Publicidade

Publicidade

Arquivo de janeiro, 2011

10/01/2011 - 12:05

Presente inesperado

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva1]

SUMARÉ — Nasser Al-Attiyah é um dos principais pilotos de carros do Rali Dacar em 2011. Vice-campeão da prova no ano passado, o príncipe-herdeiro do Catar obteve bons resultados em outras provas, como por exemplo, no Rali dos Sertões de 2009, quando também terminou em segundo, andando sempre próximo do ritmo do campeão Carlos Sainz.

Apesar de Nasser ser membro da família real de um dos países mais ricos do mundo, o piloto é considerado uma das pessoas mais simpáticas e acessíveis do meio ‘ralizístico’, conforme apurei em conversas com o pessoal que cobriu o Sertões em 2009. Sua postura agressiva dentro das pistas e extremamente generosa fora delas lhe rendeu muitos fãs. E um deles quis render uma homenagem a Al-Attiyah.

O jovem Orlando esteve presente no acampamento de Iquique, onde os pilotos concediam entrevistas aos veículos de todo o mundo. Munido de uma enorme bandeira do Catar, o chileno furou o bloqueio da segurança e seguiu aos boxes da Volkswagen para pegar uma foto e um autógrafo do príncipe.

“Nasser é o príncipe do rali. Queria lhe render uma homenagem. Também o faço pelo meu pai, que também é um grande admirador seu”, disse Orlando. O gesto emocionou Al-Attiyah, que após pedir o telefone do garoto para contato, convidou este e também seu pai, para conhecer seu palácio em Doha, capital do Catar. O chileno não conteve a emoção. “É um sonho que virou realidade. Não acredito. A única coisa que queria era uma foto. Apenas uma foto com ele”.

A generosidade de Nasser não é novidade. No mesmo Sertões de 2009, o carro de uma das melhores duplas femininas do Brasil, formado por Helena Deyama e Joseane Koerich — irmã de Marlon Koerich, que disputa o Dacar deste ano ao lado de Emerson Cavassin — pegou fogo em pleno sertão, sendo completamente destruído pelas chamas. Obviamente arrasadas com a má sorte e tendo o prosseguimento da carreira em xeque, as meninas também receberam um presente inesperado: um cheque de US$ 20 mil assinado por Nasser para comprar um novo carro. Como retribuição pelo gesto do piloto, a dupla o homenageou na edição de 2010, batizando o novo carro de Príncipe.

Autor: - Categoria(s): Rali Tags: , , , , , ,
08/01/2011 - 13:59

El caballero

Compartilhe: Twitter


FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]

CAMPINAS — Conheci Marc Coma durante a cobertura do Rali dos Sertões em 2010, prova em que o catalão faturou a vitória pela primeira vez. Além de ser reconhecido como um dos melhores pilotos de moto no off-road em todos os tempos, tendo como principais títulos o bicampeonato do Dacar e o tetracampeonato mundial de rali cross-country, o espanhol sempre foi muito humilde e bastante solícito com todos aqui no Brasil.

Pois bem. Durante a quinta especial do Dacar entre as cidades chilenas de Calama e Iquique, Coma deu mais uma prova de que além de ser competentíssimo no que faz — tanto que após seis estágios, lidera a edição de 2011 — é dono de grande espírito esportivo.

Marc sofrera uma queda no km 80 do trajeto, e o acidente danificou o radiador da moto KTM de número 1. A essa altura, a diferença para o rival Cyril Despres havia caído de dez para pouco mais de dois minutos. Mais à frente, Olivier Pain, que liderava a especial, bateu forte com sua Yamaha e caiu inconsciente, fraturando o pulso.

Coma, que passava pelo local, parou e prontamente ajudou o colega de profissão, deixando a competição em segundo plano. O espanhol acionou o alarme de emergência e improvisou uma sinalização com o capacete do francês. O bicampeão esperou a chegada de Paulo Gonçalves e Joan Pedrero Garcia, companheiros de Pain. Ambos acionaram a equipe de apoio da Yamaha, e assim, Marc seguiu rumo a Iquique, já com a liderança perdida para Despres.

Após chegar no destino final da quinta especial, Coma criticou os competidores que não socorreram Olivier. Como o francês era o líder da etapa, vários pilotos passaram por ele, que só foi socorrido pelo catalão e Gonçalves. O diário ‘El País’ reproduziu um diálogo em que Marc repreendeu a atitude de Frans Verhoeven, belga da BMW.

— Frans, por que não parou?
— Como?
— Só teria de parar e perguntar: “Você tem algum problema?”, “Você está bem?”, “Precisa de ajuda?”
— Não o vi, sinto muito.

Postura bem diferente do espanhol teve Despres, que já em Iquique, declarou: “Eu vi que Marc Coma estava fazendo reparos [em sua moto]. Eu nunca me alegro com os problemas das outras pessoas. O que é importante para mim é a corrida que disputo”.

Pedrero exaltou a atitude de Marc e também criticou os oponentes que não socorreram Pain. “Isso diz muito sobre o tipo de pessoa que é Marc. Ele não foi o primeiro a encontrar [Pain]. Houve alguns pilotos que não pararam”, lembrou o piloto da Yamaha, ao deixar claro que qualquer competidor está sujeito a viver uma situação como a de Olivier. “O companheirismo é importante. Isso pode acontecer com qualquer um”.

Apesar da organização da prova não obrigar o participante do Dacar a socorrer um colega de equipe, a postura de Coma retrata um código de ética, um acordo de cavalheiros, que alguns outros insistem em ignorar, colocando a vitória acima de tudo. Como prêmio, tanto ele quanto Gonçalves receberam um prêmio de bonificação da ASO — embora nada esteja previsto no regulamento — e recuperaram o tempo no atendimento a Olivier.

É por isso que Marc Coma é diferenciado. É por isso que Marc Coma é Marc Coma.

Autor: - Categoria(s): Rali Tags: , , , ,
06/01/2011 - 12:47

Power Farce

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Como vocês sabem, a pulseira Power Balance fez imenso sucesso no mundo inteiro com suas promessas. Segundo a fabricante, o uso do produto melhora o “fluxo de energia”, a força, a flexibilidade e o equilíbrio. É uma pulseirinha de silicone com um holograma no meio.

Nesta semana, depois de enquadrada por propaganda enganosa na lei do consumidor da Austrália, a Power Balance reconheceu, em comunicado, que não existe nenhuma evidência dos efeitos que eles diziam ser verdadeiros em suas peças publicitárias. “Admitimos que não há provas científicas credíveis que sustentem as nossas afirmações. Se você acha que foi enganado por nossas promoções, queremos pedir desculpas e oferecer um reembolso total.”

Pois. Entrei no site. Cinco atletas dão testemunho da eficiência do produto. Ekolu Kalama, do paddleboard, Shaq O’Neal, do basquete, Scott Kazmir, do beisebol, Teemu Selanne, do hóquei, e…

Rubens Barrichello, creditado como “duas vezes campeão do mundo”.

“No carro, você precisa ser flexível, precisa ser parte do carro, não pode ser somente um robô, precisa ser um só.”

“Quando uso a Power Balance na F1, vou ao limite da minha velocidade.”

“Coincidência ou não, a primeira vez que usei numa corrida, eu ganhei.”

É…

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , ,
05/01/2011 - 17:39

Pede pra sair

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Vitantonio Liuzzi disse, hoje, que a Force India não conversou com ele sobre uma possível saída da equipe. Entenda: Liuzzi, ao contrário de Sutil, tem contrato para 2011. Isso porque, quando ele entrou no time como piloto de testes, fez um acordo que previa dois anos como titular. O primeiro já foi, 2011 seria o outro.

Só que Liuzzi foi ridículo em 2010. Fez 21 pontos, contra 47 de Sutil. Fez bastante besteira. Ele quer o segundo ano como titular, e parece que só ele. A pressão pela promoção de Di Resta é grande, e ninguém que não bebeu dois litros de absinto liberaria o Sutil pra ficar com o italiano.

“Britain’s next F1 Star”, tá lá na capa da Autosport, falando do Di Resta. Cheguei a ler que Liuzzi iria pra vaga do Di Resta no DTM, informação que o próprio Vitantonio negou. Pô, Tonio, tá chato, já. Pelo visto, ninguém te quer aí na equipe. Se não te ofereceram a vaga do escocês, pede você.

Eu iria pra outro lugar. O fato de um piloto não dar certo na F1 não quer dizer que ele não seja muito bom. Tonio sempre foi muito competitivo, venceu a última edição da F3000 em 2004, mas fracassou na F1. Talvez seu maior erro tenha sido se dedicar quase exclusivamente à F1 por cinco anos seguidos, fazendo apenas aparições-relâmpago em outras categorias enquanto trabalhava para voltar ao topo do automobilismo internacional.

Acho que é hora de abrir espaço em outros campos. O DTM pode ser um deles. WTCC, por que não? Como dizem aqui na Bahia… Tonho, para que tá feio.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,
04/01/2011 - 09:22

Hummer salvo por um… Fiat 147

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]

O Rali Dacar é pródigo em histórias curiosas. E a edição de 2011 mal começou, mas já garantiu um episódio sensacional.

No caminho entre Córdoba e San Miguel de Tucumán, Robby Gordon perdeu o controle de seu imponente Hummer, que ao bater em uma enorme rocha, teve a suspensão dianteira danificada, ficando sem condições de trafegar, por estar preso à grande pedra. O norte-americano, que vinha numa boa oitava colocação, perdeu mais de 40 minutos tentando, sem sucesso, recolocar o veículo de volta à pista.

Para a sorte de Gordon, apareceu um prestativo espectador argentino, que colocou seu Fiat 147, da mesma cor do Hummer, à disposição para desatolar o carro do norte-americano. Ex-piloto da Indy e agora na Nascar, Robby manobrou o 147, que, com muita competência, conseguiu remover o milionário veículo laranja do local. 

Gordon finalmente conseguiu chegar a Tucumán, terminando a segunda especial do Dacar em 47º. E ele só continua na prova graças à ajuda salvadora do guerreiro Fiat 147.

Autor: - Categoria(s): Rali Tags: , , ,
03/01/2011 - 10:23

Chegada polêmica

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA

Fernando Alonso passou a virada de ano na ilha portuguesa de Porto Santo, próxima à Ilha da Madeira. Entretanto, após aterrissar com seu avião particular no aeroporto, o piloto da Ferrari entrou em conflito verbal com os paparazzi que o esperavam no local.

Ao ver que as câmeras estavam posicionadas no saguão do aeroporto, Fernando esbravejou: “O primeiro fotógrafo ou máquina que vir nesses dias fará com que eu vá embora. E direi para todo mundo que Porto Santo é um desastre. Está bem? Por favor, deem-me tranquilidade”. Apesar de almejar tranquilidade, paz e um pouco de tempo longe dos flashes, desnecessário querer “queimar” um lugar por conta da presença dos fotógrafos. Lamentável.

Alonso encerra nesta segunda-feira (3) sua passagem pela ilha portuguesa. Daqui a uma semana, o espanhol seguirá para Madonna di Campiglio, para os eventos que vão marcar o início da temporada para a Ferrari.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
Voltar ao topo