Publicidade

Publicidade
26/05/2011 - 16:44

'Otoridade' clubística

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [@felipeparanhos]
de Salvador

Antonio Pizzonia foi anunciado de volta como piloto do Corinthians na Superliga, aquela coisa. Um release, uma declaração de piloto contente e confiante e animado e mais um no bando de loucos, essa expressão chata que todos os caras que representam o clube dizem há alguns anos quando são apresentados.

Aí o Pizzonia postou a imagem do layout do carro no Twitter. Bandeira do Brasil, com o escudo do Corinthians só no aerofólio traseiro. De cara, uma imensa diferença em relação ao status quo da categoria — desde seu início, três temporadas atrás, os carros tinham uma pintura temática dos clubes: o do time paulista era alvinegro, do Flamengo rubro-negro, do Olympiacos alvirrubro e por aí vai.

É o que a Superliga queria dizer com “Taça do Mundo”, codinome da temporada deste ano — a quarta, uma analogia com o fato de haver Copa a cada quadriênio. Os clubes perderam espaço para os países na pintura dos carros. Ou seja, a categoria gradativamente migra para o estilo da falecida A1GP. É só ver como está pintado o carro de Yelmer Buurman, do PSV. Praticamente não há o vermelho e o branco do clube, mas o laranja predominante utilizado pelas seleções esportivas holandesas.

Só que o detalhe que causou polêmica no carro do Corinthians é o verde da bandeira brasileira — cor representativa do Palmeiras, rival da equipe do Parque São Jorge. Digo desde já que acho isso uma imensa babaquice. Mas esta babaquice cromológica gerou um comunicado oficial do clube: “O Sport Club Corinthians Paulista esclarece ao seu torcedor que em nenhum momento aprovou o layout do carro divulgado pela Fórmula Superliga como sendo o do Timão.  Evidentemente não será autorizada a utilização da cor verde em nosso carro.”

Repito novamente que é uma babaquice, mas, ok, é algo institucionalizado, ocorreria em todo time do mundo. Só que o campeonato começa no próximo fim de semana, na Holanda. E, se o Corinthians publicou uma nota hoje, é porque seu marketing não sequer tinha conhecimento das mudanças no campeonato. E não vai “autorizar” o uso do verde? Sei não, mas acho que é batalha perdida, isso… Ainda mais porque, a essa altura, o carro está sendo ou já foi pintado.

Todos sabem que os clubes só emprestam suas marcas para o campeonato. Não escolhem piloto, equipe, nada. Sendo assim, não me parece que tenham autoridade alguma para escolher as cores do carro. Veremos o que vai acontecer.

Autor: - Categoria(s): F-Superliga Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

20 comentários para “'Otoridade' clubística”

  1. Gabriel Souza disse:

    Vou te contar viu, é cada uma. Que parte a direção do Corinthians não entendeu sobre as cores?

    E, como você disse, pelo visto eles não tinham conhecimento do layout, o que só mostra como eles estavam “antenados”.

    É este pensamento raso que povoa a cabeça destes “dirigentes”, infelizmente.

    Abraço!

  2. O carro ficou bonito, não sou corinthiano e sim vascaíno, maaaass… se eles nao quiserem essa pintura eu aceito doação da mesma pra usar em competições online, tipo o iRacing. Hahaha

  3. André disse:

    Primeiro que a A1 GP foi muito mais do que é essa tranqueira de Superleague.
    Agora o curintia é fueda. Com pintura do palmeiras e piloto sãopaulino, hahaha.

  4. Daniel Dias disse:

    Não faz sentido… o carro do Flamengo é igualzinho então (só muda o aerofólio)?

    E outra… se o carro do PSV é laranja, o do brasil devia ser predominantemente amarelo. Com detalhes em azul e branco, e alguns menores em verde. E de repente, o carro do Flamengo com as cores do uniforme reserva (o carro azul e branco ia ficar bonito, hein)… ou vice-versa.

    Mas o q dá a entender é q vai virar uma A1GP isso aí mesmo.

  5. Gonzalez disse:

    Tá bom, mas se fosse o São Paulo em vez do Corinthians, iriam reclamar do mesmo jeito, dizendo que ignoraram o cor-de-rosa predominante delas.

  6. pequim disse:

    È… não dá para entender… será que a “direção do Corinthians” tem uma bandeira do Brasil sem a cor verde.
    Gente… é só uma cor… e é verde bandeira e não verde “parmera”…rs
    Ah… sou corinthiano por incrivel que pareça…rs

  7. Leandro Freitas disse:

    O corinthians pode sim decidir pelo layout do carro… Vossa senhora est´pa enganado nesse ponto

    • Felipe Paranhos disse:

      Eu tenho a impressão que não. Infelizmente a Superliga ainda não me respondeu sobre isso. Mas, se o clube puder decidir, me explique o porquê.

  8. Os caras querem usar o nome do Corinthians então, o mínimo seria acatar ao clube sobre as cores.
    Não tenho nada contra a pintura da bandeira do Brasil no carro, acho bonito. Mas se não vai mais remeter nada ao clube, então que vire Equipe Brasil.
    Em todo caso, acho que o carro todo em azul com detalhes amarelos fica mais bonito, do tipo uniforme da seleção.

  9. Bobby disse:

    Sobre a cor eu não sei. Mas quero saber o que a FIFA vai dizer quando vir aquele logo da Copa 2014 junto do “Visit Manaus”.

  10. Adriano Muha disse:

    Essa Super League é a categoria mais sem graça da história do automobilismo. Um sãopaulino pilotando carro do corinthians que nem as cores do time tem é piada.

  11. Fernando disse:

    Se esse ano na F-Superliga será uma espécie de copa do mundo e os carros representarão os países, o Corinthians representará o Brasil, então o que será do carro da mulambada? teremos dois carros representando o Brasil? Aí rola jogo de equipe?

    • Felipe Paranhos disse:

      Rapaz, o carro do Flamengo ainda não tá representado. Capaz de não rolar, mesmo. Aliás, tá tudo muito estranho… Vou tentar apurar.

  12. Bobby disse:

    Pelo jeito, o Corinthians foi limado da categoria. O carro que antes era chamado de Brazil / Corinthians agora consta apenas como Brazil no site oficial.

  13. Eduardo Azeredo disse:

    OFF – Felipe, você estava torcendo pro Hildebrand na Indy 500? hahaha

  14. Fabrizio Petecof disse:

    Caro Bobby, o Timão saiu fora isso sim, e não foi “limado”. Acontece que “verdes”, “Pretos” e “visit Manaus” à parte, esse carro virou uma piada!! É estapafúrdio um carro que se presta a representar um clube de futebol ter propaganda de turismo, bandeira do Brasil, etc. Perdeu totalmente a sua identidade só isso, e o clube corretamente ao meu ver nesse caso tem que abandonar essa bizarrice.

    • Felipe Paranhos disse:

      A “propaganda de turismo”, Fabrizio, é o patrocinador do Pizzonia. Sem patrocinador, não corre ninguém em carro nenhum.

      Só fico sem entender… Fica parecendo que o Corinthians faz um favor à Superliga…

  15. Fabrizio Petecof disse:

    Poxa Felipe! Talvez tenha me expressado mal. É claro que entendo a situação do Pizzonia! Ele está certo sem duvidas. É um cara extremamente talentoso e fora de questão.

    O lance é que o Corinthians só está lá para se promover tb, e esse lance da cor traz uma situação no mínimo estranha e insustentável ao meu ver pra continuação deles.

    Não é necessariamente uma ignorância deles e sim um idealismo que qq clube do mundo têm. Faz parte da cultura dos clubes só isso. O Pizzonia e Manaus não tem culpa disso, aliás conheço bem Manaus e é uma cidade linda!

    Só imaginou o carro do Real Madrid (caso tivesse sei lá) pintado de azul e grená listrado? Caso fossem as cores do patrocinador do espanhol que iria guiar o carro??

  16. Bobby disse:

    Fabrizio, tem razão. Me expressei mal, só quis dizer que no site não constava mais o carro como sendo do Corinthians. Eu não sou corintiano, mas achei ridículo colocar o carro deles de verde. Sempre tive simpatia pela categoria, mas esse ano está bem estranho.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo