Publicidade

Publicidade
03/10/2011 - 10:30

Destruir uma corrida e destruir uma carreira

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [@felipeparanhos]

A notícia do início da semana veio do site oficial da F1. Durante o GP de Cingapura, Rob Smedley, engenheiro de Felipe Massa, pediu via rádio ao seu piloto para que destruísse a corrida de Lewis Hamilton. “Segure o Hamilton o máximo que você puder. Destrua a corrida dele o máximo que você puder. Vai, garoto”, foram as frases proferidas por Rob.

Há duas maneiras de interpretar os dizeres de Smedley. A primeira é a de que Felipe estava instruído a prejudicar Hamilton, a de ver a Ferrari como a eterna vilã que torna o esporte indigno. Para quem pensa assim, a semana será um prato cheio. A imprensa inglesa deve atacar sem dó as palavras do engenheiro do time de Maranello, até porque, no fundo, muitos na ilha esperavam um acontecimento para tentar reabilitar forçosamente Lewis do fracasso em 2011.

A outra forma de entender o que aconteceu é a que prefiro. Não sou um ouvinte atento de todas as comunicações de rádio, mas vejo a instrução do engenheiro como um incentivo. Segura o cara, não dá mole, acaba com a corrida dele! Não tem nada de mais, o que gera discussão inútil é o “destrói” — e, se formos analisar do ponto de vista semântico, destruir e “acabar com” têm o mesmo sentido.

Só que, e sempre tem um “só que”, o vazamento dessa comunicação põe por terra o que foi dito sobre Hamilton naquela corrida. E tira totalmente o sentido da revolta de Massa, que foi tirar satisfações com Lewis enquanto o piloto concedia entrevista ao vivo.

(Aliás, aqui na minha terra, bater no braço do outro, reclamar e em seguida dar as costas não é lá muito coisa de macho. Mas tudo bem, cada um se revolta de um jeito. Fecha parêntese)

Voltando ao que disse e correndo o risco de minha argumentação se perder pela digressão, digo: se Massa estava sendo orientado a pilotar defensivamente e segurar o ímpeto de um muito mais rápido Hamilton, o que ele esperava? Numa pista de rua em que as ultrapassagens são difíceis, ele queria que o rival, mais rápido, ficasse esperando um erro dele para passar?

Ora, se o piloto da frente era instruído para pilotar defensivamente — e era isso que Massa fazia —, ele não pode reclamar do fato de Hamilton ter tentado dar um jeito de ultrapassar e, por isso, acabar quebrando a própria asa e furando o pneu do carro de Felipe. Depois, Massa ajudou a linchar Hamilton, que apanha pelo que fez e pelo que não fez. E não trouxe nada de bom para a sua própria carreira.

Tá ficando feio, xará.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

93 comentários para “Destruir uma corrida e destruir uma carreira”

  1. Marcelo disse:

    Paranhos, existe um contexto para a tal ordem que não pode ser deixado de lado nesta sua avaliação: A scuderia Ferrari. A mesma de Schumacher e Rubinho, e a mesma de “Alonso is faster than you”. Somamos a isso o que aconteceu neste mesmo GP quando Alonso ganhou, e Piquet foi o pau mandado. Acredito que nenhum piloto tenha que ser instruído para fazer o melhor e segurar sua posição. Ordens com este conteúdo, só podem ser maldosas, e com interpretações de jogar o carro para cima de outro, forçar algo e etc. Me parece óbvio.

  2. Bhika disse:

    Mais uma vez um piloto Brasileiro se mostra corrupto as ordens vergonhosas.(Vai um e logo aparece outro)

  3. leonardo disse:

    sem esse detalhe eu ja achei q Hamilton ñ fez nada demais, nada na maldade, agora então, queria mesmo é “Massa in the wall”, e ainda sim é só ver a evolução dos 2 “pilotos” depois do incidente, Massa é muito mediocre, e nem pra encarar de frente.

  4. Edson disse:

    Tá mesmo Paranhos….de todos os em torno de 30 pilotos brasileiros na F-1 o Massa está se revelando o menos digno de correr com a bandeira brasileira…..tá mercenário demais para o meu gosto…..Já disse e repito, Hamilton foi precipitado mas o inocento-o pelo seguinte: ficar atrás de Massa numa prova é tomar de 0,5 a 1,0 segundo por volta dos lideres e lógico que Hamilton, sabendo disso, forçou ultrapassagem no treino de sabado e também na corrida….no fundo, tá certo Hamilton….se fosse o Senna, que aliás fazia isso sempre, era ovacionado, como o cara é ingles, é criticado….criticado principalmente por um narrador piegas que já passou do ridiculo em querer fazer um idolo brasileiro a força por, quem sabe, as bensesses dos anuncios na emissora oficial….bem, isso é outra conversa…..Vai fundo Hamilton, Vettel, Alonso, Buton, Di Resta, Kobaiashi, Perez, Schumacker, Rosberg….voces são pilotos, nos do Brasil, estamos sem….

  5. Rodrigo disse:

    Nada demais nessa história! Se for jogar no ar tudo que fala pelo rádio… vai ter polêmica toda semana!

  6. Renato disse:

    Cara voçe quer defender uma coisa indefensavel,o Hamilton bateu porquefoi precipitado.O Massa sempre vai defender sua posição.

  7. Eduardo disse:

    Caro Felipe, sou obrigado a discordar… O fato de pedirem para o Massa “segurar” o Hamilton, destruir a corrida dele, não dá ao Lewis o direito de bater o carro em outro piloto. Eu acho que foi um erro de corrida, não faria todo esse drama. A reação do Felipe ao final da corrida foi o complemento do “destrua a corrida dele”. Agora concordo 100% que se vc interrompe um entrevista no meio, dá uns tapas bem dados e ainda solta a groselha “que beleza, hein??”, o mínimo que tem que fazer é ficar lá e ver a reação do cara. Ia ser engraçado.
    Abraços e parabéns pelo trabalho.

    • Felipe Paranhos disse:

      Entendi o que você quis dizer. No fundo, estamos dizendo a mesma coisa: que foi algo de corrida. O Lewis não tem direito de bater no outro carro, claro, mas é foda ficar atrás de um carro que já é mais lento do que você e tá orientado pra te segurar. Abraço!

  8. Evaldo disse:

    Caiu a mascara do capacho da ferrari…que triste fim pra esse rapaz

  9. Ted Boy disse:

    Olá Felipe respeito muito seu trabalho e concordo com a maioria de suas análises e que fique claro que acho que Massa vem sendo um Fisichela (não sei como escreve) melhorado e tomando um show de Alonso e os outros das equipes top, mas neste caso independente do que foi dito pelo rádio, estou me baseando em seu texto que acredito nas interpretações quanto ao inglês, não falou nada demais, quantos técnicos usam para seus atletas para anular ou marcar o adversário frases com ” acaba com ele”, “mata o cara” “acaba com eles” então isto me leva crer que neste caso Massa estava certo e acredito que falou com Hamilton e virou as costas pois parecia muito nervoso e talvez até parti-se para briga, algo que acredito que seria pior.

    • Felipe Paranhos disse:

      Então, Ted Boy. Nisso que eu falei do destruir e “acabar com”, eu concordo com você, não vi nada de mais. A questão não é a palavra, mas a orientação em si. Não precisava partir pra briga, era só discutir ali.

  10. Alexandre Canina disse:

    Muito sensato o comentário, sem o sensacionalismo da imprensa brasileira.
    Além disso, se pensarmos que a McLaren é mais rápida que a Ferrari, que o Button já estava lá na frente, a única forma da Ferrari conseguir um pódio era com o Fernando. Se o Luís passasse o Felipe logo de cara, a chance dele chegar na frente do Fernando era grande.
    Justificada a pedida do engenheiro?

  11. Luiz G disse:

    “Tá ficando feio” é um comentário muito gentil de sua parte, Paranhos.
    A atitude de Massa, de bater no ombro de Hamilton, já foi meio feia….Não é necessário dar chilique na frente da TV.
    A não ser que tenha sido….premeditado.
    Depois de vazar esta informação, a atitude de Massa se tornou “falha de caráter”. Mas tudo bem….a F1 não é um lugar para pessoas com valores morais sinceros e retos. Todos são disimulados e suas atitudes vão de acordo com os interesses do “circo”.
    Se houvesse “moralidade” na F1, Massa deveria ser demitido….E seu engenheiro também.

  12. Nelson disse:

    Tudo é corrida, agora um piloto de verdade deveria saber melhor quando se deve tentar uma ultrapassagem, enfiar o carro de qualquer jeito eu faço, por mais que a defesa seja implacável, quem ataca tem que ter critério, basta lembrar de Culthard x Bernoldi. o Hameilton acha que é um Senna…

  13. Zé Fini disse:

    Pois é Felipe….e mesmo que Massa não tivesse recebido esssas instruções, não podia ficar sempre nesse mi mi mi, como se Hamilton fosse o culpado pelas corridas ruins dele. E ainda pra se aparecer, ir lá durante uma entrevista do outro e tirar satisfações e não ficar pra esperar a resposta, ficou mais feio ainda…pra Massa. O famoso “bate e corre”.

    O Hamilton tem passado dos limtes algumas vezes, como em Mônaco, por exemplo, agora daí a culpá-lo pelas suas frustrações, é muito diferente.

    Por que ele não foi tirar satisfações com Alonso, quando este empurrou ele pra fora da pista na entrada dos boxes na China, ano passado?.

    • GGoncalves disse:

      Zé Fini – sobre Mônaco – o Shumy passou o Hamilton no grampo, o ingles nao fez nada deixou o alemao passar e depois devolveu o golpe. O Hamilton tentou passar o Chorão no grampo e este fechou a porta, bateram. O Pastor nao tem experiencia poderia ter pontuado em Mônaco, mas foi querer disputar quem freia depois justamente como o Lwis, nem por decreto do H. Chaves.

  14. Braulio Gerhardt disse:

    Hum… Deixa eu ver se eu entendi. Quer dizer que a culpa é do Massa? Ou seja, ele deu uma “traseirada” no spoiler do carro do Hamilton, é isso?
    Caramba, então todos nós estamos subestimando as habilidades do Massa…

    • Felipe Paranhos disse:

      Não, ninguém teve culpa. O cara da frente tava orientado a defender, o de trás tinha de dar um jeito de atacar. Coisa de corrida.

  15. MTP disse:

    Mas isso tudo não tira o fato de que o inglês errou feio e prejudicou a corrida dos dois em Cingapura…
    Massa está em péssima fase, mas também não precisa coloca-lo ainda mais pra baixo…

  16. foca disse:

    A cobertura jornalística da F1 hj em dia poderia muito bem estar na Caras… tá feia a coisa xará do Felipe.

  17. Fernando Niterói disse:

    Rob Smedley e a cúpula da Ferrari sabe muito bem que o áudio está aberto. Por este e outros motivos o “destruir” teve um significado de apenas dificultar o máximo a ultrapassagem dentro dos limites permitidos, uma vez que Hamilton era um dos postulantes a vitoria em Cingapura e a rivalidade entre as equipes é bem acirrada. Como disse o Galvão Bueno um dia… “isso é pura perfumaria!”.

  18. Gil Queiroz disse:

    Reportagem sensata.

  19. Lúcio disse:

    Discordo. O fato de o Massa ter sido “instruído” de tal maneira não dá ao piloto que vem atrás dele o direito de atropelá-lo. Surtos do Galvão à parte, o erro, na minha opinião, foi do Hamilton. Diferente seria a hipótese de o Massa, seguindo a tal instrução, ter abalroado o inglês.

    • GGoncalves disse:

      Quem bate atrás está sempre errado, ainda mais se for o Hamilton. Na China o Alonso bateu atrás no Hamilton, puniram os dois com alegação de que o ingles mudou de trajetoria mais de uma vez. Em Monza o Shumy jogou o Lwis fora da pista, fez cobrinha varias vezes, somente após a corrida o chefe dos comissarios disse que o alemao deveria ser punido e narrador nao chamou o psiquiatra. O Galvao é a múmia da televisão. Rimou?

  20. Eric TK disse:

    Minha interpretação: “destruir a corrida” não significava nada violento, significava só o Massa ficar na frente do Hamilton até o final da corrida. Do jeito que o Massa tá apático ultimamente, ele chegaria num sexto, sétimo lugar, deixando o Hamilton louco da vida em oitavo. Ou seja, prejudicar na base da lentidão…
    Só que o Hamilton ultimamente tá usando a tática agressiva do Kobayashi, mas colhendo resultados de Katayama, aí bate mesmo…

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo