Publicidade

Publicidade
19/02/2011 - 08:58

O que, afinal, é um piloto pagante?

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Alguns termos do automobilismo não são absolutamente entendidos por todos os que acompanham as corridas. Uma das maiores confusões a esse respeito é a definição de piloto pagante. Numa análise mais rasa, seria o cara que paga por uma vaga, com patrocínios ou dinheiro pessoal.

Mas só em F1 2010, o jogo, você chega à Lotus/Virgin/Hispania depois de simplesmente fazer um teste e impressionar a equipe. No mundo real, pouquíssimos pilotos se sustentam pelo que são, independente de surgirem apoiadores ou não. Exemplo: Alonso tem grandes patrocinadores junto a si, mas, se por acaso perdesse todos hoje, seguiria na F1 — afinal, quando precisava de apoios para se estabelecer, contou com eles.

A verdade é que todo piloto é um pagante por natureza, já que se vira com os negócios fora da pista para barganhar uma vaga melhor, desde as categorias de base até a F1. Portanto, não cabe criticar Maldonado, Petrov, Pérez, entre outros, por ter quem banquem suas vagas na principal categoria do automobilismo. São todos pilotos com currículo forte, que por uma ou outra circunstância, tiveram melhor suporte em suas carreiras. Assim, simples. O fato de haver outros caras melhores que ficaram pra trás por falta de dinheiro é outra discussão.

Falo disso tudo para exemplificar o que é o verdadeiro pagante. Ricardo Teixeira pagou por 30 voltas na Lotus em Barcelona na tarde deste sábado (19), assim como já tinha feito em Jerez, para dar 18 giros na filmagem publicitária da equipe. O angolano de 28 anos tem o patrocínio da petrolífera Sonangol, de seu país, que também dá nome oficial à Superliga.

Pois: Ricardo é um dos pilotos com menos talento que já vi nas pistas. Esforçado, é verdade. Mas ruim, fraco mesmo. Na GP2, só não largava em último quando alguém tinha problema na classificação. Apesar de a Trident, sua equipe à época, ser do pelotão inferior da categoria, era comum vê-lo com tempo de grid 1s mais lento do que o penúltimo, por exemplo. E quem acompanha a GP2 sabe como o grid costuma se mistura a cada GP — o que só deixa mais claro o abismo técnico que o separava dos rivais. Na F2, ano passado, conquistou o melhor resultado da sua carreira: um quinto lugar em Marrakech. Quinto, depois de mais de 100 corridas desde que virou profissional.

E, de repente, você pode vê-lo num lugar de titular da F1 ano que vem. Entenderam?

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

14 comentários para “O que, afinal, é um piloto pagante?”

  1. Luiz Felipe disse:

    Eu ñ crtíco eles por serem pilotos pagantes, já q eu tbm pagaria para correr.
    Todo fim de ano me encho de esperança com a mega-senna da virada :P

  2. Anderson Puff disse:

    É isso que chamo de piloto pagante, o cara que não tem braço nenhum e consegue chegar lá passando outros melhores do que ele…………………….. No caso de Alonso, Hamilton entre outros que chegaram lá ainda que pagando, mas de forma diferente…….. porque patrocinadores identificaram neles muito talento

    • Harry Jr disse:

      Patrocinador não identifica talento, identifica exposição na midia. As vezes uma batida (na Nascar, p. ex.) vale mais que um top 5.

  3. Harry Jr disse:

    É isso mesmo.
    Schumacher estreiou na Jordan e conseguiu o lugar na Benetton (no carro do Moreno) porque a Mercedes pagou; Vettel é bancada pela RedBull desde sempre; Hamilton foi adotado pela McLaren; Alonso entrou na F1 pagando na Minard, tendo como companheiro “experiente” o Tarso Marques. E por aí vai… F1 é esporte/negócio, ninguém faz caridade, tudo tem um preço. Mesmo quando o cara não é bancado por um patrocinador (ex: Kobayashi, mas que tbém foi bancado muito tempo pela Toyota…), sua contratação abre “portas” para a equipe (Sauber) em algum mercado ou com alguns patrocinadores que poderão se identificar com o cara. Ou ainda, neste caso, por ser um cara rápido e que pode mesmo em uma equipe pequena fazer vez ou outra algo excepcional.

  4. Beto disse:

    Depois do Satoru Nakajima, não duvido de mais nada…

  5. A meu ver um piloto pagante e sempre piloto pagante nao interessa de onde vem o dinheiro. E nete caso na maioria das vezes o talento se torna irrelevante.

    Em muitos casos o piloto nao e o melhor para estar na posicao que esta. Existem casos que obviamente foi uma questao de investimento ex. Lewis Hamilton.

    Sinto muito mas isso tira a caracteristica de esporte e passa a se chamar negocio. Nao da nem para dizer que se trata de esporte negocio.

    Piloto profissional e aquele que recebe salario da equipe. nao aquele que leva um caminhao da equipe e por isso tem uma parte que se torna o salario dele.

    Ser piloto de competicao ficou banalizado por causa de dinheiro, e um negocio muito caro portanto nescessita de muito investimento, e assim acaba abrindo portas para os milionarios.

    Talvez seja isso que esteja faltando no automobilismo, pilotos que gostam do que fazem e nao milionarios que estao em busca do glamour.

    Sinto muito ser um pouco duro na minha opiniao, mas eu quero ver alguem fazer algo sem grana ou chegar a algum lugar no automobilismo e ganhar um determinado respeito sem ter grana, somente baseado em trabalho dedicao, perseveranca e fe.

    Foi assim que cheguei ate aqui e aposto que muitos olham para mim com desdem porque nao se trata de F1, Nasca, on Indy. Mas ningue olha para o que foi conquistado, por esse ou aquele piloto, por isso continuo anonimo no automobilismo brasileiro.

    Mas quem sabe isto pode comecar a mudar com minha opiniao expressada aqui.

    Obrigado
    Adriano Medeiros

    • Felipe Paranhos disse:

      Adriano, você tem toda a razão no que diz. No fundo, os maiores vencedores são aqueles que conquistam as coisas com menos investimento e mais talento. A minha explicação sobre um cara como o Ricardo Teixeira é só a constatação de que o automobilismo é mesmo cada vez mais negócio. Não basta ser bom (em alguns casos nem precisa ser), precisa ser bonito, carismático, vender bem. É triste.

      Um abraço e boa sorte aí na Inglaterra. O importante é lutar sempre.

  6. André disse:

    Acredito que o termo “piloto pagante” devesse ser eliminado do automobilismo. Todos um dia pagaram ou pagarão para correr, não importa se com dinheiro próprio ou de patrocínio.
    A quantidade de dinheiro que um piloto carrega consigo não é inversamente proporcional ao seu talento. E isso já foi suficientemente comprovado, e este ano será reforçado novamente por Sergio Perez e Pastor Maldonado.
    Aproveitando pra convidar a ver minha corrida nesse domingo, Felipe e toda galera convidada! Transmissão ao vivo no http://www.f1bc.com, F1 de 1988 em Mônaco, começa as 21h30 ao vivo!

  7. J. Alves disse:

    Vixe.. Primeiro pensei “o que é que o cara da CBF tá fazendo alugando carro de F1!?” hahaha :-) Só entendi quando li o resto, claro, por que não acompanho F2, GP2, etc.

  8. Eduardo disse:

    Em 2009, a Bia figueiredo ficou de fora de uma corrida da indy lights, por ter (segundo publicação esportiva da época) dividas provenientes de batidas em corridas anteriores. Isto realmente acontece ? O piloto tem que pagar o estrago nos carros acidentados ?

    • Felipe Paranhos disse:

      Na maioria das categorias, sim. Na Indy e na Lights, está quase sempre em contrato. A partir de determinado nível de dano, vai pro bolso do piloto.

  9. Jacaré e Capivara do Tietê disse:

    Piloto pagante é profissão mais antiga do mundo

  10. Rafael MR disse:

    Piloto pagante todos sao, quer dizer algum dinheiro o cara eh obrigado a ter. Seja da empresa do pai, seja a de outros empresarios.
    Mesmo o Senna parou por 6 meses por falta de patrocinio.
    O automobilismo eh mesmo um esporte/negocio.
    Gostei muito do texto do Felipe, ficou bem claro ate onde o negocio pode ficar acima do esporte.
    Entao pra aqueles que nao tem dinheiro, e ficam chorando dou um conselho, esqueçam essa carreia e vao trabalhar.
    (A nao ser que voce seja tao talentoso como um Senna um Piquet ou um Fittipaldi).
    Automobilismo acaba virando apenas um hobby para 99% das pessoas (to incluido nessa estatistica).

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo