Publicidade

Publicidade

Arquivo de fevereiro, 2011

28/02/2011 - 17:09

Parabéns, alemão

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Hoje, Ingo Hoffmann faz 58 anos. Piloto longevo, talentosíssimo e, acima de tudo, por tudo o que se fala dele, uma grande pessoa. Acho que não há muito o que dizer. Peço só para vocês lerem os Diários de Despedida, textos escritos na última temporada de Ingo na Stock Car, sem papas na língua, ironizando até mesmo o jeito de o Flavio chamar a Stock de Estoque Car. Os textos são deliciosos. Vão lá.

E fiquemos com a homenagem feita em 2008 a ele, que recebeu o Opala com o qual conquistou seu primeiro título na Stock de Lico Kaesemodel, à época seu companheiro na AMG.

Autor: - Categoria(s): Stock Car Tags: , , , , , ,
23/02/2011 - 13:46

Parabéns, Stock

Compartilhe: Twitter

Reprodução/EPTV Campinas


Felipe Paranhos

Parabéns, Stock, pela grande ideia. Seu campeonato começa no dia 20 de março e foi marcado um teste coletivo para hoje, dia 23 de fevereiro, em Piracicaba. É o único treino de pré-temporada. Piracicaba tem um miniautódromo de 2.100 metros — 1,5 km menor, por exemplo, do que o circuito da abertura, em Curitiba.

A pista de Piracicaba, que soube ser até arrumadinha e destinada a provas regionais, não está no calendário da Stock — portanto, bastante apropriada para o único treino antes da abertura do campeonato. Este treino, inclusive, não é cronometrado. Que profissional, fazer do treino um shakedown de motores.

Ah, mas há outras coisas a testar. Os pneus, por exemp…Não. Os pneus usados nas duas sessões do dia são os do ano passado — os compostos de 2011 não estão disponíveis para o treino.  Além disso, cada equipe só pode colocar um carro na pista, até porque o circuito é pequeno. Só que vários times têm pilotos com patrocinadores diferentes, caso, por exemplo, da RCM, equipe de Rosinei Campos, que decidiu sequer viajar a Piracicaba.

Aí os carros vão para a pista. No fim da manhã, Xandinho Negrão sofre um acidente. Passou reto numa curva, subiu num BARRANCO e foi parar do outro lado da, digamos, proteção. As informações são as de que havia fotógrafos e cinegrafistas próximos ao local. Depois de quase o acidente ter proporções muito piores, aí, sim, foi convocado um briefing com os profissionais. Xandinho tem suspeita de fratura de clavícula. Ou seja, se ela for confirmada, ele não corre a etapa de abertura em Curitiba. O chassi ficou bastante danificado, possível que seja descartado pela equipe.

É triste ver tanta gente boa, equipes, pilotos, profissionais de imprensa, gente que rala submetido ao amadorismo, aos regulamentos feitos nas coxas, à gestão absurdamente leniente da CBA, que silencia a todos os absurdos denunciados no automobilismo brasileiro (Alô, entidade, alô, Vicar, vocês por acaso souberam que tem piloto da Stock incitando crimes de trânsito no Twitter, anunciando aos quatro ventos que coloca 300 km/h numa estrada? Não vão dizer nada?).

No meio desse texto, eu li um tweet do chefe Victor Martins. E ele tem toda a razão no questionamento, por isso vou reproduzi-lo aqui, reiterando que obviamente estão excluídos dele os profissionais que ralam pra colocar carro na pista: Por que a Stock Car gosta de ser este grande lixo?

Autor: - Categoria(s): Stock Car Tags: , , , , , , ,
23/02/2011 - 01:08

O legado de Mansell

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA

SUMARÉ — Um dos assuntos mais comentados da pré-temporada é o efeito que a adoção do Kers e da nova asa móvel traseira pode trazer às corridas da F1 em 2011 em termos de ultrapassagens. Pilotos como Sebastian Vettel e Fernando Alonso acreditam que os novos dispositivos não vão resolver a escassez de ação nas provas, enquanto Lucas Di Grassi acredita que tal medida vai proporcionar manobras artificiais.

Nas décadas de 80 e 90 não havia Kers, nem asa móvel, tampouco a busca incessante pelo aumento de downforce nos carros. Também não havia a enxurrada dos Tilkódromos, pistas projetadas por Hermann Tilke, que nada acrescentam à F1. Exemplos existem aos montes, como Sakhir, Abu Dhabi e Sepang. A única que se salva é Kurtkoy, na Turquia, e talvez, Xangai.

Acompanho a F1 desde 1986, época que pude assistir (via TV) um sem-número de ultrapassagens. MUITAS delas foram protagonizadas por Nigel Mansell. Claro que os tempos eram outros, os carros, circuitos, pneus, até mesmo a atitude dos pilotos nas pistas, eram sim muito diferentes. Várias variáveis, diria Humberto Gessinger. Mas no quesito ultrapassagem, o Leão se destacava dos demais. Isso é fato.

Aproveito o gancho dado pelo Blog do Capelli para falar um mais sobre o ‘Red Five’. O vídeo abaixo mostra dez minutos de um pouco do que Mansell fez nas pistas correndo pela F1, ultrapassando rivais do calibre de Ayrton Senna, Nelson Piquet, Gerhard Berger e Riccardo Patrese. A emblemática manobra sobre Berger por fora na curva Peraltada do circuito Hermanos Rodriguez, no México em 1990, obviamente, não poderia ficar de fora.

Fazendo uma breve análise sobre a carreira de Nigel, fico com a sensação que o título de 92 — conquistado com ‘um pé nas costas’ graças ao desempenho supremo do FW14 da Williams — poderia não ter sido o único. Talvez o título viesse em 86, mas o caneco foi perdido para Prost graças a um furo no pneu do carro do britânico em Adelaide; ou talvez em 91, quando Mansell ficou atolado na brita da curva First em Suzuka e viu Senna comemorar o tri.

Mansell foi um vencedor e isso não se discute. É válido recordar seu histórico na F1 e sua coragem para atravessar o Atlântico e, já na condição de campeão mundial, rumar para a Indy — pela equipe Newman-Haas — depois de ter sido chutado na Williams para dar lugar a Prost e faturar o título da categoria norte-americana em 93. Sem contar que o inglês venceu a última prova do Mundial de 1994 com a Williams de número 2, o último carro de Senna.

O legado do Leão no automobilismo é inestimável, graças à sua coragem, técnica e arrojo, ainda que, por conta dessas características, tenha cometido vários erros nas pistas durante sua carreira. Mas ainda assim, o Red Five se colocou entre os grandes da história por sua ousadia e sua postura agressiva, sobretudo nas ultrapassagens. Que a atitude de Mansell sirva de lição para os pilotos dessa geração.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , , ,
22/02/2011 - 21:20

A Force India brasileira

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Recebemos por email o novo layout do carro do Alceu Feldmann na temporada 2011 da Stock Car. O paranaense estreia pela A. Mattheis neste ano, após passagem pela RCM. O design, baseado na bolha da Chevrolet, tem as cores verde, laranja e branca em destaque, com os patrocínios do Compra Fácil e da Fertipar nas laterais. Ficou bem legal, lembrou a pintura da Force India.

Atualização:
O Pedro Boesel, da Montana, me lembrou no Twitter que já existe uma ‘Force India brasileira’: é o carro dele, que também é patrocinado pelo Compra Fácil. Olha como era a pintura no ano passado. O macacão, inclusive, é muito parecido mesmo com o dos pilotos da equipe indiana na F1.

Autor: - Categoria(s): F1, Stock Car Tags: , , , , , , ,
19/02/2011 - 08:58

O que, afinal, é um piloto pagante?

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Alguns termos do automobilismo não são absolutamente entendidos por todos os que acompanham as corridas. Uma das maiores confusões a esse respeito é a definição de piloto pagante. Numa análise mais rasa, seria o cara que paga por uma vaga, com patrocínios ou dinheiro pessoal.

Mas só em F1 2010, o jogo, você chega à Lotus/Virgin/Hispania depois de simplesmente fazer um teste e impressionar a equipe. No mundo real, pouquíssimos pilotos se sustentam pelo que são, independente de surgirem apoiadores ou não. Exemplo: Alonso tem grandes patrocinadores junto a si, mas, se por acaso perdesse todos hoje, seguiria na F1 — afinal, quando precisava de apoios para se estabelecer, contou com eles.

A verdade é que todo piloto é um pagante por natureza, já que se vira com os negócios fora da pista para barganhar uma vaga melhor, desde as categorias de base até a F1. Portanto, não cabe criticar Maldonado, Petrov, Pérez, entre outros, por ter quem banquem suas vagas na principal categoria do automobilismo. São todos pilotos com currículo forte, que por uma ou outra circunstância, tiveram melhor suporte em suas carreiras. Assim, simples. O fato de haver outros caras melhores que ficaram pra trás por falta de dinheiro é outra discussão.

Falo disso tudo para exemplificar o que é o verdadeiro pagante. Ricardo Teixeira pagou por 30 voltas na Lotus em Barcelona na tarde deste sábado (19), assim como já tinha feito em Jerez, para dar 18 giros na filmagem publicitária da equipe. O angolano de 28 anos tem o patrocínio da petrolífera Sonangol, de seu país, que também dá nome oficial à Superliga.

Pois: Ricardo é um dos pilotos com menos talento que já vi nas pistas. Esforçado, é verdade. Mas ruim, fraco mesmo. Na GP2, só não largava em último quando alguém tinha problema na classificação. Apesar de a Trident, sua equipe à época, ser do pelotão inferior da categoria, era comum vê-lo com tempo de grid 1s mais lento do que o penúltimo, por exemplo. E quem acompanha a GP2 sabe como o grid costuma se mistura a cada GP — o que só deixa mais claro o abismo técnico que o separava dos rivais. Na F2, ano passado, conquistou o melhor resultado da sua carreira: um quinto lugar em Marrakech. Quinto, depois de mais de 100 corridas desde que virou profissional.

E, de repente, você pode vê-lo num lugar de titular da F1 ano que vem. Entenderam?

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , ,
18/02/2011 - 07:23

Sem audiência especial

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Giedo van der Garde teve um motivo a mais para lamentar o cancelamento da etapa do Bahrein da GP2 Ásia: seu pai havia viajado até o Oriente Médio só para assisti-lo correr.

“Que falta de sorte”, disse o piloto em sua conta no Twitter. “Próxima vez, pai…”, acrescentou. Van der Garde lembrou da chegada planejada da F1 em breve, para os treinos coletivos do Carnaval e a abertura do campeonato, na semana seguinte. “Espero que as coisas se acalmem em algumas semanas”, falou.

Na verdade, escrevi isso para dizer que, se nada for anunciado a respeiro, a temporada da GP2 Ásia deve ficar só com a primeira etapa, de Abu Dhabi. Isso porque os dois outros GPs eram no Bahrein: neste fim de semana e nos dias 12 e 13 de março, como preliminar da F1. Se a corrida for cancelada, Jules Bianchi será decretado campeão após só duas provas.

Mas não creio que isso aconteça. As equipes investem uma grana grande e os pilotos também. De qualquer forma, a organização da categoria tem um desafio para dar um jeito no calendário.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,
17/02/2011 - 16:56

Será?

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Hispania treina em Barcelona a partir desta sexta. Não confirmou nenhum dos seus pilotos. Nem Karthikeyan.

Zsolt Baumgartner (lembra? pontuou em EUA/2004 estando 3 voltas atrás do líder) postou no Twitter que fará um grande anúncio nesta sexta.

Deixa eu viajar na maionese? Já pensou?

[Atualização: essa especulação começou nos twitters pessoais dos seguintes infelizes: Leandro Kojima, o @bandeiraverde, que fez a conexão entre o que o tinha no perfil e o início dos testes, e eu e o Felipe Giacomelli, o @daewlz, que demos trela à gozação.

E não é que esse negócio ganhou tamanho? Ê, internet. Saiu em sites húngaros e o perfil do Zsolt se pronunciou.  “Gostaria de me distanciar de todos os rumores em relação ao lugar vago na Hispania. Entretanto, espere pelo grande anúncio amanhã às 12h30 CET.”

Mas, crianças do mundo, frustremo-nos. O pai do ex-piloto disse que o tal anúncio existe, mas não é F1. A conta do Twitter em nome de Zsolt foi deletada. Portanto…]

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , ,
15/02/2011 - 21:32

O preço…

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

…que se paga às vezes é alto demais. A GP2 Ásia, que sabe lá por que razão, simplesmente não corre em China e Japão, chegou ao Bahrein neste início de semana. Só que, na verdade, não chegou. Isso porque, inspirado pelas manifestações no Egito, o povo barenita está nas ruas protestando contra o governo do país.

(A maioria do povo é xiita. Cerca de 70%. Só que o governo, em regime de monarquia, é sunita. Os grupos que estão nas ruas pedem liberdade para a oposição política e a abertura de espaços  por parte dos sunitas no governo. Entre os gritos da população, estava o ‘Nem xiitas, nem sunitas, somos todos barenitas’.)

Muito tem se falado sobre a possibilidade de os manifestantes usarem a F1 para expor suas questões, mas o fato é que neste fim de semana tem corrida. E posso dizer aqui que as coisas estão muito atrasadas por lá. Soube que, apesar de a quinta-feira ser o dia de deixar tudo pronto para o GP, os boxes ainda estão vazios, nada chegou, nem equipamentos.

Com tudo atrasado, as equipes esperam deixar tudo pronto em tempo recorde para a prova. No Twitter, Luiz Razia mostrou otimismo e declarou que espera que tudo esteja pronto a tempo. “Tem protesto aqui perto do hotel no Bahrein, e os carros da GP2 ainda nao chegaram por esses motivos. Vamos ver o que vai acontecer. Nos resta pegar os camelos e fazer um CamelGP , pelo menos vai dar para ultrapassar heheheh!!!! Vamos resolver a situação, no problemss!!!”

Esperamos que o GP aconteça normalmente.

[Atualização: os treinos livre e classificatório, marcados para esta quinta-feira, foram adiados para a sexta-feira. Na noite de ontem, duas pessoas morreram e dez ficaram gravemente feridas após a dura repressão aos protestos. Já são quatro mortes nas manifestações. Pelo que dá para perceber aqui de longe, não acho que vai ter corrida neste fim de semana. Aguardemos.]

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , , , , ,
13/02/2011 - 10:52

Um Abu Dhabi diferente

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Eu acho o circuito de Abu Dhabi uma aberração. Limitado pela área do hotel baseado na Marina de Yas, o traçado não possibilita ultrapassagens e produz deformidades como o Petrov segurar o Alonso uma corrida inteira tendo um carro bem mais lento e o Grosjean, na GP2, não conseguir sequer colocar o carro ao lado do Bianchi mesmo virando várias voltas mais rápidas.

Mas esse vídeo contradiz parte do que se diz sobre a pista. Na noite de ontem, depois da corrida da GP2 Àsia que deu a vitória a Stefano Coletti, James Courtney e Jason Bright, da V8 Supercars, travaram linda disputa nas últimas voltas, com algumas ultrapassagens entre si. Na F1, em 2009, Button e Webber também protagonizaram uma boa briga, mas, talvez por conta das condições da pista para monopostos, o inglês não conseguiu ultrapassar, mesmo tendo carro para isso.

O vídeo tem dez minutos, vale a pena ser visto inteiro. Além disso, é em HD, tá bonitão.

Autor: - Categoria(s): F1, GP2, V8 Supercars Tags: , , , , , , , ,
12/02/2011 - 09:58

Negócio

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Que Abu Dhabi é um dos circuitos mais ridículos que conhecemos, todos sabem. E cada dia mais, todos sabem e deixam claro isso — inclusive os pilotos. Nesta sexta (10), na primeira corrida da GP2 Ásia no circuito emiratense, Jules Bianchi e Romain Grosjean poderiam ter travado uma disputa intensa, cheia de freadas e ultrapassagens. Mas o traçado lamentável, limitado pelo terreno do hotel da Marina de Yas, broxou qualquer pequena briga.

Não sei vocês, mas me entristece ver um piloto já dizer, no dia anterior, que não vai ter chance de fazer nada largando em oitavo porque não dá pra ultrapassar ninguém. E o pior: ele tem razão. Vejam as respostas de Jules e Romain na entrevista unilateral após a prova:

GP2 Ásia: E sobre amanhã??

Jules: Bem, não acho que seja possível ultrapassar. Temos um bom ritmo, mas… Veremos. Vou tentar largar bem e encerrar nos pontos. Vamos ver, tudo é possível.

GP2 Ásia: Romain, vi você balançar a cabeça quando Jules mencionou que ele não acha possível ultrapassar aqui.  Você confirmou isso hoje… [Grosjean foi o segundo colocado, mesmo tendo sido mais rápido do que Bianchi por boa parte da corrida]

Romain: Pergunte a Fernando [Alonso, que não passou Petrov na prova de encerramento da F1 ano passado] sobre isso (risos). Tentar ultrapassar aqui é um pesadelo. Além disso, não há mais a saia no carro, então, quando você perde pressão aerodinâmica, você gasta mais os pneus. Tivemos um ritmo melhor hoje, não pude mostrá-lo porque eu não pude passar Jules.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,
Voltar ao topo