Publicidade

Publicidade
18/10/2010 - 15:31

Coincidência curiosa

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA

Mika Hakkinen veio a público nesta segunda-feira para dizer que o campeonato de F1 desse ano é o mais emocionante dos últimos tempos. De fato. A diferença que separa os postulantes ao título é ínfima, considerando apenas os três primeiros, uma vez que os pilotos da McLaren, embora tenham notória competência, têm sucumbido nas últimas corridas graças à supremacia da Red Bull e a constância de Fernando Alonso.

Ao ver três pilotos diretamente na luta pelo título faltando três provas para o encerramento do Mundial desse ano, me recordo de 1986, quando comecei a acompanhar com mais afinco a F1. Isso aos seis anos de idade. Faltando três corridas para a definição do título (Portugal, México e Austrália), Nigel Mansell liderava o campeonato com 61 pontos, seguido por Nelson Piquet com 56, e Alain Prost, com 53.

Embora tenha vencido três corridas na temporada, o ‘Professor’ correu por fora na luta pelo bicampeonato, sem contar com qualquer auxílio de seu companheiro de McLaren, Keke Rosberg, este, em fim de carreira. O FW11 de Mansell e Piquet, movido pelos motores Honda, era superior ao MP4-6C pilotado por Prost, que conseguia diminuir a diferença para a Williams no braço. É um cenário bastante parecido com o atual, no qual a Red Bull desponta como a força a ser batida, com Alonso assumindo o papel de azarão, ainda que esteja na vice-liderança do Mundial.

Mansell venceu no Estoril, tendo Prost em segundo e Piquet em terceiro. O resultado permitiu ao ‘Leão’ abrir dez pontos para o brasileiro e 11 para o piloto da McLaren. Com uma combinação de resultados, o britânico poderia até sair do Hermanos Rodriguez como campeão do mundo. Mas o costumeiro azar do ‘Cinco Vermelho’ — que ficou parado no grid de largada —, aliado à constância de Prost, segundo, atrás de Gerhard Berger, que venceu pela primeira vez na carreira, levou a decisão para a Adelaide.

O britânico da Williams ainda era o líder, só que dessa vez, com vantagem bem menor para Prost. Mansell ostentava 70 pontos, seis a mais que o gaulês e sete à frente de Piquet. O cenário estava desenhado para aquela que seria uma das mais incríveis decisões de título da F1.

Mansell largou o GP da Austrália na pole, seguido por Piquet. Tinha tudo para ser a coroação do ‘Leão’, já que a Williams já havia faturado com muita antecedência o título dos Construtores. O que se viu desde o início da prova foi um azar retumbante do inglês, que perdeu três posições na primeira volta e viu o rival Piquet disparar e tomar a ponta de Ayrton Senna, que largou bem.

A partir da volta 23, começou o calvário da Williams, quando Piquet rodou e perdeu a liderança para Rosberg. O que se viu em Adelaide foi uma sucessão de tragédias da equipe inglesa, tanto de Nigel, que abandonou a prova com um pneu furado, quanto da equipe, que trouxe Piquet aos boxes por medo que pudesse acontecer o mesmo com ele, e entregou o título de bandeja para Prost, que só teve o trabalho de levar sua McLaren à vitória.

Como disse Bernie Ecclestone em entrevista veiculada pelo site da F1 nesta manhã, sorte é estar no lugar certo e na hora certa. Como estava Prost em 1986. E como parece estar com Alonso neste ano. É incrível a sorte do espanhol nas corridas desta temporada, desde a primeira no Bahrein, quando a vitória — que era para ser de Vettel, com problemas — caiu em seu colo. Mesmo com um carro teoricamente inferior aos RB6 de Webber e Vettel, o asturiano surge como aposta para o título desse ano. Como foi com o ‘Professor’ há 24 anos, quando ninguém mais acreditava nele.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

20 comentários para “Coincidência curiosa”

  1. Conrado Andrade disse:

    Particularmente espero que sim. Torço pelo Alonso neste campeonato.

    Mas não sei não viu… Webber está muito bem.

    Fica “fácil” por Alonso como Prost. Mas quem seria o Mansell e o Piquet nessa história? rs
    =
    abs

    • Otavio Augusto disse:

      O Vettel pode ser o Mansell, afinal o leão era tido como afoito, bem como o alemão. E Webber pode ficar no lugar de Piquet, já que ele, como o brasileiro naquela época, corre pela equipe cuja a preferência é mascaradamente em cima de seu companheiro.

  2. Ademar disse:

    Borgo, são 24 anos, não 14 como vc disse!!

  3. Alan Lopes disse:

    Vc quis dizer há 24 anos né?

  4. Tiago Patrese disse:

    Que pena, eu teria torcido pelo Piquet, ou então não lamentaria o título do Prost, um gênio não-reconhecido injustamente!
    Agora esse ano o Alonso-mutreteiro-bebê chorão tá ali na espreita, sendo que o botão ”Alonso is faster than you” só funcionou com o Massa, vamos ver quais botões ele guarda na manga, ops, no volante.
    O próximo GP promete, tanto em termos de emoção de corrida e campeonato!!!!

  5. Cristiano disse:

    boa noite a todos, mas não me levem a mal não, mas Alonso levou um caminhão de dinheiro do banco que o patrocina para Ferrari e desde o ínicio da temporada ficou claro que Felipe não estava nos planos da equipe para disputar o mundial desse ano. Acho uma maneira que tem varios adjetivos para se dar menos de esporte. Kovalaine que o diga quando corria na Maclaren. E digo mais, foi com esse tipo de atitude que custou o mundial de 2008, mas vai se falar o que, porque se for acusar Alonso ele vai dizer: foi teu compatriota que me ajudou.

  6. silvio disse:

    É verdade Fernando Silva. Lembro bém dessa corida, apesar de novo também…mas já acompanhava a f1 a algún tempo. E vale lembrar que o Piquet já iria abandonar a equipe Williams, por causa das lambanças dessa que o levou a perca do seu 3 titulo. Pois o Piquet mesmo atráz na pontuação ele sabia que tinha plenas condições de bater o “leão e a equipe inglesa” mas não deu.

    Eu sou um fanzaço do N.Piquet…mas confeço que ele comtoda a bagagém e artimanhas que dispunha…jamais poderia ter aceitado o chamado da equipe naquele momento…pois era evidente o desespero e desanimo com o abandono do Mansell….e a equipe jamais iria permitir ao desafeto e gosador Brasileiro, logo no primeiro ano de equipe…já ser campeão. Como voçê bém disse. Sorte do fraces que estava ali de butuca.

  7. Alex disse:

    Esse GP da Austrália de 1986 deve ter sido um dos melhores de todos os tempos. Me considero privilegiado por ter assistido.

  8. Renato Paes disse:

    Cara, venho desenvolvendo um tremendo bode pelo Fernandito. Não bastava o “asturia” andando melhor que o Felipe, veio aquela marmelada da Ferrari, “got the message?”, aí ferrou de vez, né?
    Não aguento nem ouvir o nome desse espanhol.
    Reconheço que ele É um dos melhores pilotos em atividade, mas é “bi-campeão motorista do carro bom”, rs…
    Naqueles dois campeonatos consecutivos (2005-2006), pilotando aquele Renaut muito provavelmente Schumacher, Barrichelo, Kimi, Massa, Montoya, Button também teriam levado o título.
    Torço pelo australiano Webber, mas se o Alonso levar essa fazer o que? Será merecido. Ao menos esse título será no braço… rs

    Abraço!

  9. JFN disse:

    Não esqueçamos também Kimi Raikkonen 2007, que foi muito parecido!!!

  10. Roberto disse:

    Prezado Fernando Silva,
    De onde você tirou que o Prost “que conseguia diminuir a diferença para a Williams no braço”. Tenho a temporada de 1986 em VHS e não foi isso que aconteceu.
    O Prost venceu esse campeonato porque seu carro quebrou somente uma vez por problema no motor. Um foi acidente na volta 23 do GP da Hungria 86 (o primeiro) e a desqualificação no GP de Monza na Italia.
    O Piquet quebrou três vezes, duas foi o motor e uma o turbo. Na Espanha, Belgica e Austria. Nos Estados Unidos ele teve um acidente na curva 5.
    O Mansell, rodou na volta 1 do GP do Brasil, quebra do motor na Espanha, quebra do eixo na Austria e o pneu estourado no último GP – Australia.
    Não teve Braço nenhum. Quem teve braço foi o Airton que correu na Lotus e venceu SPA, onde Piquet deu um passeio todo o fim de semana e viu a vitória certa ir para o brejo com a quebra do turbo.
    Um abraço.
    Roberto.

  11. MBC disse:

    Abaixo uma comparação com a temporada 2010 e 1986, que para muitos foi a melhor temporada dos últimos 30 anos! Detalhe, em 1986 Piquet, Prost, Mansell e Senna ainda não eram considerados “gênios”…

    Faltando ainda 4 corridas para terminar a temporada de 86 do total de 16 provas:

    Piquet
    2-Títulos
    1-Vice
    16-Vitórias
    36-Pódios
    8-Temporadas incompletas

    Prost
    1-Título
    2-Vices
    24-Vitórias
    45-Pódios
    7-Temporadas incompletas

    Senna
    0-Título
    0-Vice
    4-Vitórias
    16-Pódios
    3-Temporadas incompletas

    Mansell
    0-Título
    0-Vice
    6-Vitórias
    15-Pódios
    6-Temporadas incompletas

    O campeonato e os pilotos de 2010 não ficam devendo nada a temporadas de 1986!

    Faltando ainda 3 corridas para terminar a temporada de 2010 do total de 19 provas:

    Alonso
    2-Títulos
    0-Vice
    25-vitórias
    61-Pódios
    9-Temporadas incompletas

    Hamilton
    1-Título
    1-Vice
    14-Vitórias
    34-Pódios
    4-Temporadas incompletas

    Button
    1-Título
    0-Vice
    9-Vitórias
    29-Pódios
    11-Temporadas incompletas

    Vettel
    0-Títulos
    1-Vice
    8-Vitórias
    17-Pódios
    3-Temporadas incompletas

    Webber
    0-Títulos
    0-Vice
    6-Vitórias
    19-Pódios
    10-Temporadas incompletas

    Piquet – Levou 3 anos para conquistar o primeiro título
    Senna – Levou 5 anos para conquistar o primeiro título
    Prost – Levou 6 anos para conquistar o primeiro título
    Mansell- Levou 12 anos para conquistar o primeiro e único título

    Alonso – Levou 3 anos para conquistar o primeiro título
    Hamilton – Levou 2 anos para conquistar o primeiro título
    Button – Levou 10 anos para conquistar o primeiro título
    Vettel – Pode ser Campeão na terceira temporada
    Webber – Pode ser Campeão na nona temporada

    Dizer que os pilotos das últimas gerações são medíocres não procede, é pura dor de cotovelo(o Brasil vai para 19 anos sem título).Não é a toa que o Galvão joga PRAGA no Vettel, se for campeão em 2010 o jovem alemão(outro?)será melhor que o Senna em início de carreira, já é em termos de vitórias, pódios e já foi vice! E pra quem vive questionando Piquet x Schumacher em 91 na Benetton, o novato Schumacher sem conhecer a equipe, o carro Benetton e as pistas “aposentou” mesmo o Tricampeão Piquet. Enquanto Schumacher e Piquet estavam na pista(que é o que vale), o alemão andou 182 volta na frente de Piquet e o brasileiro apenas 44 a frente do alemão, em treinos foi outra surra: Schumacher 4 x Piquet 1. É como eu digo sempre, tirando Senna que foi “aposentado” pela Tamburello, porque Prost, Piquet e Mansell não continuaram em 94/95/96/97/98…tiveram medo de enfrentar a nova geração? Mansell bem que tentou, mas tomava surra até do D.Hill em 94, eles sabiam que a nova geração não era fraca, Hakkinen ainda novato em seu primeiro treino na Mclaren foi até mais rápido que Senna. Sai uma geração e entra outra rápida, sempre foi assim desde 1950.

    Schumacher e Piquet em 1991, 5 corridas:

    GP Monza 1991 – 53 voltas no total.
    Grid: Schumacher em 7° e Piquet 8°
    Corrida:
    O alemão andou todas as voltas da corrida a frente do brasileiro.
    Bandeirada – Schumacher em 5° e Piquet em 6°

    GP Portugal 1991 – 71 voltas no total.
    Grid: Schumacher em 10°e Piquet 11°
    Corrida:
    Schumacher a frente 1° a 27° volta, depois 42° a 45°
    Piquet a frente 28° a 41° Volta, depois 46° a 71°
    Bandeirada – Piquet em 5° Schumacher em 6°

    GP Espanha 1991 – 65 Voltas no total.
    Grid: Schumacher em 5° e Piquet 10°
    Corrida:
    Schumacher a frente 1° a 6° volta, depois 10° a 65°
    Piquet a frente 7° a 9° volta
    Bandeirada – Schumacher em 6° e Piquet em 11°(duas voltas atrás de Schumacher)

    GP Japão 1991 – 53 Voltas no total.
    Grid: Schumacher em 9° e Piquet 10°
    Corrida:
    Schumacher a frente 1° a 34° volta até o motor quebrar na volta 34
    Piquet a frente(com a quebra do alemão) 35° a 52° volta.

    GP AUstrália 1991- apenas 14 Voltas, prova interrompida pela chuva!
    Grid: Schumacher em 6° e Piquet 5°
    Schumacher a frente 2° a 4° volta até sofrer acidente
    Piquet a frente 1° volta, depois 5° a 14° volta

    • Roberto disse:

      Prezado MBC,

      Você somente esqueceu de dizer que:
      1. Piquet tinha 39 anos na época.
      2. O carro de 1992 quem desenvolveu os componentes foi o Piquet.
      3. Piquet ajustava os carros para a corrida.
      4. Schumacker copiou todos os setups de corrida do Piquet.
      5. A motivação de Piquet já não era a mesma porque não tinha um carro vencedor e estava em fim de carreira.

      Roberto.

    • Terence disse:

      Temos que ressalvar, voce esta certo na questão de sai uma boa geração e entra outra, porem esta errado na comparação.

      O Schummy é fera, sou fanzasso dele, porem, ele vai tomar sabugo em 2011 denovo, pode apostar, a idade acaba com a pessoa, ainda mais para o esporte, não adianta, um cara bom de 20 anos, em qualquer esporte que exige do fisico, é melhor que um cara bom de 30+ anos, mesmo o cara bom sendo o Schumy, Piquet, Senna, Mansell, etc. Até agora ainda não vi o supercorredor velhinho ganhar dos “novatos”, é sempre a mesma historia, sai uma geração porque os novatos começam a passar o cerol neles, o Roberto esta certo nisso.

  12. Gabriel Ribeiro disse:

    minha memória é fraca… não lembro de 86…lembro de um gp do Brasil que um piloto brasileiro ficou campeão por alguns segundos…esse foi emocionante

    • Rodrigo Brayner disse:

      Olha parceiro, nunca é tarde, existe alguns sites na internet que possuem as corridas daquela época com imagens bem melhores que as das TVs daquele 1986, baixe-os e veja, tem até narração do Galvão, vale a pena mesmo, pois eu depois de 24 anos consegui esses arquivos e me delicio com a Melhor Formula 1 de todos os tempos, Motores turbo e um verdadeiro Show de ultrapassagens e manobras incriveis daqueles verdadeiros artistas da Velocidade

  13. Carlos Henrique disse:

    Piquet, Prost, Mansell, Senna, 11 títulos mundiais juntos, carros sem as perfumarias da eletrônica… bons tempos que não voltam mais. 1986 foi, provavelmente, a melhor temporada da F1.

  14. Rodrigo Brayner disse:

    Meu caro Fernando, Tendo a mesma idade que você e como fã incondicional de F1, te digo que outros detalhes das corridas finais daquele campeonato talvez tenham sido esquecidos, pois naquele momento do campeonato, Piquet vinha em franca ascenção pois tinha vencido na Alemanha, Hungria e Italia, 3 vitórias em 4 Corridas, na Austria venceu o Prost, então nas 3 ultimas tinha muito negócio ali para se resolver, mas aconteceram outras coisas que vale a pena lembrar:
    1 – Em Portugal, o Piquet ficou umas trocentas voltas atrás do Senna, mas como em Estoril a ultrapassagem não era tão facil ele em uma das tentativas acabou rodando por problemas nos freios, e ali, como ele mesmo disse um tempo depois o campeonato foi embora.
    2 – No México, o Piquet liderava a prova com uma sobra bem grande, porém o calor do México foi um desastre para a Goodyear que fornecia pneus para Lotus, Mclaren e Williams, pois estes por falhas das escolhas dos compostos, tiveram que fazer um grande numero de paradas em 70 voltas (se não me falha a memória) por isso o Piquet Terminou em 5º ou 6º na frente do Mansell, que ele segurou na marra… isso pois o Berger correndo de Benetton BMW com pneus Pirelli fez apenas 1 parada e venceu com sobras…
    3 – Na Australia foi aquela sucessão de erros que você apontou ai, e o grande beneficiado foi o Professor, que sempre constante estava no Lugar certo e na hora certas e no carro certo, que digamos, era muito bem acertado por ele, talvez um dos melhores acertadores de carro de todos os tempos, estando ele num clube seleto.

    Portanto, na verdade, por erros da Williams e a sorte de Prost aquilo0 foi decidido daquela forma, mas nesse ano, teve muito mais coisa que foi complicada…
    E os caras meio que tem medo de se achar na pista, e quando alguem como Hamilton parte para cima, todo mundo reclama que ele fez isso ou aquilo ou o vettell, ..enfim… a comparação com 86 na minha opinião não dá para existir, visto o naipe dos 4 postulantes ao Titulo daquela época serem tão superiores aos atuais… Desculpem mas alguem ai comparou o Piquet ao Webber só por causa de tratamento na equipe… mas ai, ele tinha que esconder tudo o que ele fazia, pois nego sabotava mesmo, até trocarem o carro titular dele pelo reserva do Mansell fizeram… então é bem diferente mesmo…
    Prost, Piquet, Mansell e Senna são muito maiores do que os Atuais 5 Alonso, Webber, Hamilton, Button e Vettel, que sinceramente são muito bons mas naquela época, iriam provavelmente andar atrás destes!

  15. Paulo Salles disse:

    Injustiçado no comentário inicial, Keke Rosberg foi fundamentel na corrida final (sua Mclaren estava amarela pelo Marlboro Lights) e na largeda com menos combustível, sumiu como um coelho na frente, enquanto as Williams detonaram seus pneus nessa caçada. Estratégia fantástica da equipe de Ron Denis que fez o primeiro e único, embora quatro vezes campeão francês. Merci…

    • Terence disse:

      Eu me lembro vagamente dessa corrida, mas, ja assiti ela depois, santa rede mundial, mas, foi isso mesmo. Teve essa do Keke disparar.

      Aquela epoca era legal porque sempre inventavam umas coisas nos carros, e iam evoluindo, hoje nao pode quase nada mais, embora fosse “desleal” as vezes eram bem interessantes, mesmo depois sendo proibido.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo