Publicidade

Publicidade
29/10/2010 - 14:16

Que mal há?

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Vejo num monte de lugares a repercussão da matéria da Autosport sobre o GP da Coreia do Sul. De acordo com o repórter Mark Hughes, Felipe Massa segurou o ritmo — e os adversários — para aumentar a possibilidade de Fernando Alonso, que teve problemas em seu pit-stop, voltar à frente de Lewis Hamilton e manter a segunda posição — que depois virou primeira, com o abandono de Vettel.

(Aqui vai um parêntese: numa pesquisa rápida, vimos aqui no GP que Alonso voltaria à frente de Massa de qualquer jeito, pelos tempos do espanhol)

Aí eu vejo em alguns lugares, até mesmo veículos jornalísticos, textos com viés negativo para a postura da equipe. “Revista acusa Ferrari de ter mandado Massa ajudar Alonso no GP da Coreia”, titulou o GloboEsporte.com, site que mandou muitíssimo bem ontem com a informação de que Bruno Senna negocia com a Lotus para 2011.

Mas aí é que tá: que mal há se a Ferrari tiver mesmo pedido para Massa segurar os adversários para que Alonso tivesse mais chances de pontuar bem? Só há um piloto do time com chance de ser campeão, e é o espanhol.

Massa não parece incomodado de ter de ajudar Alonso. Poderia ser o contrário, não foi. O brasileiro não teve uma boa temporada, mas 2011 está aí, é uma nova oportunidade de virar o jogo. E se não conseguir virar em 2011, não vai deixar de ser o quarto (ou o quinto, rivaliza com Barrichello nos números) maior piloto brasileiro na história da F1.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , ,

Ver todas as notas

14 comentários para “Que mal há?”

  1. augusto surian neto disse:

    Ele teria segurado em ritmo normal de corrida ou em bandeira amarela???? Se no primeiro caso tudo bem, se no segundo…..

    • Felipe Paranhos disse:

      Ritmo normal de corrida, depois que o Alonso parou e perdeu tempo nos boxes. A intenção era segurar o pessoal atrás pro Alonso ter mais chance de retomar a segunda posição do Hamilton.

  2. disse:

    Artigo imbecíl! Porque não escreveu quando aconteceu, só agora que o Alonso está em primeiro no campeonato?

    • Felipe Paranhos disse:

      Imbecil deve ser quem não sabe ler e acha que eu estou falando do GP da Alemanha…

    • Robert Vix disse:

      Ler acho que ele sabe , só que não entende nada.Sobre o fato , no dia não entendi porque o Hamilton passou pela saida dos boxes antes do Alonso voltar , e o Massa que havia voltado dos boxes colado no hamilton uma volta antes passou bem atras na volta do Alonso. Agora tá explicado.
      Paranhos .

  3. Esse cometário e de gente que tem ciúme do Fernando Alonso e mais se o Fernando Alonso for campeão ele será coroado rei na Ferrari deixando o Felipe Massa numa equipe politicamente chata e dificilmente ele conseguirá virar esse jogo.

  4. Diego Wendhausen Passos disse:

    Sobre a corrida da Coreia do Sul, o Massa andou normalmente. Nesse caso, nada vi de irregular. Na Alemanha sim, eles poderiam deixar a disputa rolar na pista, e Alonso tem capacidade o suficiente para tentar vencer na pista, sem qualquer intervenção da equipe. Não sou fã do espanhol, mas ele ficou em uma saia justa com a atitude do Massa.

    Quanto ao Bruno Senna na Lotus, é uma situação até imaginável, até por que a Petrobrás estará com o time de Tony Fernandes ano que vem. Em 2009, se a Honda continuasse, Bruno seria um dos pilotos pelo fato de levar em petrolífera brasileira para o time japonês. Mas como os nipônicos saíram da Fórmula 1, tudo foi por água abaixo.

    Será interessante ver Bruno em um time que está investindo para ser grande. Renault, Petrobrás e Senna. E para Kovalainen, caso permaneça no time, será a chance de mostrar algo.

    Bruno e Lotus, com Petrobrás e Renault, acredito que possa acontecer.

    • Diogo disse:

      Esse boato de que a Petrobras estará com a Lotus no ano que vem é infundado. A Renault, pra fornecer motor e câmbio, faz uma venda casada, obrigando as outras equipes a usarem combustível e lubrificantes da Total-Elf.

  5. Felipe, ano passado você linkou uma página do site Autosport no qual eles faziam uma série de perguntas sobre acontecimentos automobilísiticos no ano de 2009, e pediu para que nós o lembrássemos neste ano para que pudesse fazer o mesmo, só que numa versão especial para o Grande Prêmio. Um ano após, cá estou eu a lembrá-lo. Mas o senhor ainda pensa em colocar a ideia em prática? Se sim, seria uma maravilhosa opção para nós amantes da velocidade. Abraços.

    • Felipe Paranhos disse:

      Opa, brigado pela lembrança! Não devemos fazer algo semelhante àquela da Auto, mas vou pensar em uma brincadeira semelhante pro blog :)

  6. ba disse:

    Sinceramente? Nem que ele não quisesse, viu… tá guiando muito, muito mal em 2010…

  7. Deco SEP disse:

    O mal está no fato de muitos entenderem que a formula 1 é um esporte e ao se considerar a F1 um esporte qualquer atitude que não seja “dar o máximo de si” para conquistar a vitória se torna deplorável!!! vejo muita prepotencia e erros nos “amantes da velocidade” que acham normal um piloto deixar o outro ganhar para favorecer a equipe e acham um absurdo o seu time de futebol ou volei (caso recente da Seleção brasileira) entregar um jogo para se favorecer!!! Eu acho deplorável esse tipo de “jogo de equipe” quem o faz na minha opinião tem falha de caratér, pois como aprendi desde criança: “O fato de todos fazerem uma coisa errada não torna o errado certo”.

  8. André Almeida disse:

    Parafraseando você, “mas aí é que tá”: a maioria dos repórteres e pessoas ligadas à imprensa sabem que muitas matérias são “criadas” para ganhar atenção, a meu ver, não sei de quem. Não sei se querem criar atenção de anunciantes, ou o que quer que circunde o meio jornalístico, mas ao acompanhar notícias a vários anos, sei que isso existe: criação de notícias “bombásticas” pra “ver-no-que-dá.”

    Acho que a gente não deve se impressionar por matérias que, a princípio, nada tem de mal, mas vem “requentadas” ou cheia de meias-verdades. Isto por que este fato novo – de o tempo do espanhol ser suficiente para evitar que o Massa segurasse a galera que vinha atrás – poderia ter sido cavucado antes de divulgar a matéria jornalística.

    Ou não é jornalística?

    Se não for, é do quê? Factóide, no mínimo.

    Acho que é disso que o jornalismo em geral hoje em dia está precisando: jornalismo sério, pautado (sempre que possível) de TODOS os fatos.

    Aquilo que não é fato, não é notícia, em tese.

    • André Almeida disse:

      Deixando claro que não me referi à sua opinião sobre a matéria. Me referi à matéria do outro site.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo