Publicidade

Publicidade

27/04/2011 - 13:57

Almanaque Warm Up 2

Compartilhe: Twitter

SÃO PAULO | Tá no filó, e o Almanaque Warm Up 2 saiu. O senhor que quer presentear sua senhoura, seu filho, seu neto, o parente próximo, alguém que curta automobilismo, bom jornalismo e trabalho de ótima qualidade, compre a mais nova edição da versão impressa da Revista Warm Up.

São 160 páginas de arte by Bruno Mantovani e textos deliciosos, dentre os quais se destaca o longo material da unificação dos títulos da F1 antes de 1950, o carro-chefe desta edição. O preço é baratinho, R$ 24,90, mais de metade do que custou o anterior.

Para comprar o Almanaque Warm Up 2, que tem matérias e seções exclusivas, é so ir ao site do ‘Automobilismo EC’, que em breve também vai oferecer muitos outros produtos ao público distinto e nobre.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: ,
23/12/2010 - 14:23

Ouro negro

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE
@Borgo_

Raphael Campos (@themightybeard), campineiro que vive na Inglaterra, foi o vencedor do concurso realizado pela Lotus (a do Fernandes e de Kovalainen e Trulli) com as cores preta e dourada que iriam ser usadas pela equipe em 2011. Iriam, porque a Lotus Renault (a da Proton e de Kubica e Petrov) resolveu se antecipar e anunciou que correrá com a clássica pintura. Ou seja, Raphael venceu, mas não verá sua pintura na temporada de 2011.

Mas ao menos a pintura será colocada em um carro que será usado para exposições. Menos mal. A pintura ficou lindona. Muito boa.

Clicando aqui você pode ver a pintura por vários ângulos.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
22/12/2010 - 16:32

Voando pra Malásia

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA
@fernandomagall

Johnny Cecotto Jr., que foi dispensado da Trident antes da etapa de Monza da GP2, tem praticamente tudo acertado para correr pela Air Asia, a nova equipe de Tony Fernandes na categoria-escola e filial da Lotus Racing.

O BloGP soube que, além do venezuelano de 21 anos — mas alemão de nascimento — existem dois candidatos a companheiro de Cecotto na equipe malaia: o luso Álvaro Parente, que substituiu Alberto Valério na Coloni em Spa-Francorchamps e em Monza — obtendo bom desempenho, principalmente na Bélgica —, ou ainda Giedo van der Garde, que nutria esperanças de ocupar o cockpit da Marussia Virgin, mas perdeu a vaga para Jérôme D’Ambrosio.

A vaga na Air Asia é uma das mais cobiçadas no grid da GP2 porque representa um acesso mais fácil à F1. Recentemente, a cúpula do Team Lotus dispensou Fairuz Fauzy do cargo de piloto reserva da equipe, o que possibilitará a um, ou talvez aos dois pilotos da Air Asia se revezarem na função durante a temporada de 2011.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
21/12/2010 - 11:23

Prazer, sou Bia

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE
@Borgo_

Bia Figueiredo deu show no Desafio das Estrelas, isso já não é mais segredo pra ninguém. Mas Bia se apresentou para muita gente neste domingo (19). A corrida, transmitida pela Globo e com narração do Galvão Bueno – e acreditem, o Galvão quase dobra a audiência dos eventos que narra – foi como um ‘Olá’ de Bia para quem não costuma acompanhar o automobilismo, e até aqueles que só se interessam pela F1. Bia disse, sem usar uma palavra, tudo o que sempre quis dizer.

Galvão ficou encantado. Reginaldo Leme, que sempre elogiou a bela moça, aumentou seu tom. Bia Figueiredo, e não Ana Beatriz – o único passo errado da carreira da pilota, ao meu ver, foi mudar seu nome para correr nos States – chegou a ficar com a quarta colocação nos Trending Topics mundiais do Twitter.

Bia mostrou que é competitiva, carismática e midiática. E aí surge a pergunta: cadê o apoio? A Ipiranga bancou duas corridas da Bia na Indy em 2010: São Paulo e as 500 Milhas de Indianápolis. Também viu sua marca ser muito, mas muito exposta neste domingo. Particularmente acho que a Bia garantiu sua temporada 2011 na Indy.

Boa sorte, concorrentes da Bia!

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
14/12/2010 - 15:27

Senna e a imprensa

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA

A partir desta terça-feira (14), chega às livrarias a obra ‘Ayrton Senna e a Mídia Esportiva’, da Editora AutoMotor, escrita pelo jornalista Rodrigo França, que buscou relatar um pouco da relação nem sempre pacífica entre o tricampeão mundial de F1 e a imprensa.

De acordo com o autor, “é a cobertura jornalística da carreira de Ayrton Senna que representa o melhor exemplo da estreita relação entre a mídia esportiva e sua necessidade de ídolos”. França reporta nas 220 páginas do livro depoimentos de profissionais do jornalismo, além de fazer uma análise de mídia nas décadas de 80 e 90 e também na atualidade.

O valor do livro, com prefácio assinado por Reginaldo Leme,que também é dono da AutoMotor, é de R$ 29,90. Barato demais! O lançamento oficial de ‘Ayrton Senna e a Mídia Esportiva’ será no dia 20 em São Paulo. As fotos de Senna, muitas delas inéditas, são de Miguel Costa Junior, que cobre a F1 há mais de três décadas.

Reproduzo aqui o comentário do Bruno, da AutoMotor, para os que querem saber quando será o lançamento:

Olá, amigos. Obrigado pelo interesse: nós, da AutoMotor Editora, faremos o lançamento na próxima segunda-feira, dia 20.12, no Garage Burger, em SP (av. Prof. Luiz Ignacio Anhaia Mello, 1.501, Vila Prudente).

Além da venda no lançamento, o interessado pode adquirir a obra nas principais livrarias (a distribuição foi iniciada ontem) ou diretamente com a editora. Neste caso, pode entrar em contato comigo mesmo, no email bruno arroba rleme ponto com br”

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , , ,
12/12/2010 - 12:29

Lotus serve pra tudo

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE

Recentemente pudemos acompanhar todo esse imbróglio envolvendo a(s) Lotus. Ou melhor, o nome Lotus.  A Lotus do ano passado segue viva e a ela trataremos nesse post como Lotus de Fernandes. E tem a Lotus da Proton, que comprou parte da Renault, que agora é chamada de Lotus Renault.

Essa briga toda pelo nome também está na justiça. E, por enquanto, seguimos com duas Lotus na F1.

A revista inglesa ‘Autosport’ se posicionou recentemente a favor da Lotus da Proton, que hoje é a Lotus Renault, dizendo (via e-mail, que Mike Gascoyne tornou público) que a Lotus de Fernandes é artificial e oportuinista, enquanto a Lotus da Proton carrega o espírito de Colin Chapman.

Briguinha boba, mas que faz a diferença no trato de veículo e público sobre a equipe, ou as equipes.

E pra você? Qual é a Lotus verdadeira? A Lotus de Fernandes, a Lotus da Proton ou nenhuma das duas?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:
07/12/2010 - 17:47

Corre, Milka, Corre! (not)

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE

E a bela Milka Duno, lembra dela?, vai promover sua primeira tarde de autógrafos no próximo sábado (11), na cidade de Porlamar. A venezuelana lançou sua biografia, chamada – e sem ironias – de ‘Corre, Milka, Corre!’, que conta detalhes de sua vitoriosa (?) carreira como pilota profissional já há algum tempo, mas só agora vem ao público para canetar as páginas escritas em inglês e espanhol.

A publicação foi premiada na Venezuela como um dos principais livros para jovens e adolescentes latino-americanos, que, segundo Milka, são inspirados por sua história de “superação e felicidade”. Pois é. E Milka já teve série de TV. Quem não se lembra do mítico ‘Milka a 1.00 km/h’, que passa nas madrugadas do Discovery Turbo.

Mas as bios estão aí. Recentemente, Mark Webber também lançou biografia, e com ela a revelação de que correu com o ombro quebrado nas quatro últimas corridas de 2010.

Helio Castroneves também já tem a sua.

E você? Gostaria de ver a biografia de qual piloto? Vale qualquer um, do mundo todo.

Autor: - Categoria(s): F-Indy, F1 Tags:
30/11/2010 - 09:40

Dacar in Rio

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@fernandomagall]

Em tempos de recesso nas categorias principais do automobilismo mundial, o foco do esporte a motor no fim do ano e começo de 2011 será o Rali Dacar, que de 32 edições, terá a terceira consecutiva disputada entre Argentina e Chile, com os competidores cruzando o desafiador deserto do Atacama.

Para 2012, a rota da maior competição off-road do planeta tem grandes chances de ser alterada, e o Brasil pode ver a largada do mítico rali no Rio de Janeiro. Em matéria divulgada pela revista portenha ‘Corsa’, Etienne Lavigne, diretor do Dacar, admitiu que a prova pode cruzar praticamente todo o continente sul-americano, passando também por Paraguai, Peru, além de Argentina e Chile.

Segundo o dirigente francês, uma das possibilidades de trajeto do novo Dacar em 2012 é que a largada aconteça no Rio de Janeiro, e a chegada, em Lima, capital peruana.

A ideia de integrar a América do Sul por meio de uma competição da magnitude do Dacar, por si só, é muito interessante. O Rio de Janeiro sofre com a falta de uma grande arena para o automobilismo, uma vez que Jacarepaguá deixará de existir muito em breve, e Deodoro ainda é apenas mais um projeto. O Dacar serviria como alento para os fãs brasileiros e cariocas que sentem falta de mais competições de alto nível na Cidade Maravilhosa. Antes palco de provas da F1, Indy e Mundial de Motovelocidade, Jacarepaguá hoje é palco apenas da Stock Car, Racing Festival e campeonatos regionais. Muito pouco para o potencial do Rio. Muito pouco.

Estou na torcida para que o Dacar venha para o Brasil e para o Rio. Alavancaria ainda mais o esporte no país, assim como acontece hoje na Argentina, responsável pelo maior número de inscritos na edição 2011 do Dacar, 85.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
24/11/2010 - 11:26

Gold and honey

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE [@Borgo_]

Pois é. Passada a distração do joguinho do post anterior, vamos falar sobre a ida de Ho-Pin Tung à Indy, que já é dada como certa pelos lados de Indianápolis. Piloto pagante e tal, dizem. Não, criançada. O Tung não leva dinheiro pra FAZZT. O Tung é pretendido pela patrocinadora principal da equipe canadense, a Bowers & Wilkins, empresa britânica do ramo de redes wi-fi e home theaters.

A B&W, creio que acertadamente, olha para os lados asiáticos para turbinar seus negócios. E como ela pretende bancar dois carros com sua marca na FAZZT, não vejo problema nenhum  no fato de eles escolherem o companheiro de Alex Tagliani, que já correu – e bem – em 2010 com a marca da grande ilha estampada no carro. Um chinês, coisa inédita em categoria top, chacoalhando toda a mídia cantonesa e tal. Baita jogada.

O fato é: pilotos pagantes fazem parte da nova fase do automobilismo mundial, e não só da Indy. Como bem disse João Paulo de Oliveira, um dos pilotos mais injustiçados na Europa e no Brasil, mas um dos mais respeitados no Japão, essa é a tendência e isso já é realidade também na F1.

“Diante do que vem acontecendo, a F1 pode caminhar para uma nova era. A era de ‘quem pode’. Agora, o $$$ passa a ser essencial a novos pilotos”, comentou o atual campeão da F-Nippon em sua conta no tuíter (@JPdeOliveira).

Usando os exemplos de Pastor Maldonado e a PDVSA, e Sergio Pérez e a Telmex, JP completou afirmando que isso pode tirar muitos jovens talentos da categoria. “Acredito que a F1 continuará tendo os melhores pilotos em atividade no mundo, como há hoje em dia, mas a entrada de talentos ficará escassa”, completou. “Infelizmente, quem mais perde com tudo isso são simplesmente os fatores principais do esporte: o público e a própria categoria”, finalizou.

Pois bem. Concordo com tudo o que foi dito pelo meu xará, mas acredito que Pérez, por exemplo, é um ótimo piloto. Maldonado idem. Afinal, o nível da categoria em 2010 foi bom, e Maldona foi o campeão, com Checo em segundo. Não dá pra dizer que eles estão na F1 exclusivamente pelo lado financeiro. Até dá, dirão alguns, mas acho que seria muito injusto com os pilotos.

Edoardo Mortara, bicampeão da etapa de Macau da F3 e atual campeão da F3 Europeia, explicou bem a sua situação, que é completamente contrária à dos dois latino-americanos acima.

“O Mundial de F1 está se tornando diferente do que era por causa de dinheiro. Você precisa de muito dinheiro, coisa que eu não tenho. Você precisa de pessoas que acreditam em você, te apoiam e investem em você. E esse não é o meu caso”, disse o italiano.

É exatamente o que Oliveira disse. Porém não basta ter APENAS talento. Ele ainda é necessário, claro. Mas agora precisa ter dinheiro. É isso.

E o que a Indy tem a ver com essa nova fase da F1? Tudo. A Indy também é assim, o que nos presenteia com as barbeiragens de Milka Duno, por exemplo. (Mas a F1 tem sua Duno, um tal de Sakon Yamamoto.) Graham Rahal ficou capenga em 2010. Tony Kanaan, vejam bem, tem futuro incerto na categoria em 2011. Precisa de grana. Talento tem de sobra.

Mas defendi Tung por dois motivos. Ele não leva grana, é isso que entendi. E, cá entre nós, esse vídeo – o segundo motivo – mostra que ele não é qualquer pilotozinho. Eduardo Azeredo, companheiro dos tempos da F1 Brasil, foi quem me lembrou dessa manobra.

Autor: - Categoria(s): F-Indy, F1 Tags:
22/11/2010 - 17:34

O legado de Ho-Pin

Compartilhe: Twitter

JOÃO PAULO BORGONOVE

Eu ia fazer um post até que grande sobre essa ida de Ho-Pin Tung para a Indy, que já é quase certa, onde o chinês vai correr pela FAZZT em 2011. Ia defender uma tese de que teremos uma corrida na China, que até construiria um oval para receber a categoria. Mas isso era tudo chute.

Pesquisando sobre o piloto, acho algo que já tinha visto, perdi e reencontrei.

Desisti de escrever.

Só tenho uma palavra: DIVIRTAM-SE.


Eis o legado que Ho-Pin Tung já deixou ao automobilismo mundial.

Crie sua pista e coloque o código nos comentários.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags:
Voltar ao topo