcas brasileiras vão se interessando por Bia.

Que seja assim também no resto da temporada.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , ,
10/03/2010 - 10:28

Indy, Firestone e Twitter

Compartilhe: Twitter

BloGP também é serviço: a Firestone, fornecedora histórica de pneus para a Indy, está fazendo algumas promoções em seu Twitter e dando a seguidores os mais diversos prêmios — de camisetas a ingressos para a etapa da categoria em São Paulo, neste fim de semana, com todas as despesas de transporte pagas.

Os seguidores participam de desafios (já está no 21) e concorrem aos prêmios. A página promete ser atualizada com informações de bastidores. Acompanhemos, pois.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
07/03/2010 - 14:56

Pura loucura

Compartilhe: Twitter


Nada de Mansell: queria as piadinhas que fariam com o Oswaldo Montenegro

Felipe Paranhos

Nigel Mansell afirmou que não descartaria voltar à F1 se fosse convidado. É claro que ele não vai ser convidado. Ninguém colocaria um cara de 56 anos para dirigir um carro daquele.

José Henrique Poletti, fisioterapeuta da Renault, afirmou a Marcelo Ferronato, nosso repórter na Europa, que a idade-limite para um piloto de F1 deve ser 45 anos. Mansell pensa diferente, com base nos esforços que tem feito no comando de um carro da Le Mans Series.

Mas o que eu quero saber de vocês é o seguinte: se Mansell pudesse, qual outro piloto aposentado vocês gostariam de ver na F1?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , ,
05/03/2010 - 12:45

Grande Prêmio adota "Hispania" para designar time

Compartilhe: Twitter

O Grande Prêmio dará preferência ao nome “Hispania” para se referir à equipe de Bruno Senna, embora o time apareça na lista da FIA como “HRT”, abreviação de Hispania Racing Team. O nome por extenso, ao lado de um logotipo que apresenta um H estilizado sobre fundo vermelho, apareceu na apresentação do carro ontem em Múrcia, na Espanha. A equipe é muito nova e talvez nem mesmo seus membros saibam como chamá-la oralmente. Ao longo do fim de semana do GP do Bahrein isso deverá ficar claro. Se os próprios pilotos e engenheiros passarem a se referir a ela como “HRT”, o site também fará assim. Caso contrário, o nome completo será usado.
 
Eventualmente a sigla “HRT” poderá aparecer em títulos de matérias no Grande Prêmio por pura conveniência de tamanho, como acontece às vezes com a Red Bull e a Toro Rosso.

Equipe Grande Prêmio – @grandepremio

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,
Voltar ao topo