Publicidade

Publicidade
17/03/2011 - 17:25

Alívio imediato

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A gente tem falado aqui da crise grave do automobilismo brasileiro na formação de pilotos e desenvolvimento destes para a F1, mas existe a chance de a previsão minha e do Felipe Massa receber um prazo maior para acontecer. Isso porque há brasileiros que iniciam a temporada com boas chances de título em 2011.

Vamos ao primeiro deles: Felipe Nasr. O brasiliense vai correr pela Carlin, principal equipe do automobilismo britânico, e vem fazendo ótima pré-temporada. A F3 Inglesa fez quatro dias de teste até agora. Nos dois primeiros, em Rockingham, o brasiliense dominou. Nos dois mais recentes, em Silverstone, foi segundo colocado, batido por pilotos diferentes: primeiro o colombiano Carlos Huertas, depois o malaio Jazeman Jaafar, ambos da mesma equipe.

Sempre peço aqui pra que as pessoas segurem um pouco a expectativa sobre Nasr, que, afinal, é um menino de 18 anos. Mas é fato que é muito talentoso. Sorte pra ele, que escolha os caminhos certos. E que tenha grana suficiente para ir além.

O outro nome forte este ano é Cesar Ramos. O atual campeão da F3 Italiana testou pela F2 e foi muito competitivo logo de cara, a despeito de o carro feito pela Williams ter mais do que o dobro de potência. Decidiu correr na World Series e, apesar de ser estreante, vem conseguindo um desempenho excelente.

No seu primeiro dia de testes pela categoria apadrinhada pela Renault, que tem motor em média ainda mais forte que o da F2, emplacou um sexto lugar, 0s1 mais lento do que Alexander Rossi, companheiro e promessa norte-americana. No segundo dia em Aragon, foi o quarto, 0s16 atrás do parceiro de Fortec.

Em Barcelona, os treinos foram marcados pelo tempo chuvoso e por condições variáveis do circuito. Ramos foi nono no primeiro dia e 14º no segundo, em que não conseguiu andar com pneus de pista seca e, portanto, não teria como andar no ritmo dos líderes.

Ramos deve brigar ali entre os cinco primeiros no extremamente competitivo grid da World Series. E, se não acontecer, não tem problema (exceto financeiro, se houver): é primeiro ano, dá pra tentar mais uma vez. O favoritíssimo para 2011 é Daniel Ricciardo, reserva da Red Bull/Toro Rosso, na maior barbada entre as séries de acesso à F1. Só que a chance de ele substituir Sébastien Buemi ou Jaime Alguersuari durante a temporada é muito grande. Não acredito no australiano correndo até o fim da disputa.

Há três datas em comum entre World Series e F1, somente uma no fim da temporada, quando essa substituição seria mais provável. Entretanto, não sei se a Toro Rosso repetiria a permissão para terminar o campeonato da categoria de base como fez com Jaime Alguersuari em 2009, para depois ouvir o espanhol reclamar de falta de adaptação durante 2010 inteiro. Se Ricciardo não chegar ao final da disputa, mais uma chance para que Ramos, Wickens, Rossi e companhia lutem pelo troféu no fim do ano.

Autor: - Categoria(s): F3, World Series Tags: , , , , , , ,

Ver todas as notas

18 comentários para “Alívio imediato”

  1. André disse:

    O problema na revelação de pilotos é após esta safra citada. Estes ainda provem de uma F3 baqueada, um filho de dono de equipe, coisa e tal. Formação de pilotos em si nao há.

  2. Leonardo de Souza disse:

    Têm como deletar o meu comentário?estava escrevendo ele e ainda ia revisar minhas idéias quando ele acabou se enviando sozinho por algum motivo.

  3. marciojn3 disse:

    não quero quebrar a expectativa de ninguem,mas se nao mudarem o jeito da tocada,baubau….esses testes pre-temporada nao significa nada.

    • Felipe Paranhos disse:

      Profeta do apocalipse: “Se não mudarem o jeito da tocada…” Tà bom.

  4. fernando amaral disse:

    o nasr realmente entusiasma, sempre demonstrou competitividade desde o início na europa; complementando, ele venceu em rockingham ano passado. o colombiano huertas tá na f3inglesa já desde 2009.
    triste é o aspecto grana pesar tanto, aparentemente é o q está detonando o prosseguimento das carreiras de buzaid e dias no velho continente.
    torço também pra que o marcelo suzuki consiga, embora sendo mais improvável situado no japão, alguma chance importante no ocidente. um sansei na f1 seria interessante.

  5. ANDERSON disse:

    Pena que nao se tem muuitas oportunidades para os filho de pobre as vezes se perde um grande talento só vê filho de ex correndo

  6. Carlos Eduardo disse:

    O Brasil passa por uma crise de pilotos talentosos,na alemanha já tem vários nomes entre eles o Sebastian Vettel,que já foi campeão no ano passado e também temos Alonso,Shumarcher,Lewis Hamilton,porém todos talentosos,Nossa experança,Felipe Massa? ou Alonso?quem é o melhor?.Vamos esperar que vai se dar bem ou seja quem tem mais talento.

  7. elinaldo disse:

    Este tal de FELIPE NASR guia muito . Tri no Brasileiro de Kart . Campeao da F-BMW no seu primeiro ano de Automobilismo . Contrato assinado com o empresario do KIMI e do BUTOM .

  8. Jorge Hernam Valenzuela disse:

    O problema começa quando o menino ganha um troféu de corrida de fim-de-semana em uma corrida de kart, e o pai já o manda prá Europa, para fazer a carreira lá.
    O kart, que é o grande celeiro de pilotos,é só o que temos de monoposto de expressão no país.

  9. Bryan Kobori disse:

    Felipe Nasr é o melhor brasileiro que ainda não chegou na Formula 1, e não terá problemas em relação à dinheiro, pois tem um contrato de 10 anos com Robertson atual empresário e sócio do Kimi Raikkonen.

  10. Pedro Moisés disse:

    Bom acho que é muito precipitado falarmos de quem vai ou nao chegar a F1. Hoje temos um grande problema na F1, pela falta de treinos as equipes estao procurando pilotos com uma certa experiencia, como um piloto que nunca andou em um carro de F1 vai da uma opniao para trocar uma mola, falar q o carro nao freia, em fim, opinar em um acerto do carro sendo que o piloto pode somente “conhecer” o carro nos treinos de sexta feira antes de uma corrida. Vemos o caso da Renault como o Bruno Senna, falar que ele nao acelera e nao tem potencial para andar em uma equipe de ponta seria uma mera falta de inteligencia, o menino “nao conseguio se quer andar em um carro de F1”. Entao temos que contar hoje nao só com o dinheiro para entrar na F1 como tambem um talento nato para impressionar um “cabecao” da F1. E voces podem ter certeza que todos esses pilotos nossos que estao se destacando e ganhando seu espaco no automobilismo internacional tem um talento enorme. Só tem que está no lugar certo na hora certa. Torco muito por eles, especialmente pelo grande piloto que passei minha infancia junto a ele, Felipe Nasr! Acelara Magrelo. Abraco a todos.

  11. Leandro Gimenes disse:

    Já faz pelo menos uns 6 anos que eu me preocupo com o futuro do automobilismo brasileiro, principalmente em relação à F-1. Não ouvia ninguém tocar no assunto, mas felizmente, vejo você e o Flávio Gomes nos ultimos meses pegarem pesado com isso. Dou-lhes muitos parabéns, temos mesmo que alertar a todos, e mais que isso, arrumar um jeito pra mudar isso (se é que tem).
    Quanto aos pilotos citados, concordo, são os que no momento nos dão esperança de termos uma sobrevida na F-1. Quem viver, verá. Abraços

  12. Pedro disse:

    Felipe, tenho acompanhado e visto in loco o que acontece nas categorias de base com o kart. Meu filho é um destes pilotos que começou e agora está parado, por falta de patrocínio. Bom criamos uma associação que pode ser uma gota no oceano, mas temos convicção de que podemos ajudar neste processo, pois a Associação Aliança do Vale que criou a SC Racing, é baseada numa lei federal e a empresa que está no regime de lucro real pode descontar do imposto de renda, caso vier a nospatrocinar. Sei de sua influência na mídia e gostaria de poder conversar mais para quem sabe vocês nos ajudarem neste processo. Podem acessar nosso site e ver mais sobre como funcionamos e qual nosso objetivos. http://www.sc-racing.org
    Sds
    Pedro Zimmermann
    Tesoureiro SC RACING

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo