Publicidade

Publicidade
10/10/2010 - 01:58

Um dia seca

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

O tema anda esquecido, eu sei. Mas Flavio Briatore — ele mesmo — o recolocou em voga. Depois da saída de Max Mosley da presidência da FIA, os cortes nos custos ficaram em segundo plano. Que eu me lembre, a única notícia do ano neste sentido dizia respeito a um acordo das equipes para seguir economizando, mas tudo muito genérico.

Flavio declarou, em entrevista ao ‘Journal du Dumanche’, que o desempenho abaixo do esperado das equipes novatas é uma prova da situação frágil que vive a F1.

Briatore pode ser um escroque, mas tem razão neste sentido.  “Eu limitaria os custos muito mais, em pelo menos 70%. As equipes estão em agonia. Os carros estão só alguns segundos abaixo do desempenho dos carros da GP2 — e a GP2 é uma categoria  que requer um investimento dez vezes menor. Isso é maluquice, especialmente quando se torna extremamente difícil para encontrar patrocinadores”, disse.

O italiano foi além. “A F1 está lutando por sua sobrevivência e não percebeu. Precisamos parar de fazer reuniões que não decidem nada”, bradou.

Eu sempre digo aqui que a F1, após a entrada de Jean Todt na FIA, voltou a ter aquele caráter elitista que ganhou durante grande parte da gestão Mosley. Max percebeu a besteira que estava fazendo e tentou mudar de ideia. Ganhou a batalha, trazendo três novos times para a categoria a baixo custo, mas perdeu a guerra.

Por incrível que pareça, as declarações acima vêm de um cara que não entende lhufas de automobilismo e que é o maior representante da F1 endinheirada, de iates e negócios presepeiros. Enquanto isso, os insiders de hoje estão ocupados nas festas dos patrocinadores que lhes restam.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,

Ver todas as notas

21 comentários para “Um dia seca”

  1. lionk disse:

    A palavra insiders deveria estar em itálico já que não é uma palavra da lingua portuguesa.

  2. Wallace disse:

    REUNIÃO É UM CONJUNTO DE PESSOAS IMPORTANTES QUE NÃO SABE FAZER NADA SOZINHAS E QUANDO SE REUNEM CHEGAM A CONCLUSÃO DE QUE NADA PODE SER FEITO.
    Palavras verdadeiras de um Empresário de São Paulo, na empresa dele não se faz reunião. Resolve-se os problemas.
    O Flavio Briatore SArney tem razão…….

  3. Alexandre Lourenço -SP disse:

    É por isso que eu diGo, a Nascar é a maior categoria do mundo e sabem por que?Lá ninguem fica jogando dinheiro fora e piloticagem e vaidade não passam da porta e alem de tudo é muito competitiva e agrada ao seu publico!!!
    A F-1 estara brevemente em concordata digamos assim, aguardem e confiem!!!

  4. Danylo disse:

    Realmente, a F1 está agonizando. Não é de hoje que noto, mas ontem foi demais: logo em Suzuka, onde o público sempre foi fiel à F1, as arquibancadas estavam vazias. Perdeu-se o glamour, o carisma que as corridas tinham – melhor, quem não respeita seu público, também não tem auto-respeito.

    • Felipe Paranhos disse:

      Estavam? De fato, não era de se esperar, porque vi fotos das arquibancadas na quinta (!) e estavam cheias.

    • Ricardo de Bittencourt disse:

      Foi na hora da chuva … só pode ser …

  5. Ed disse:

    Acho que tal questão não se refere apenas à F1 mas ao esporte a motor de maneira geral. A NASCAR também passa por uma crise, a audiência tem caído, a media de idade dos pilotos é a mais alta da historia da categoria e os carros e a competitividade é artificial. A moto GP tem um grid minúsculo. O esporte a motor de alto nível depende da industria automotiva porem não tem mais grande utilidade para esta como teve no passado. É uma questão bastante complexa.

  6. Olegário disse:

    Eu não diria que a F-1 vai acabar, ela tem renome demais do meio século de vida pra simplesmente “acabar” de uma vez….
    O que eu acho que pode acontecer é: As equipes que defendem os Megagastos (Ferrari, Red Bull, McLaren, Mercedes, Renault) começarem a Cair… Pois elas são as únicas que dependem dsse mundo endinheirado.
    As demais equipes são equipes de homens e decisões (Mallya, Willians, Sauber, Branson, Fernandes, Cabarante) e elas aguentam as duas situações…

    As demais estão dependentes de gastos (tipo: Dependentes de Dorgas) e isso em breve muda: A Renault cedeu a equipe pra Genii, a BMW e a Toyota caíram e a Red Bull vai ter que vender a Toro Rosso…

    O Briattore só falou o que todos eles já perceberam… A questão pra mim é qual deles vai conseguir dar o “pulo do gato” e ficar por cima da carne-seca, como fez a Brawn no ano passado. Eles não vão resolver isso juntos por que tem UMA GRANA DO C*RALHO em jogo (Caixa-alta no texto por que é grana pra c*ralho mesmo) então coleguismo não vai rolar…

    http://www.pezzolo.tv/

  7. Anderson Puff disse:

    É um absurdo realmente ver a enorme diferença que existe entre as grandes e as pequenas, é algo que não motiva ninguem a investir 100 milhões de dolares pra ficar andando em ultimo…. mas tudo que vier desse Briatore affff,fala sério, esse cara é podre, jogou muito sujo pra ganhar uma corrida a mais, não precisava

  8. É duro dizer que o Briatore está coberto de razão….

  9. Pablo Habibe disse:

    Isso é frescura. A F1 sempre teve diferenças de desempenho como a atual.Quem gosta de tudo junto, sem mérito técnico, tem de ver NASCAR e STOCK mesmo… F1 é automobilismo de verdade.

    A GP2 é que está rápida demais, foi feita pra ficar de espreita, ameaçando a F1 enquanto negocio…

    O lance é acabar com a GP2 e a GP3, que estão matando as F3 (e afins) ao redor do mundo e absorver as equipes na F1, mas ai vai ter de dividir a grana, não é?

  10. Leonardo disse:

    O correto não seria “Dimanche” (“domingo” em francês) em vez de “dumanche”? Abs.

  11. Andre disse:

    Qual é areunião que o Sr Briatore realiza na F1? Está banido ou não ?

    • Felipe Paranhos disse:

      Ele está banido de cargos formais. Mas se quiserem chamá-lo para uma reunião, ele pode ir. Mas acho que ele usou “nós” como quem ainda se vê parte do grupo dos dirigentes.

  12. EduardoRS disse:

    Ah se o Vatanen tivesse ganho a eleição da FIA. Mas competir contra o Todt usando toda a “máquina” da máFIA é dose. Todo mundo sabia que a gestão dele iria dar exatamente nisso: só faz aumentar a desigualdade na categoria, não se fala em corte de custos, e a prioridade é para os eventos de patrocinadores regados a caviar e champagne. O automobilismo e a competição na pista é um mero detalhe. Me entristece muito ver a F1 nesse estado, ainda mais que pude acompanhar o finzinho da era pré-Mosley, quando o canalha do Ballestre levava a categoria com mão de ferro, mas pelo menos todos podiam competir e a F1 era acessível para o público e prezava pelo esporte em si. Agora virou um mero evento de marketing anabolizado.

  13. Valter Ulisses disse:

    Acredito que a culpa foi do Max Mosley. Culpar só os custos pelo desempenho das equipes novatas é no minimo uma falta de conhecimento de F1 e automobilismo.
    Primeiro na decisão de aceita-las em 2009, só foi aprovada depois do meio do ano, dificultando as conclusões dos trabalhos das mesma.
    Segundo, ter proibido os testes por parte delas. As equipes ja estabelecidas tem anos e anos de dados para analisar e comparar na hora que colocam um carro novo na pista.
    Terceiro, não ter colocado uma clausula de capacidade financeira e tecnica de desempenho. Se o carro for muito lento. Simplesmente exclue ele da corrida ou ate da temporada.
    Quarto, mostraram tanto despreparo na aceitação das novatas, que a USF1 enrolou até no ultimo dia.
    Quando não havia mais jeito que mostraram a verdade.
    Max Mosley foi tarde e não acredito que o Jean Todt fará algo diferente.
    Mas a F1 é uma mutante sobrevivente, não adianta o quanto digam que ela esta acabando, pois enquanto existirem locais que queiram sediar uma etapa, e pessoas dispostas a assistir, a F1 continuará lá.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo