Publicidade

Publicidade
18/05/2010 - 11:07

Bia 500

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Bia Figueiredo visitou o Museu do Hall da Fama do circuito de Indianápolis, que tem um acervo bastante extenso da história do oval mais famoso do mundo.

“O acervo tem cerca de 75 carros e mais uns 100 carros no porão, onde são conservados. Tem exemplares de tudo o que já correu lá, como carros da F1, da Nascar, da Indy e motos. Além de troféus, fotos e veículos, tem um cinema exibindo filmes sobre a história do circuito”, disse Bia, que vai disputar a prova pela Dreyer & Reinbold, com patrocínio da Ipiranga — mesma empresa que a apoiou na etapa de abertura da temporada, em São Paulo.

Bia ainda tirou uma foto ao lado do carro de Janeth Guthrie, primeira mulher a participar das 500 Milhas. Boa sorte para a paulistana.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , ,

Ver todas as notas

10 comentários para “Bia 500”

  1. Diogo disse:

    Felipe, o apoio da Ipiranga é só pra essa etapa?

    Bem que a Ipiranga poderia tirar o escorpião do bolso e ajudar a Bia. Ela tá merecendo.

  2. Tiago disse:

    É uma lástima ver a Milka Duna correndo e a Bia parada, só podendo correr duas provas… tomara que em breve ela consiga equipe e patrocínio pra correr uma temporada inteiro, porque ela é melhor que muito piloto da Indy e tem tudo pra fazer sucesso.
    Vamos torcer para que ela faça uma grande prova em Indianapólis, o que com certeza deve ajudá-la nesse sentido…

  3. MisterM disse:

    Estreante mais rápida e, Indy junto com os veteranos, sem contar que ficou parada no primeiro oval da temporada.
    Além disso é lindia!!! Me liga! ;o)

  4. MisterM disse:

    Agora, ela não consegue patrocínio pq esse post tá aqui escondido ao invés de estar no site principal…
    Não colocam o twitter dela…
    Depois reclamam q a moça não tem patrocínio…

  5. José Benedito Vizioli Libório disse:

    Sinceramente, eu gostaria de saber pq a Bia, pilota (é esse o termo? ou é corredora?) talentosa, capaz , não conseguir patrocínio para uma temporada inteira… Lamentável!

    • José Benedito Vizioli Libório disse:

      Olha a classificação: Bia, de Silvestro e Danica…

      E a Bia não tem patrocínio….

    • Lima disse:

      Simples, quem patrocina quer vender algo.
      Uma temporada de indy vai na casa dos milhões, então é preciso um bom retorno de imagem para o patrocinador.
      E, infelizmente, o custo-benefício do automobilismo é cada dia mais baixo.
      Tá mais barato um merchan no Pânico que tem 10 pontos que uma temporada de Indy q qndo passa, mal marca 4 pontos.
      A realidade é dura mesmo.

      Agora, vou dar outra opinião.
      Acho que a Bia seria um ótimo produto se ela explorasse mais o fato de ser mulher.
      Iria ter muita marca querendo se associar a imagem de uma mulher que compete com sucesso contra homens todos os dias, vitoriosa e que ‘mesmo assim’ não deixa ser ‘feminina’.

      Falta um trabalho de imagem que pare de querer dizer q ‘ela é tão boa qnto um homem’; pois esse não é o ponto. A Bia é uma mulher vitoriosa em absoluto e não em relativo.

  6. Racer-X disse:

    Eu sou fã da Bia. Eu vi a primeira vitória na Lights integralmente via Internet. Foi um dia que tudo deu certo para ela e para mim também. O streaming de vídeo foi praticamente direto, SEM ENGASGAR, numa conexão de 600kbps. : )
    Aquela bandeira amarela certa, que atende pelo nome de MICA, digo, MILKA DUNO, com a graça do bom Deus, não vai correr. É MAIS SEGURO e um ALÍVIO pra todo mundo: para o público, para os outros pilotos e até para ela mesma, já que DEUS protege, mas quando percebe que não faz por merecer, ABANDONA.
    ; )
    A diferença entre a Milka e a Bia, saindo do mérito do abismo técnico entre as duas, é apenas o petróleo que as abastece. A Ipiranga é uma companhia grande, mas não se compara com a gigantesca PDVSA, que com o dinheiro do sofrido contribuinte venezuelano, patrocina a bela porém 200% incompetente pilota nacional. Bem que Hugo Chávez poderia usar esse dinheiro tão mal gasto para tornar um pouco melhor a vida dos milhões de venezuelanos que estão abaixo da linha da pobreza. : /

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo