Publicidade

Publicidade
02/10/2010 - 19:29

O vencedor

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Romain Grosjean é um dos grandes vencedores da temporada 2010. Depois de fracassar retumbantemente em sua rápida passagem na F1, não tinha o que fazer neste ano.

Começou no FIA GT1, no qual estava em primeiro até decidir deixar a categoria. Foi parar na Auto GP, o que parecia ser um retrocesso, já que se trata de um campeonato de terceira classe na Europa.

Chegou na quinta corrida. Na 11ª, uma antes do fim, garantiu o título. Para que não parecesse estar confortável com a situação, Romain foi além. Enquanto fazia sua vitoriosa campanha na Auto GP, se filiou ao Gravity, grupo que comanda a Renault e a Dams na GP2.

Primeiro, entrou no lugar de Jérôme D’Ambrosio em uma corrida. Depois, substituiu com relativa competência o lesionado Ho-Pin Tung. E, se não foi brilhante, pelo menos fez sete pontos, mais do que o chinês em quase todo o campeonato.

Sei não, mas acho que, aos poucos, Grosjean trilha seu caminho de volta à F1…

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

17 comentários para “O vencedor”

  1. Zé Eduardo Morais disse:

    Felipe, quem também ganhou uma sobrevida nos monopostos – ainda que em menos escala – foi o Carlos Iaconelli.

    Depois de uma passagem frustrante pela GP2, e uma discreta temporada inaugural na F2, assumiu de última hora o posto na Durango e venceu três corridas curtas em sequência, chegando à terceira colocação na primeira parte do campeonato e a cotado ao título.

    Creio que o que colaborou para alijá-lo do título foi justamente a longa parada após sua vitória em Spa, quando vinha em ascenção, e a pouca sorte nas corridas longas.

    O Grosjean foi muito bem em seu primeiro ano de GP2, terminando numa curva ascendente, contudo, em seu segundo ano, após disparar na ponta, começou a perder fôlego; e perdeu a liderança para o Hulk quando substituiu o Nelsinho, já numa curva descendente. Curva essa que quase representou um abismo em sua carreira.

    Sabe se há ou haverá televisionamento da Auto GP mesmo via internet?

    Abraço!

  2. Diogo disse:

    Pra F1 ele não volta. O Grosjean é o novo Giorgio Pantano. Fez um trabalho razoável nas categorias de base, chegou na Fórmula 1, fez melda e foi rejeitado. Ganhou uma categoria de acesso com um pé nas costas (no caso do Pantano foi a GP2) mas nunca foi cogitado pra voltar a classe principal. Aescrita apenas se repete. Pro Grosjean voltar à F1, ele vai precisar de um caminão de dinheiro. Mas esse não é o forte dele…

    • Felipe Paranhos disse:

      Ele não chegou a ganhar o campeonato, na verdade. Liderou até a nona das 20 corridas, depois perdeu a posição pro Hülkenberg e saiu pra substituir o Nelsinho.

      Acho que a grande diferença entre o Romain e o Pantano é a idade. Por ser mais novo (tem 24), suas chances crescem.

  3. Ryan Cooper disse:

    Pois é, o caniço tae batalhando por uma vaga na F1. Espero mesmo que consiga. Isso sim dá gosto de ver. O cara lutar pra provar que é competente.
    Ao contrario do vendido Nelsinho Piquet que “não quer saber de dor de cabeça” e desistiu de voltar a F1 tendo até um convitre da Virgin. Que vergonha esse cara. Só quer saber de andar naquelas joças da Nascar pois virar só pra um lado cansa menos e precisa pensar pouco.
    Que desgraça!

  4. Olegário disse:

    Andam faltando franceses na F1… Existe alguma cotação dele em algum lugar ou isso fica para “algum lugar no futuro”? (isto poderia ser título de uma novela na Globo)

  5. Nobrega disse:

    @Ryan Cooper palavras de quem não sabe porcaria nenhuma. Nem de F1 e muito menos de NASCAR!!

    • Pablo disse:

      mas ele tá certo sim! vc é que parece não saber muito, parece que seu negócio é PACHECAR!

  6. Bruno A. disse:

    Sei não se o Grosjean volta. Ano passado os engenheiros da Renault não andavam nada felizes com o estilo de pilotagem dele. Eles diziam que o francês “derrete” o carro. Acabava com pneus e freios em poucas voltas. Duvido que um cara que ficou com essa fama volte a F1, especialmente no regulamento atual.

  7. Realmente ele mereçe outra oportunidade na Fórmula 1, assim como o Nelsinho Piquet.

    Chega desses pilotos velhos e outros novos sem graça que não fazem nada, como Trulli, Barrichello, Liuzi.

    Espero que o Bruno Senna consiga um carro mehor para 2011.

    • sanguanel disse:

      Barrichello nao faz nada?voce ta querendo entender mais de F1 do que o Frank Williams e Patrick Head juntos.

  8. RMTA disse:

    Sei não, mas acho que você está errado.

    O desempenho do Romain ano passado com a Renault foi muito sofrível, e ele necessita ter um suporte financeiro maior se quiser voltar.

  9. Pablo Habibe disse:

    Será que casos como o dele, de Nelsinho, Petrov e de “Kova” (em parte) entre outros não vão servir de exemplo para que jovens pilotos evitem ao máximo se arriscar em equipes que já contem com primeiros pilotos ja experientes e reconhecidamente competitivos?

    Alonso sozinho fritou três, Kubica vem atropelando Petrov a até Barrichello deu um banho em Hulkenberg (que se recupera lentamente)…

    O segredo parece ser fazer como Kobayashi. Entre numa equipe pequena (para evitar cobranças de resultados) e, de preferência, tendo um companheiro que não represente perigo algum…

  10. Sirelli disse:

    De quebra, é o cara que vai desenvolver os novos pneus da Pirelli, ou seja, vai um conhecimento que nenhum outro piloto do grid terá. A questão é: quanto isso vale para as equipes?

    • Felipe Paranhos disse:

      Putz, acho que vale muito. Mas parece que o cargo fixo vai ficar com o De la Rosa. Nisso, o Pedro é imbatível.

  11. ba disse:

    Felipe, mas, pra ter conseguido tudo isso, ele teve que largar o emprego no banco? Se não teve, olha, acho que ele faz parte de algum sindicato grevista aqui de São Paulo…

    • Felipe Paranhos disse:

      Ih, rapaz, acho que largou sim, viu. Vida de bancário não dá muito futuro. Banqueiro, sim.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo