Publicidade

Publicidade
04/07/2011 - 15:07

Surdez para o bom senso

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Sou só eu que acho essa discussão sobre o barulho dos motores da F1 a partir de 2014 uma besteira? Ok, é uma parte integrante do espetáculo da F1, ninguém gosta de ver corrida no mudo, mas tem um pouco de factóide nisso tudo, me parece.

A F1 vai abrir mão de uma fórmula de sucesso e colocar um motor de Ka 1.0?

Motor V8 é sinônimo de carro moderno, tecnologia avançada?

Alguém vai mesmo deixar de ir a um autódromo ver os carros, a velocidade, as ultrapassagens, porque o som é X decibéis mais baixo?

A resposta é não para as três perguntas. Quanto à última, arrisco dizer que, se a mudança para os motores V6 fosse feita às escondidas, de um dia pro outro, quase todo o público dentro do autódromo não repararia. Se reparasse, talvez até agradeceria pela “impressão” de que o barulho que machuca os ouvidos diminuiu, talvez atribuísse o menor incômodo a um possível acostumar do sistema auditivo com a zoada.

Convenhamos, ninguém vai assistir a uma corrida no autódromo por causa do barulho do motor. Tá ali, ótimo, é um negócio secundário, muita gente até acha exagerado — eu incluído. No mais, acho que muita gente ficaria contente em ver a corrida com os ouvidos nus, a salvo daquele zunido agudo invadindo mortalmente sua orelha.

(Se é que o volume vai cair tanto assim. É justamente por tudo se tratar de suposição que eu acho a discussão, as ameaças de processo e tal uma enorme besteira.)

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , ,

Ver todas as notas

77 comentários para “Surdez para o bom senso”

  1. Daniel Vasconcelos disse:

    Felipe Paranhos, eu fico impressionado como ainda existem pessoas, ou um grupo de pessoas, que investem em assuntos de dimensão irrisória para poder conseguir seus objetivos. Não cola, nem nunca vai colar este argumento de que a redução dos ruídos vai afastar o público da F1. A questão da redução sobre os impactos ambientais é de fato pertinente, mas não podemos comparar a polução emitida nas corridas ocasionais com veículos altamente poluentes que rodam 24h, 48h e até mesmo dias ininterruptos. Concordo em grau, número e gênero e outro parâmetro qualquer que não passa de uma grande balela, além de uma jogada de interesses políticos (diga-se de passagem, financeiors) do alto escalão da F1. Ou seja, os interesses particulares preterem o belo espetáculo que a F1 pode oferecer aos seus espectadores. Abraço!

  2. João Paulo disse:

    Não sei por que o pessoal tá reclamando do barulho… eu acompanho a f1 co o pior barulho de todos! A narração do Galvão Bueno!

  3. Lucas disse:

    olha, muita gente é atraida para ver uma corrida de F1 devido ao som, eu particularmente acho pessimo ver uma corrida de WTCC e ouvir aquele barulho froxo dos Seat diesel. Agora a questão é se esse motor v6 1.6 turbo vai produzir um barulho legal que continuará atraindo as pessoas da mesma maneira que sempre foi.

  4. Georges disse:

    O ronco fica menor pelo menor rpm. Nos anos 70 os giros eram eram entre 10 e 12 mil giros, e o ronco era show. Com os V6 turbo, o ronco grave também era show. Então, polêmica sobre isso é besteira….

  5. Fernando Monteiro disse:

    Pessoal, sinceramente, a F1 anda tão chata que a prova disso é ficar discutindo o ruído dos motores. Quando a Renault reintroduziu os motores pressurizados em 1977, (nos anos 50 a Alfa tambem tinha seu 8 cilindros pressurizado), seu ronco era muito mais suave em relação aos motores DFV e ninguem reclamou disso, aliás, essa bobagem não passou pela cabeça de ninguem na época, e sabem por que? Por que as corridas eram emocionantes de verdade e não artificiais como as de hoje. A categoria anda tão chata, que precisam inventar ultrapassagens artificiais, barulhos artificiais, pneus que gastam rápido de propósito, etc… para manter o interesse. Que saco.

  6. Massao disse:

    Boa noite! Com todo respeito, na minha opinião faz muita diferença, sim, os motores roncarem ou não.Por exemplo, sou fanático por F1, mas não pela Indy.Muito por causa daquele barulho feio.Como já disseram nos comentários, o barulho, o cheiro de borracha, de gasolina, tudo faz parte.E faz da F1 um espetáculo único.Lembro da primeira corrida que fui assistir.Foi em Suzuka na época dos V10.Não tinha ingresso e fiquei colado no muro só ouvindo o barulho dos motores, das reduzidas.Consegui os ingressos depois da corrida já ter começado, mas já tinha valido a pena até ali.Minha namorada, na época, também acabou se apaixonando.Enfim, pra mim faz toda a diferença, sim.Abraço.

  7. Leandro Nogueira disse:

    Bem, não se poderia esperar mais nada de Bernie Eclestone, o qual só sabe criar polêmicas e evitar que o esporte se desenvolva. Enfim, mais um pitaco de um cara que não deveria mandar no esporte.

  8. Fernando Monteiro disse:

    Felipe, eu acho que tudo isso começou lá atrás com o interesse da AUDI em entrar na dança, tanto é verdade, que se ela não tivesse desistido e dado uma banana para a F1, o corpo dirigente iria impor a especificação de 1,6 litros/ 4 cilindros. O que vc acha?

    • Felipe Paranhos disse:

      Começou com a Audi, sim. Mas eu acho que as fabricantes não iam deixar rolar o V4. Até por uma questão numérica. Seria Renault e Audi contra o resto. E o resto seria Mercedes e Ferrari, com Cosworth no meio de tudo. Então acredito que o V6, por ser a solução intermediária, acabaria levando mesmo que a Audi seguisse na disputa.

  9. João (Portugal) disse:

    Filipe, vê este site: http://www.classicgrandprixclub.com/

    Muito bom, é possível ver as corridas dos anos 80, 90 e 2000.. tive a ver corridas de 1990…. uau, na altura eram muito utilizadas durante a transmissão as câmeras onboard (diferente das de hoje em dia) e lá é possível ouvir, em toda a sua grandiosidade, aqueles roncos fantásticos dos antigos V12 e V10… também vi a primeira corrida do Schumacher pela Benneton, 1992 Monza, e passar da câmera de um Ferrari V12 para um Benneton Ford V8 chega a ser deprimente :) hehehe

  10. José disse:

    Como o ronco não é importante???? Ridiculo, ronco é fundamental!!!

  11. José disse:

    Quem vai aos autódromos e é apaixonado sabe o que é estar se aproximando da pista e ouvir o ronco dos motores…

  12. Depois dos V12 já mudou muito…. de v6 pra v8 e quase nada…..

  13. flavio disse:

    Eu vou sim em interlagos ver a formula 1 principalmente pelo barulho, gostaria de poder ter ouvido os V12, mas infelizmente não deu.

  14. Luiz disse:

    Também acho! O barulho alto encobre os outros sons de pneus, assoalho, etc. E o Galvão vai gritar menos! Também acho que 1.6 turbo vai ter 2000 hp, quem vai guiar?

  15. JPFS disse:

    Me espanta muito um repórter que se diz ser especializado em automobilismo proferir uma blasfêmia desta dizendo que o bbarulho dos motores não influencia no espetáculo sendo justamente este fator uma das esscências do automobilismo alinhado a velocidade, tecnologia, design dos carros e disputas…

    • Felipe Paranhos disse:

      Não me espanta nada alguém que saiba ler e não saiba interpretar um texto. Eu não disse que não influencia. Não falei aqui que, se os carros corressem “no mudo”, seria igual ou tão legal quanto agora. Eu só disse que o barulho é secundário, porque o fundamental são os carros correndo. E que acho a ‘altura’ exagerada, agudo demais.

  16. Cristiano disse:

    Veja o video das largadas em Goodwood esse ano, tem motor de F1 de tudo quanto é tipo:

    http://babybenzclub.blogspot.com/2011/07/classico-de-competicao-da-mercedes-em.html

    E outra coisa, ronco de motor dá pra ser trabalhando com alterações no escapamento.

  17. Vanni Rebonato disse:

    Felipe,
    boa noite.
    E’ a primera vez que envio um comentario mas o assunto me chamou atençao.
    A minha experiencia me sugere que o barulho dos motores pode sim ser importante para quem vai para o autodromo e é jovem.
    Me esplico melhor:
    quando eu assisto a uma corrida na TV e tenho a possibilidade de ver ao vivo quase todos os lances mais importantes e bonitos nem me lembro do barulho mas as poucas vezes que eu fui a assistir corridas ao vivo ( particularmente quando eu era mais novo) o barulho era para mim uma descarga de adrenalina ja de longe. De outro lado ao vivo voce so assiste ou assistia de uma so posiçao e nao tem/tinha como acompanhar melhor a corrida.
    E’ so a minha opiniao amarrada sobretudo as minhas lembranças.
    Um forte abraço

    vanni Rebonato

  18. Paulo disse:

    Sim, só você acha a discussão sobre o ruído dos motores uma besteira.

    • Felipe Paranhos disse:

      Leia os comentários e veja que não sou só eu. E se fosse, também, problema nenhum haveria.

  19. Angelot disse:

    Autorama vai voltar a ser o bicho! Sem o ronco classico to fora. Ja ta uma porcaria mesmo, a Indy ta muito melhor e a V8Supercars.

  20. Clenio Azevedo Vilela disse:

    Concordo que o nível do ruido do motor de um formula1 seja ultra importante para o expectador, para o apaixonado por formula1. Sou da época dos motores F1 V12, V10 …e como roncavam bonito…as rotações dos motores eram baixas em relação aos de hoje. Ouvia-se os motores! Os de hoje emitem simplesmente um zumbido estridente ( 230 decibéis?). Gosto tambem, mas sem saudosismo, prefiria ouvir o som do motor, como o do Ferrari V12. Assisto aos GP F1 desde o primeiro GP Brasil. Penso que parte da minha audição está comprometida, porque todos os GP F1 que assiti, nunca usei protetores de ouvido…e não reclamo. Foi e será bom demais ouvir os roncados, sejam de V6, V8, V10, V12, turbos ou aspirados. Que venham!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo