Publicidade

Publicidade
29/06/2010 - 10:33

Grande ideia

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Os companheiros do F1BC, liga de automobilismo virtual na qual eu corri por um tempo e reapareço sempre que o trabalho permite — ou seja, quase nunca :) —, tiveram uma ideia bem legal para ajudar os municípios de Alagoas e Pernambuco atingidos pelas chuvas do fim de outono.

(Aliás, já perceberam como as grandes TVs fazem uma cobertura destes incidentes muito mais tímida do que no caso de Santa Catarina, dois anos atrás? Por que será?)

Voltando, vamos lá: o pessoal da liga, capitaneada pelo Rodrigo Wizard, decidiu fazer o GP da Solidariedade. No circuito virtual de Caruaru, haverá uma prova com os carros do BTCC — o Campeonato Britânico de Turismo.

A proposta surgiu porque um dos pilotos da liga, Rafael Ferreira, é morador de União dos Palmares, uma das cidades atingidas de maneira mais intensa pelas chuvas. “O nível do rio aumentou muito rápido. Tentamos ajudar os vizinhos a tirar o que podiam de suas casas. Por sorte não fui atingido, pois vivo em local alto, mas muitos dos que moravam próximos a mim perderam tudo. Entre os desaparecidos e mortos sempre encontramos um conhecido ou amigo. As cidades foram destruídas e precisam de ajuda”, disse Rafael.

A corrida acontece no dia 9 de julho — nada a ver com o meu digníssimo aniversário. A inscrição,  válida até o dia 2, é uma doação de no mínimo R$ 10 para as contas bancárias abertas pelo Corpo de Bombeiros de Alagoas. Eis os dados: no Banco do Brasil, Conta Corrente nº 5241-8 / agência 3557-2;  na Caixa Econômica Federal, agência 2735 / operação 006 / conta 955-6. Serão aceitas até 90 inscrições para as três baterias de 30 minutos, além da bateria final.

O vencedor ganha um exemplar do livro “História do Automobilismo Brasileiro”, da Ed. Sextante.

Autor: - Categoria(s): Virtual Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

22 comentários para “Grande ideia”

  1. ma disse:

    cobertura mais timida? porque será? será se é por que está rolando um pequeno evento chamado copa do mundo? O retorno é muito maior, e os patrocinadores investiram muita grana na globo para aparecerem ao lado de pessoas felizes e não de desastres, seja no nordeste, no amazonas, no rio grande do sul ou no paraná.

    • Felipe Paranhos disse:

      Não acho que é por causa da Copa. Acho que tem a ver com o “choque” da tragédia. No Nordeste essas coisas não chocam tanto o grande Brasil quanto no SC lindo e loiro.

      Existe uma máxima escrotíssima no jornalismo internacional que diz algo como: “Um francês vale 200 peruanos”, para demonstrar como se hierarquizar notícias. É mais ou menos isso. Na hora de cobrir uma tragédia, é como se a morte de um catarinense valesse a morte de dez nordestinos.

    • Diego Schuh disse:

      Caro blogueiro,
      Sou catarinense e não concordo com o que falou a respeito da cobertura das tragédias.
      Primeiramente temos de saber que, por mais que a mídia tenha dado cobertura a catástrofe aqui, somente as doações de particulares que chegaram ao estado. As verbas que o governo federal prometeu até hoje não chegaram, tendo os municípios se reerguido (algumas pessoas ainda não estão em suas casas, morando em alojamentos) com a verba do próprio município e de seus moradores. Já para a tragédia de Alagoas e Pernambuco o nosso presidente já liberou (e não apenas prometeu, como por aqui) as verbas. Não que não tivesse de ter liberado, tinha era de ter liberado também as verbas que esperamos há dois anos, só isso. Mas como é ano eleitoral… Segundo que, como dito por muitos aqui, temos a Copa do Mundo rolando e brasileiro é, em sua grande maioria, louco por bola, Aí tudo é esquecido, principalmente o importante pleito eleitoral que teremos em outubro, parece que moramos em uma Suiça da vida… Infelizmente fomos eliminados, mas, felizmente, voltaremos a nos ater com nossa realidade e nossos sérios problemas , como as tragédias alagoana e pernambucana.
      Para complementar, vossa tréplica no comentário acima pareceu um tanto quanto preconceituosa com nós catarinenses. Nem todos somos “lindos e loiros”, aqui também temos negros, mulatos, amarelos… Somos uma salada racial como todo o Brasil. Temos menos negros que na Bahia? Temos, mas não somos todos loiros e, principalmente, não somos preconceituosos com cor, credo ou seja lá o que for.
      Mas, mesmo assim, parabenizo por vossa iniciativa em divulgar mais essa forma de ajudar nossos conterrâneos que sofrem por esse Brasil, e não apenas se preocupar com o placar de Argentina e Alemanha como muitos jornalistas por aí.

    • Felipe Paranhos disse:

      Só vou te fazer uma pergunta: você viu preconceito onde? Só disse que os valores dados às tragédias de SC e AL/PE são muito diferentes. Como foram, também, no ano passado, no Maranhão.

  2. Naty disse:

    Muito obrigada pelo apoio, Paranhos, divulgando este GP da Solidariedade! Agora é só reunir uma galera em prol de uma grande causa :-)

  3. Acordei pensando em te repassar a informação, liguei o PC e já estava na capa do GP. Sinal de que é mesmo boa a idéia, valeu pelo reconhecimento e pela ajuda!

    Galera interessada pode também acessar o http://www.f1bc.com , lá terá também a transmissão ao vivo do evento via streaming. Pilotos, espectadores, curiosos, todos são bem-vindos!

    Abraços!

    • Naty disse:

      kkkkkkkkk…. em alguma coisa consegui ser mais rápido que vc Wiz :-)

  4. Carlos disse:

    Obrigado pelo apoio e divulgação

  5. alberto disse:

    E quando é um morro deslizando na Ilha Grande, então, nem se fala.

  6. RUBENS disse:

    Boa noite! a ideia é otima,mas presciso de mais detalhes: como será,o que é necessário alem de fazer o depósito bancário,vou jogar no meu pc? grato.no aguardo!

    • Felipe Paranhos disse:

      Opa, sim. É com rFactor a corrida. É só clicar nesse link aí no início do post que você tem todas as informações. Abraço!

  7. […] Leia a matéria sobre o GP da Solidariedade […]

  8. Ricardo Rossi disse:

    Felipe obrigado pelo apoio e volte a correr !!!!!!!!!

  9. Fábio do Carmo disse:

    Idéia sensacional da F1BC e da equipe Brahmeiros, ajudar quem tanto precisa se divertindo e acelerando!! Parabéns a todos pelo evento e pela grande divulgação tambem, valew Paranhos!!

  10. Rodrigo Rocha disse:

    É época de Copa. Se o presidente faleceu, só saberemos após a eliminação do Brasil.

  11. Julio Lima disse:

    A cobertura é tímida por causa da Copa do Mundo mesmo. Todo mundo sabe que nada vende mais audiência do que lágrimas e tragédias de gente comum… exceto futebol, pelo menos aqui.

    Recomendo sobre esse assunto, a leitura do livro Superfreakonomics (best-seller, fácil de achar). Lá pelo meio do livro tem um capítulo que menciona o quanto o altruísmo em relação a essas tragédias é alavancado pela veiculação da mesma. Entretanto, o próprio autor faz a ressalva: as vítimas das tragédias deve torcer para que elas aconteçam em época de poucas notícias. Entendeu o recado?

    E basta olhar o que fecha TODOS os telejornais nestes dias…

  12. Alan Magalhaes disse:

    Manda o Lula, a Dilma, o Zé Dirceu, o Lulinha, o churrasqueiro, os aloprados e mais toda a patota de cumpanheiros com ongs de fachada se inscreverem, vai dar um grid enorme. Eu não, nada contra os pobres irmãos do nordeste, os flagelados do Amazonas, nada contra as mansões de Angra nem com os irmãos catarinenses. É do governo a obrigação de prevenir e remediar este tipo de tragédia e eles não vêm fazendo isso e grana não faltava. Agora que se virem, não venham a pedir a mim, que já pago 40% em impostos. Nunca repassaram o que deveriam repassar, nunca preveniram e agora os brasileiros trouxas são convocados a ajudar. Esse país está mesmo à deriva.

    • Felipe Paranhos disse:

      É “de governos”, não “do governo”, vale ressaltar. Não é algo deste governo federal em especial.

    • Alan Magalhaes disse:

      Verdade, não é deste governo, mas este governo teve oito anos para fazer obras preventivas e não as fez, devia estar afagando fidéis, cadafis, mahmuds e chaves por aí enquanto as barragens já davam mostras que não resistiram por muito tempo. No Brasil não há previsão para nada, se chover inunda, se fizer sol tem seca, os políticos – de forma geral – só pensam na próxima eleição, no poder, nos cargos e que poderão tirar deles, essa é que é a verdade. Chega de tapar o sol com a peneira, chega de peleguismo, repito, não me venham pedir para ser solidário agora, que a porteira arrebentou. O Lulinha, que de auxiliar de zoológico virou magnata das comunicações, nosso Ronaldinho dos negócios, que vá lá ajudar o povo do nordeste.

  13. Wellington Lucas disse:

    Não participarei da corrida, mas vou assistir. De titulo de curiosidade, vai ter restrição de classes nessa corrida. Exemplo: Um piloto da classe D pode correr está corrida com pilotos de alto nível das classes A e B?

    • Fábio do Carmo disse:

      Pelo o que ouvi, cada bateria será destinada a uma determinada classe! Somente a bateria final que terá pilotos de todos os níveis, ou seja, os 10 melhores de cada bateria!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo