Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho, 2010

29/06/2010 - 10:33

Grande ideia

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Os companheiros do F1BC, liga de automobilismo virtual na qual eu corri por um tempo e reapareço sempre que o trabalho permite — ou seja, quase nunca :) —, tiveram uma ideia bem legal para ajudar os municípios de Alagoas e Pernambuco atingidos pelas chuvas do fim de outono.

(Aliás, já perceberam como as grandes TVs fazem uma cobertura destes incidentes muito mais tímida do que no caso de Santa Catarina, dois anos atrás? Por que será?)

Voltando, vamos lá: o pessoal da liga, capitaneada pelo Rodrigo Wizard, decidiu fazer o GP da Solidariedade. No circuito virtual de Caruaru, haverá uma prova com os carros do BTCC — o Campeonato Britânico de Turismo.

A proposta surgiu porque um dos pilotos da liga, Rafael Ferreira, é morador de União dos Palmares, uma das cidades atingidas de maneira mais intensa pelas chuvas. “O nível do rio aumentou muito rápido. Tentamos ajudar os vizinhos a tirar o que podiam de suas casas. Por sorte não fui atingido, pois vivo em local alto, mas muitos dos que moravam próximos a mim perderam tudo. Entre os desaparecidos e mortos sempre encontramos um conhecido ou amigo. As cidades foram destruídas e precisam de ajuda”, disse Rafael.

A corrida acontece no dia 9 de julho — nada a ver com o meu digníssimo aniversário. A inscrição,  válida até o dia 2, é uma doação de no mínimo R$ 10 para as contas bancárias abertas pelo Corpo de Bombeiros de Alagoas. Eis os dados: no Banco do Brasil, Conta Corrente nº 5241-8 / agência 3557-2;  na Caixa Econômica Federal, agência 2735 / operação 006 / conta 955-6. Serão aceitas até 90 inscrições para as três baterias de 30 minutos, além da bateria final.

O vencedor ganha um exemplar do livro “História do Automobilismo Brasileiro”, da Ed. Sextante.

Autor: - Categoria(s): Virtual Tags: , , , , , ,
28/06/2010 - 10:36

Mestre

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Valentino Rossi sabe das coisas. O italiano sabe como utilizar todo tipo de mídia, espontânea ou não, a seu favor. Um capacete divertido, um macacão novo, um cartaz na arquibancada, uma fantasia, uma frase engraçada, uma declaração curiosa… Ele está em toda parte. Quanta coisa Rossi trouxe de bom para o motociclismo…!

É por isso que Valentino é o maior ídolo do esporte a motor desde Ayrton Senna. Michael Schumacher atraiu tantos seguidores quanto críticos. Todo mundo gosta de Valentino. Ou não?

O personagem Rossi me veio à cabeça depois de a amiga Luana Marino me mostrar a foto de fãs do italiano que o homenagearam no paddock de Assen, na Holanda, neste fim de semana. E de pedir para que eu visse o novo site do piloto. Vou fazer o mesmo com vocês. Cliquem aqui, escolham a linguagem,  pulem a introdução e comentem aqui: esse cara sabe ou não sabe das coisas?

Autor: - Categoria(s): MotoGP Tags: , , , ,
25/06/2010 - 09:23

Só Bernie não vê

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Copa do Mundo está, mesmo, na cabeça dos pilotos neste fim de semana. Aliás, com a quase-coincidência de horários entre as sessões do GP da Europa e os jogos da Copa, todo mundo dá um jeito de homenagear suas seleções.

É o caso de Rubens Barrichello, que corre com sapatilhas amarelas, com uma bandeira do Brasil bordada em cada pé. Ou de Lucas Di Grassi, que levou à Espanha o capacete comemorativo que tem o verde-amarelo em destaque e uma arte com os pavilhões de seleções da Copa no fundo.

Felipe Massa, Fernando Alonso e Michael Schumacher levam — pelo segundo GP seguido — bandeirinhas de seus países nas pontas das viseiras, enquanto a Williams exibe a Inglaterra no topo de um de seus motorhomes.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,
24/06/2010 - 18:39

Todos pela Espanha na Copa

Compartilhe: Twitter

Valência recebe a F1 neste fim de semana para a disputa do GP da Europa, com a realização dos primeiros treinos livres nesta sexta-feira (24). Porém, todas as atenções da Espanha estarão concentradas para um evento que será realizado horas depois: a partida da seleção espanhola contra o Chile na Copa do Mundo. A torcida da Fúria terá três fãs especiais: Fernando Alonso, Jaime Alguersuari e Pedro de la Rosa.

Durante a entrevista coletiva da FIA feita nesta quinta-feira (23), os pilotos espanhóis da F1 foram questionados sobre a Copa e sobre a torcida deles. Os três se mostraram muito confiantes na vitória da equipe ibérica.

“Vamos vencer”, disse Alguersuari. Alonso se mostrou ainda mais otimista. “Fácil, fácil, fácil. Vamos vencer, com certeza”, afirmou.

Logo após essa declaração, De la Rosa perguntou ao seu antigo colega de McLaren se estava se referindo ao jogo contra o Chile ou à final. Foi aí que surgiu o Alonso corneteiro, bastante exigente com a seleção de seu país. “Chile [respondendo a Pedro]. Se não vencermos, não merecemos…”, falou Fernando, referindo-se ao favoritismo da Espanha.

O piloto da BMW Sauber também demonstrou confiança no futebol de seu país. “Acredito que será um grande ano para nós na Copa do Mundo. Vamos fazer bonito. Eu realmente torço muito para a Espanha. Gosto da atitude deles e como os jogadores estão desempenhando isso.”

A Fúria é a atual campeã europeia, sendo apontadas como uma das grandes candidatas ao título na África do Sul. Porém, o time começou mal, perdendo para a Suíça por 1 a 0. Na segunda rodada, se recuperou, ganhando de Honduras por 2 a 0. Para evitar uma eliminação prematura e surpreendente, precisa superar os chilenos. Caso empatem ou percam o jogo, precisarão de uma combinação de resultados para passar às oitavas.

Um italiano eliminado e um metade russo, metade espanhol

Os espanhóis não eram os únicos na coletiva. Vitantonio Liuzzi e Vitaly Petrov também foram perguntados se estavam acompanhando a Copa. A entrevista aconteceu antes da partida da Itália, e, por isso, o piloto da Force India respondeu que dependia do que aconteceria dentro de algumas horas para saber se continuaria vendo a competição.

A Itália, campeã mundial em 2006, perdeu para a Eslováquia por 3 a 2 e foi eliminada da Copa ainda na primeira fase, em um dos maiores vexames da história do futebol italiano. Ficou a dúvida se Liuzzi continuará assistindo ao torneio.

Já Petrov não teria para quem torcer, já que a Rússia foi eliminada ainda nas eliminatórias e nem foi para a África. Mesmo assim, o representante da Renault encontrou uma seleção para apoiar. “Gosto de ver a Espanha jogando. E eu também moro aqui, então eu também vou torcer para a Espanha amanhã.”

O comentário do russo rendeu uma declaração descontraída de Alonso: “Bom…”

Marcus Lellis – @marcuslellis / Lellisblog

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,
23/06/2010 - 11:25

FIA 1×0 F1

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A FIA definiu novas regras para a temporada 2011 da F1. Uma delas, para mim a mais marcante, é o retorno da regra dos 107% para a classificação. Falo logo aqui: sou contra. Acho antidesportiva, panaca, coisa de equipe criada por vó.

No texto do documento do Conselho Mundial, entretanto, há uma graciosa exceção. Vamos lá: “Em circunstâncias excepcionais, o que pode incluir uma volta adequada nos treinos livres, os comissários podem permitir que o carro comece a corrida. Caso haja mais de um piloto nesta situação, o grid será definido pelos comissários”.

Fernando Alonso bate na classificação. Não faz tempo. Tá fora da corrida. Opa! Mas tem a regrinha marota da FIA! E, de repente, os comissários anunciam que, no caso do espanhol — ou de Massa ou de Hamilton ou de Button ou de Schumi —, será admitido o tempo do treino livre. Não é legal e justo? A Hispania se mata para conseguir ficar a menos de 107% do tempo do líder, mas se uma Ferrari não conseguir, simplesmente vira-se o lado da regra.

Nessas horas, eu sinto saudade do Max Mosley do fim do mandato, que peitava o chororô de Montezemolo, que dava força às equipes pequenas, que ajudou a impedir que a F1 tivesse um ridículo grid de 18 carros. Acho que esta decisão do Conselho Mundial dá um pouco do tom que terá a gestão Jean Todt, protegendo as grandes e seus valores simbólicos avalizados por auditorias — mais interessadas em quanto vale a marca do que na sua real representação no esporte.

Vale ressaltar que, neste ano, se a regra dos 107% estivesse em prática, chegaríamos ao cúmulo de ter 21 carros no grid no GP da Malásia, em que Bruno Senna, Karun Chandhok e Lucas Di Grassi não se classificariam. A Hispania não correria o GP do Bahrein, Senna não disputaria o GP da Espanha e Chandhok não estaria no grid de Montreal.

Isso é bom para o esporte? Usando um exemplo do excelente Keith Collantine, do F1Fanatic, se nas 24 Horas de Le Mans o último carro a se classificar chega a ser 29% mais lento do que o líder — e La Sarthe é mais estreito do que a maioria dos circuitos da F1, além de que se corre à noite —, não há razão para que os pilotos da F1 chiem tanto ao encontrar pela frente um carro só 7% ou 8% mais lento.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,
21/06/2010 - 13:17

Estatoscas varzeanas

Compartilhe: Twitter

João Paulo Borgonove

Amante da várzea que sou, resolvi fazer uma brincadeira com a classificação da F1. Três equipes novatas, seis pilotos capengando pelo grid. E qual é o melhor time? Quem seria o Campeão da Várzea? Pois é. Heikki Kovalainen, com sua bela Lotus, está em primeiro, o que não é surpresa alguma. Mas ele não está sozinho. E sabe quem acompanha o nórdico nas glórias dos pobres? Karun Chandhok. Sim. O indiano da Hispania é o mais consistente dentre as novatas, junto de Kovalainen.

Os critérios de avaliação foram fracos, segundo um pululante escriba dinamarquês, mas não o relevei, pois ele não entende de várzea. Peguei a classificação final das oito corridas já disputadas e fiz um grid separado, apenas com os seis novéis, de acordo com a classificação final da corrida. E então distribuí pontos. Seis para o vencedor, cinco para o segundo colocado, quatro para o terceiro… e assim por diante, até o sexto e último colocado, que anotou um ponto.

Kova e Chand somaram 33 pontos, mas o finlandês leva vantagem por ter quatro vitórias, contra uma do indostânico. A terceira colocação ficou com o brasileiro Lucas Di Grassi, da Virgin, com 29 pontos, seguido por Jarno Trulli, da líder Lotus, com 26. Bruno Senna, da Hispania, é o quinto, com 24 pontos somados, um a mais que o alemão Timo Glock, da Virgin. Dentre as equipes, a Lotus aparece na frente, com 59 pontos, dois a mais que a Hispania. A Virgin é a terceira e última, com 52 pontos.

Com esse mesmo esquema de pontuação, mas nas classificações, a Lotus segue liderando, mas com uma vantagem muito maior. Kovalainen é o primeiro, com 42 pontos, um a mais que seu companheiro de equipe, o italiano Jarno Trulli. Glock é o terceiro, com 37, seguido por Di Grassi (20), Senna (17) e Chandhok, com 11, mostrando que o indiano é bom em conservar o carro durante as corridas.

Essas estatísticas podem ser inúteis, mas dão uma ideia do desempenho das novatas. É uma bobagem, se analisarmos profundamente, mas está valendo. Afinal, sem o Campeonato da Várzea, os últimos nunca serão os primeiros.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , ,
17/06/2010 - 13:08

Pobre Soucek

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Depois de um início de carreira promissor e uma passagem numa equipe fraca da GP2, o piloto vê surgir uma oportunidade em uma nova categoria de acesso à F1, abençoada pela FIA e bonita por natureza.

Carros bons e potentes, pilotos talentosos, boa repercussão na imprensa e o melhor: tinha o apoio da Williams. A F2 era a salvação dele. Pensou: “É com essa que eu vou”.

O domínio começou cedo e foi até o fim da temporada. Andy Soucek era o primeiro campeão da F2. Pintou o teste prometido pela Williams… e só. O lugar de piloto de testes, pretendido pelo espanhol, ficou com o inexperiente Valtteri Bottas.

Depois, nada. Os patrocínios não eram pomposos o suficiente para comprar um lugar numa equipe menor e, aos poucos, as vagas foram escasseando.

No fim, apareceu uma chance de segundo piloto de testes da Virgin, graças à perda do patrocínio de Álvaro Parente. Mas não há integrante mais apagado na descontraída equipe de Richard Branson.

Soucek é para a Virgin menos do que é Fairuz Fauzy para a Lotus ou Sakon Yamamoto para a Hispania. Além de fora dos planos, ainda passa pelo vexame de implorar por uma chance de participar de um treino livre. Andy disse que manda e-mails toda semana aos chefes da equipe. Que papel.

Agora, já disse que pensa na Indy. É o melhor que faz.

Autor: - Categoria(s): F1, F2 Tags: , , , ,
14/06/2010 - 08:55

Tá explicado

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Na sexta-feira: “Chandhok se oferece à Force India para 2011 e exalta seu rendimento na F1”.

No sábado: “Chandhok descumpre acordo com Hispania e pode perder vaga”.

Não que seja muito difícil deduzir, mas ficou ainda mais claro que Karun cava tanto um lugar na Force India porque é esta a melhor (a única?) chance de ele ficar um tempo razoável na F1. Chandhok admitiu que a maioria dos possíveis patrocinadores contatados na Índia fica em cima do muro entre apoiar um piloto indiano e uma equipe indiana. E, convenhamos, ele está em desvantagem nesta disputa.

Adrian Sutil leva patrocinadores para a Force India, como se sabe. E é mais de quatro vezes o que Chandhok prometeu e — segundo o “Hindustan Times” — não cumpriu para a Hispania. Sendo assim, e adicionando a esta questão o fato de que o time de José Ramón Carabante continua precisando de dinheiro, Karun pode ficar sem nada nas mãos.

Já pensou, Christijan Albers de volta à F1? Ainda bem que não há mais reabastecimento…

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,
08/06/2010 - 15:34

Abertura da Copa x F1

Compartilhe: Twitter

Sexta-feira, dia 11 de junho, 11h, horário de Brasília. Dia e hora da abertura da Copa do Mundo, África do Sul e México. O jogo até pode não ser aquela Brastemp, mas Copa é Copa.

Longe da África, em Montreal, no mesmo dia, na mesma hora, começará o primeiro treino livre para o GP do Canadá de F1.

Sim, enquanto o mundo está de olho no estádio Soccer City, em Joanesburgo, a F1 tenta concorrer com a Copa do Mundo.

A pergunta é simples: você, internauta, vai ver o quê? A abertura da Copa do Mundo, que acontece de quatro em quatro anos, ou um rotineiro treino livre da F1?

Marcus Lellis – @marcuslellis / Lellisblog

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , ,
07/06/2010 - 09:13

O clique certeiro, o risco corrido

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

O acidente de Simona de Silvestro foi o mais preocupante do último GP do Texas, graças à inoperância e ao amadorismo mostrado pelos fiscais da prova, cometendo um erro que poderia ter custado a vida da suíça. Mas outro incidente me chamou a atenção: a batida entre Mario Moraes e Helio Castroneves — não pelo toque entre os dois, mas pelo perigo que correram.

Este risco é inerente à Indy e aos ovais em geral. Assim já morreu Paul Dana e já perdeu as pernas Alex Zanardi. Bertrand Baguette conseguiu diminuir a velocidade antes de chegar aos dois brasileiros, até por isso estava na faixa inferior da pista, mas este tipo de situação sempre me arrepia.

Para mim, a imagem do fim de semana foi capturada pelo Dú Cardim, com um mero print screen. Eis:

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , , , , , ,
Voltar ao topo