Publicidade

Publicidade
26/08/2010 - 12:01

Só um

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A saída de Alberto Valério da Coloni, confirmada na última terça-feira (24), deu início a uma situação ao mesmo tempo nova e lamentável. Pela primeira vez na história da GP2, o Brasil terá apenas um piloto no grid. Isso vai acontecer já neste GP da Bélgica, em que só Luiz Razia vai representar a bandeira nacional na prova.

Razia é o último dos dez brasileiros que passaram pela categoria. É o remanescente de uma lista que tem Alberto Valério, Antonio Pizzonia, Bruno Senna, Carlos Iaconelli, Diego Nunes, Lucas Di Grassi, Nelsinho Piquet, Sérgio Jimenez e Xandinho Negrão.

Que isso não seja o início de uma era. A saída de Valério da categoria teve muito a ver com a perda de patrocínios, algo que talvez seja motivado pela pouca divulgação que a GP2 tem no Brasil.

Não à toa, fora Lucas Di Grassi, que se destacou mesmo correndo pela Durango, os principais pilotos brasileiros nestes seis anos foram Piquet e Senna, dois que nunca tiveram grandes preocupações financeiras na categoria.

Há muitos brasileiros talentosos pela Europa. É esperar 2011 para ver se a GP2 será o próximo passo. Uma temporada sem nenhum deles seria um desastre para o automobilismo brasileiro.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

6 comentários para “Só um”

  1. Diogo disse:

    A divulgação da GP2 é muito fraca. A categoria fica escondida dentro da programação da Sportv (nunca sei se é o canal 1 ou o 2 que vai transmitir) e o público não tem conhecimento sobre o que se passa por lá. Na época do Nelsinho, passavam compactos no Auto Esporte da Globo, um final de semana depois da prova. Dava mais destaque. Essa “falta” de brasileiros é só consequência. Isso sem contar a Stock car, que mantém no Brasil pilotos com talento para competir nas categorias européias de fórmula (Átila Abreu, Marcos Gomes, Daniel Serra)

    • Felipe Paranhos disse:

      Pois é. Em outros tempos, na época dos Sperafico, passava compacto da F3000. Podia passar melhores momentos da prova 1 antes da corrida da F1, algo assim. Ou simplesmente mencioná-la nas transmissões de F1, já que é do SporTV o direito de transmissão.

  2. Alberto Allatere disse:

    Ainda bem que os brazucas estão acordando, se bem que o sono profundo de alguns custou alguns milhões de euros. Mas antes tarde do que nunca, assim dizia minha avó.
    A Europa hoje é um sonho utópico de alguns pilotos brasileiros, já era, acabou. Só se chega a fórmula 1 hoje quem tem muitos milhões de euros para torrar e que além disto seja apadrinhado por alguém muito poderoso, e que tenha uma grande entrada nas gigantes montadoras. A não ser que vá correr numa Hispania da vida, levando uns 6 ou 7 milhões de euros.

  3. Sérgio Reis disse:

    É uma pena essa questão monetária ser uma peneira tão implacável hoje em dia, mas tende somente a piorar. Pra quem acompanha o automobilismo de maneira mais casual a GP2 nem existe. A sportv faz bem em transmitir, porém não existe nenhum outro suporte interessante.

    Ultimamente venho percebendo menos pilotos brasileiros com possibilidades de entrar na F1. Um que me chamou atenção ano passado, quando minha tv a cabo tinha o SPEED, foi o Buzaid da F3 inglesa.

  4. Fabrizio Petecof disse:

    O lado esportivo do automobilismo está cada vez mais em segundo plano infelizmente. Meu filho corre de kart e já não sei onde esse esporte vai parar quando ele crescer!

    Sobre a mídia esportiva brasileira, acho que um dos problemas é que quase ninguém entende e estuda o automobilismo de fato. Muitos se propõem até a dar palpites ou comentar corridas mas não estão preparados… Os caras preferem colocar 10 homens ao redor de uma mesa pra falar de um mesmo jogo de futebol!!! E durante 2 horas!

    Ou ainda colocam um jogo de basquete ao vivo entre XV de Piracicaba x Marília !!! (nada contra estas cidades – muito pelo contrário, e nem contra o basquete)

    Precisaríamos de apenas uns “minutos” para nossas categorias como GP2, ou até mesmo o Kart, que é um ótimo espetáculo com corridas curtas, dinâmicas e emocionantes!

    A mudança só pode começar de cima neste caso!

    Por isso a atitude do Massa com a F-Future, mesmo que saibamos que o pai dele não vai ganhar pouco com isso, é Louvável! Pois foi uma atitude inteligente e pioneira pois nunca houve premiações como essas na história do automobilismo brasileiro!! O cara soube usar o prestígio dele com a Globo e com a Ferrari para dar chances aos mais novos! Admiro o Rubinho mas em 17 anos na “crista da onda” ele poderia ter contribuído com alguma coisa e não o fez!

  5. João Ferreira disse:

    Acredito que aos poucos a GP2 se tornará mais uma F3000, com pilotos fracos que não terão chances na F1, a GP2 trouxe alguns como Hamilton, Rosberg e tal, mas com a saída dos brasileiros, só se confirma o fraco desempenho do Brasil nas categorias de formula, espero que a iniciativa do Felipe Massa de reviver a formula no Brasil possa trazer novos e bons pilotos.

    como vc disse, é esperar 2011 para ver.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo