Publicidade

Publicidade
12/02/2011 - 09:58

Negócio

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Que Abu Dhabi é um dos circuitos mais ridículos que conhecemos, todos sabem. E cada dia mais, todos sabem e deixam claro isso — inclusive os pilotos. Nesta sexta (10), na primeira corrida da GP2 Ásia no circuito emiratense, Jules Bianchi e Romain Grosjean poderiam ter travado uma disputa intensa, cheia de freadas e ultrapassagens. Mas o traçado lamentável, limitado pelo terreno do hotel da Marina de Yas, broxou qualquer pequena briga.

Não sei vocês, mas me entristece ver um piloto já dizer, no dia anterior, que não vai ter chance de fazer nada largando em oitavo porque não dá pra ultrapassar ninguém. E o pior: ele tem razão. Vejam as respostas de Jules e Romain na entrevista unilateral após a prova:

GP2 Ásia: E sobre amanhã??

Jules: Bem, não acho que seja possível ultrapassar. Temos um bom ritmo, mas… Veremos. Vou tentar largar bem e encerrar nos pontos. Vamos ver, tudo é possível.

GP2 Ásia: Romain, vi você balançar a cabeça quando Jules mencionou que ele não acha possível ultrapassar aqui.  Você confirmou isso hoje… [Grosjean foi o segundo colocado, mesmo tendo sido mais rápido do que Bianchi por boa parte da corrida]

Romain: Pergunte a Fernando [Alonso, que não passou Petrov na prova de encerramento da F1 ano passado] sobre isso (risos). Tentar ultrapassar aqui é um pesadelo. Além disso, não há mais a saia no carro, então, quando você perde pressão aerodinâmica, você gasta mais os pneus. Tivemos um ritmo melhor hoje, não pude mostrá-lo porque eu não pude passar Jules.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

14 comentários para “Negócio”

  1. Wallace disse:

    E vai ficar pior, o lema é: Siga o mestre por duas horas…. E chamam isso de corrida. É o mesmo que acabar com o gol no futebol. O único que consegue ver corridas espetaculas é o Bobão Bueno…. Também nessa idade…..

  2. Prof. Alexandre Santos disse:

    Viva Tilke e Ecclestone, que estão colocando uma pá de cal na F1. Saudades dos bons tempos onde as categorias todas andavam em pistas de verdade (vide pistas dos anos 70).

    Não estou falando dos conceitos de aerodinâmica dos carros, mas sim; das pistas onde os mesmo bólidos andam. Castradores da técnica e ousadia dos pilotos.

  3. Dionisio disse:

    Parem de reclamar. cada pista tem sua característica e uma corrida é sempre diferente da outra.
    E em Mônaco alguém consegue ultrapassar ?

    • Felipe Paranhos disse:

      Mônaco pelo menos é uma pista tradicional, dos primórdios do automobilismo, tem história. É respeitoso mantê-la no calendário. Abu Dhabi é uma aberração.

    • CBAR disse:

      Estava meio sem o que fazer e resolvi fazer um pequeno estudo sobre o recorrente problema de ultrapassagens em corridas. Obviamnete, como não sou piloto, é uma opinião pessoal, mas olhando o traçado de todas as pistas do calendário 2011 da F-1, é possível imaginar os seguintes pontos de ultrapassagens:

      Bahrein: curvas 1 e 4
      Melbourne: curvas 3, 6 e 15
      Malásia: curva 1
      China: curva 11
      Turquia: curvas 1 e 9
      Barcelona: curvas 1 e 10
      Monaco: curva 10
      Canada: curvas 2, 6 e 10
      Valência: curvas 12 e 17
      Silverstone: curvas 3 e 6
      Nurburgring: curvas 1, 3, 7 e 13
      Hungria: curva 1
      Spa: curvas 1, 5 e 18
      Monza: curvas 1, 4, 9 e 11
      Singapura: —
      Suzuka: curvas 2, 11 e 16
      Coreia: curvas 1 e 4
      India: curva 3
      Abu Dhabi: —
      Interlagos: curvas 1, 8, 10 e 12

      No levantamento acima não levei em consideração um eventual erro ou um “coelho na cartola” do piloto.
      Podemos dizer que, se comparado com os circuitos tradicionais (aqueles que são reconhecidos por seus nomes e não pelo nome dos países onde estão), as novas pistas apresentam menos pontos de ultrapassagens; por outro lado, pode-se dizer que existem pistas tradicionais que apresentam os mesmos pouquíssimos pontos de ultrapassagem.

      Seja qual for a comparação, é inevitável pensar que, para o espetáculo, é a soma de carro com pista que proporciona o show. E já passou da hora de a FIA entender isso de uma vez por todas e privilegiar um regulamento técnico que privilegie o espetáculo e premie a habilidade dos engenheiros. O resto, deixe com os pilotos na pista…

      É isso…
      Abrassssssssss…

  4. Bruno disse:

    Olha, eu sei que os pilotos que estão lá dentro são mais habilitados a falar do que a gente aqui no Blog, mas será que eles não querem a coisa muito na mão?

    Eu sinto que a reclamação toda vaio em cima do Tilke mas eu também acho um pouco de falta de atitude dos pilotos, Hungaroring está aí a 25 anos e lá nos anos 80, 90 nunca se reclamou do circuito travado…

    Monaco também, não é por que é tradição que a questão tem que passar batida…História é História, e pilotos e circuitos vem e vão…Se Mônaco tem 60 anos de história na F-1, muitos outros poderão ter no futuro…Silverstone que tem o mesmo tamanho de história que Mônaco, foi ameaçada por Bernie nos últimos anos. Só está mantida por que os organizadores de Donnington não conseguiram arrumar o circuito para 2010.

    Quer homenagea a tradição? Faz uma prova extra campeonato. Se o Bernie surta e fecha um contrato de 50 para corrida em Abu Dhabi, faz sentido mantê-la depois por conta de tradição? Penso que não….

    • Felipe Paranhos disse:

      A questão que impede ultrapassagens é técnica, não é de coragem. É tanto de circuitos quanto do regulamento. Os carros perdem pressão aerodinâmica quando chegam próximos aos outros. Além disso, praticamente toda mudança que reduz a importância da aderência aerodinâmica é compensada tecnologicamente. O buraco é mais embaixo, mas, com certeza, não é por falta de arrojo dos pilotos.

  5. Mário Sérgio disse:

    Felipe, minha opinião é que o quesito segurança, está se transformando em excesso de zelo e o Herman Tilke só está lá por fins marketeiros.
    Na cabeça dele está uma concepção ridícula de como é um traçado minimamente adequado para realizar uma corrida de carro. Aquele negócio nos Emirados só serve pra corridas à pé mesmo.
    Pra mim, todos ( chefes, pilotos, promotores, jornalistas) concordam que só existe corrida de carro ali única e exclusivamente por causa do dinheiro, certo! sendo assim, querendo ou não, temos que concordar em esperar o famigerado “trenzinho”. Dá pra esperar outra coisa?
    É uma corrida que não desperta interesse, esperança ou sentimento algum… natimorta como diria o Vitor Martins.

  6. Danillo disse:

    Ultrapassagem em Mônaco?
    http://www.youtube.com/watch?v=l_LIURJL6XM

  7. Lucas Toresan disse:

    E Mônaco tem sim locais de ultrapassagem, Bem diferente de Abu Dhabi que STR anda na frente de Ferrari e etc

  8. Eric TK disse:

    Os únicos que devem agradecer ao circuito de Abu Dhabi ser assim são os torcedores do Vettel, porque se fosse em Interlagos o final do campeonato, acho que o Alonso passava o Petrov fácil, e levaria o título. Não sou torcedor do Alonso, mas acredito que ele ganharia.
    E já que não dá pra mudar os circuitos, senão Tio Bernie vai ganhar menos dinheiro, sobra para os carros, criando KERS, asas móveis, e coisas que outras categorias não usam, mas que conseguem ser mais competitivas que a F1.

  9. André disse:

    Este é o novo carro da GP2. Tentaram imitar a F-1, e imitaram junto a aerodinâmica de dificultar ultrapassagem. Não vejo problema na pista, apenas no carro.

    • Felipe Paranhos disse:

      Comprovaremos isso ou não na corrida da semana que vem, no Bahrein. Se for agitada como sempre, você está errado. Do contrário, vitória de André. hehe

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo