Publicidade

Publicidade
05/10/2011 - 14:49

O erro que se repete

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [@felipeparanhos]

Leia os mais diversos blogs de automobilismo hoje. Veja todos os elogios feitos a Jenson Button, que renovou contrato com a McLaren. Todos estão certos. Jenson Button mostrou nos últimos anos que é um piloto top, alguém em quem qualquer equipe pode confiar se precisar de um piloto que dispute o título da F1.

Mas volte um pouco no tempo e lembre qual era a avaliação feita sobre Button quando ele foi para a Benetton em 2001, com 20 anos. Quando completou seu terceiro ano na BAR, depois de ir bem em 2004, mas cair com a equipe em 2005. Quando fez 28 anos em 2008 e não conseguiu tirar a Honda da situação vexatória em que se encontrava.

Button chegou à Williams em 2000 cercado de expectativa, depois foi tachado de playboy deslumbrado, reergueu-se em 2004, mas voltou a dar motivo para o “eu disse” dos sabichões no ano seguinte e enquanto esteve na Honda. Quando conquistou o título de 2009 com o impressionante carro da Brawn, eu lembro — e vocês hão de lembrar também — que havia muita gente a questionar se estávamos diante do pior campeão da F1 em todos os tempos.

Tudo o que enumerei foi somente para reiterar algo que vez por outra falo aqui: o torcedor — e muitas vezes o jornalista — de automobilismo se apressa a esculhambar um piloto no início da carreira. Falo por experiência própria: passei a bater nesta tecla depois de, três anos atrás, criticar fortemente o Pastor Maldonado pelas cagadas que fazia na GP2. Bastou um ano e meio para que ele mostrasse que a maturidade havia chegado devagar e que era um piloto pronto para chegar à F1. E hoje lá está o venezuelano, dando muito mais trabalho a Barrichello do que em 2009 fez Nico Hülkenberg, muito incensado por aí, e muito talentoso também.

Se tivesse o sinal da RGT em sua casa, Vettel ouviria no ano passado que era rápido, mas não tinha maturidade para ser campeão da F1. E, antes que se iniciem as críticas ao Galvão, olhem pros comentários do BloGP sempre que se fala de algum piloto em específico. A quantidade de comentários definitivamente negativos sobre pilotos com 22, 24, 26 anos é incontável.

É por isso que às vezes a gente põe o pé no freio ao falar de um piloto que começa muito bem a carreira. Olha o Jules Bianchi aí na GP2 sem corresponder aos holofotes. Olha o Grosjean, que recebeu todos os golpes ao pegar o abacaxi que era aquela Renault de 2009 no lugar do Nelsinho Piquet, e agora ganhou a GP2 com um pé nas costas.

Paciência…

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , ,

Ver todas as notas

27 comentários para “O erro que se repete”

  1. Olegário disse:

    Podem falar o que quiser do Button, ele pega a Jéssica Michibata e eu vou ter inveja dele o resto da vida por isso…

  2. Marcelo disse:

    O que Button fez em 2010 com um bom carro, Rubinho não fez em 20 e 04 com um super carro, ou seja se destacar, não estou falando do “pau” que tomou do alemão. Com aqueles carros de 02,04 e também naquele super carro de 09(pelo menos nas 7 primeiras corridas), Rubens teria que fazer corridas extraordinárias como faz Button em 2010. Vettel assim como Schumacher, dominou temporadas, mas olhe as vitórias de Button, Hamilton e Alonso, todas foram fantásticas…até Schumacher com aquela “banheira de prata” deu show em MON,CAN,BEL,ITA. Mônaco Schumacher fazia bela corrida, mas o carro quebrou…no Japão também foi bem. Rubinho teve bons carros, se fizesse grandes corridas, com certeza iria impressionar equipes e hoje estaria em equipe de ponta…só a Ferrari se interessou por Rubens. Williams, Mclaren, Renault quando eram grandes no passado, nunca firmou contrato com Rubens, mas ele queria? Nas outras equipes ganharia o mesmo salário? Duvido…

    Observe o que Button fez desde que teve carro de ponta a partir de 09, foram 3 anos, 11 vitórias..a primeira de Honda em 06 com carro inferior, coisa que Rubens nunca conseguiu na vida, vencer com carro inferior…Rubens tem que é dar graças a Deus por correm em equipe de ponta nos anos 2000, muito graças ao Schumacher que “ergueu” a Ferrari várias vezes, 96/03/06…

    • Lima disse:

      Marcelo,

      Que eu saiba a Williams se interessou em Rubens após a morte de Senna. E a Mclaren fez proposta quando o primeiro contrarto de Rubens na Ferrari terminou.
      Fora que a Honda não foi uma grande equipe, mas pretendia ser, vide o orçamento que era uma das maiores da F1.
      Ou seja, três equipes de ponta + Ferrari… Está bom para você?

  3. Marcelo disse:

    Corrigindo: O que Button fez em 2010 com um bom carro, Rubinho não fez em 02 e 04

  4. Conrado disse:

    Julgamentos ruins partem de avaliações medíocres. Corrigindo o modo de como vemos as coisas, podemos começar a fazer julgamentos melhores. Acho que é mais ou menos por aí. Eu mesmo, sempre comentei com meu pai, que não achava o Button lá grande coisa, porque não carregava muita velocidade. O ingles calou-me, mostrando que dá pra andar mais rápido, sendo econômico nos momentos certos. Eu não aprendera… quando li uma citação do Jim Clark, dizendo que o melhor era aquele que era o mais lento andando na frente. Acho que o Button é mais ou menos isso… hoje em dia. Um baita piloto de automóvel.

    Ese erros de julgamento acontecem muito no futebol: Tuta; Souza; Cléber Santana; tem 300 outros… jogadores que foram “artilheiros”, Expresso por números. “Contra fatos não há argumentos”, afinal de contas, não é?

    Não. Está aí o julgamento equivocado. Para mim, o conceito de um bom artilheiro, não é relacionado simplesmente a quantos gols ele fez em uma temporada. Levo em consideração vários fatores; ele cansa? e machuca com frequencia? joga todos os jogos? volta pra ajudar? faz bem o pivô? é fominha? usa bem as duas pernas? sabe cabecear? joga pelas pontas? pelo meio? então apoia bem os dois las?… enfim… o Tuta é um lixo, não tem postura nem para andar direito. Foi só um exemplo… hehehe

    O Raikkonen, outro exemplo. Faz corrida boa desde que entrou na F1. Não é questão só de “quantos pontos vc fez?” ou de “terminou quantas corridas?”. A questão principal é “como vc fez para estar onde está?”. O Raikkonen, “desmotivado” venceu Spa Francorschamps numa cadeira elétrica. Teve diversos carros fritados e abandonos estranhos, com corridas ganhas.

    Por que o Massa não é um piloto top?
    Porque apesar do Felipe ter uma velocidade descomunal em voltas rápidas (desde 2006, nas minhas avaliações… não levei fé, nem o acompanhei tanto nos anos anteriores), ele é um piloto bastante mediocre no que diz respeito aos duelos. É um piloto que se mostra extremamente apático em situações de defesa de posição e, tambem, passa a impressão de ser um tanto inseguro em ultrapassagens mais “apertadas”.

    E o mais polemico das minhas teorias: Nelsinho Piquet! haha… o que dizer? Foi sacaneado desde a primeira corrida na Austrália, na Renault. E todo mundo afirma que ele andou mal. Para o que deram para ele; para a forma como ele foi tratado… conseguir chegar em 2° na Alemanha, foi algo sensacional. Apesar dos pesares, daquela corrida, ele teve o Segundo melhor rendimento da corrida, perdendo só para Hamilton. O que dizer da 4ª posição em Fuji? E a corrida na França? Ninguem lembra… e o moleque, mesmo sacaneado, foi capaz de tirar leite de pedra.

    Era um piloto, na minha humilde opinião, muito mais talentoso que Massa, Rubens e Bruno Senna juntos. Mas enfim…pena que deu no que deu. Gostei da delação… mesmo que vingativa. Outra história… hehe
    _
    Abrs

    • Conrado disse:

      E/T: Sobre o Massa… além do que disse; é um tanto irregular e raramente termina a corrida com o carro inteiro.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo