Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Virtual

16/08/2011 - 14:00

Promessa de diversão pura

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos [@felipeparanhos]

Cá estou eu de volta após curtir curtas férias. E com boa notícia. A F1 anunciou hoje que vai lançar nos primeiros meses do ano que vem o F1 Online: The Game, jogo do tipo browser game, aqueles que você não precisa instalar nada e brinca no próprio navegador de internet — no estilo, tecnicamente falando, desses jogos que fazem sucesso no Facebook.

O joguinho será feito pela Codemasters, a mesma produtora que assina a série F1 para consoles e PCs — o F1 2011, inclusive, já está disponível para pré-venda no Brasil. Voltando a F1 Online, a proposta do jogo é obviamente diferente do F1 2011, que é totalmente baseado no realismo.

Pelo que se vê, F1 Online será um jogo bem mais casual, para aproveitar. E aqui vai uma crítica minha aos jogos atuais: muito do que se produz é a sério demais, no sentido de que cada vez mais eu vejoa exaltação pura da simulação, dos efeitos virtuais das mudanças de acerto e tal. Nem todo mundo se diverte com isso, nem sempre se está disposto a perder horas fuçando na suspensão para reduzir um tempo — e isso serve para jogos de outras modalidades também, não só de automobilismo.

Digo isso porque sou um fã dos jogos top-view, como o agora reformulado para tablets Death Rally, o mais ou menos antigo Mini Racing Online e o recente New Star GP. No caso do Death Rally, aliás, você pode baixar a versão antiga do jogo no site da produtora Remedy Games.

A diferença para estes todos é que F1 Online deve trazer uma interface mais moderna e gráficos melhores. A Codemasters sabe fazer jogo, isso é fato. E a diversão provavelmente será garantida, com todos os circuitos, carros, equipes e pilotos da temporada 2011 da categoria. Além de tudo, haverá também aspectos de managing, com o jogador podendo criar sua equipe, sua pintura, cuidar do time como um todo e gerir a parte esportiva antes de colocar o carro na pista. E, claro, o jogo será grátis, a menos que seja criada uma assinatura premium ou coisa parecida. Mas parece que não.

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , , , , , , ,
30/03/2011 - 17:52

F1 2011

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Codemasters confirmou no último fim de semana a data de lançamento de F1 2011, terceiro jogo da série sob seu comando. A versão 2009, só pra Wii e PSP, era fraquinha, feita às pressas. A 2010 já melhorou bastante e inovou com um modo carreira interessante. Não à toa, foi um game de sucesso, ganhou prêmios e tudo.

O jogo sai em 23 de setembro, só um dia após a data do ano passado. Para este lançamento, os consoles são os mesmos: PlayStation 3, XBox 360, além do PC. Numa data posterior, versões para 3DS e NGP, os novos portáteis de Nintendo e Sony, também estarão nas lojas.

Grosso modo, é a mesma coisa de sempre: os circuitos, equipes e pilotos de 2010. Mas a nota da Codemasters traz um teaser interessante sobre o jogo, particularmente no que tange aos jogadores que buscam uma inserção maior na história. “Em F1 2011, os jogadores serão desafiados ao ‘Seja o piloto, viva a vida, vá competir’, com amplos avanços técnicos e de jogabilidade dentro e fora da pista, além de componentes muito ampliados de competição e cooperação multiplayer.”

Só tenho um pedido: façam um replay decente e com várias câmeras, ok? O do F1 2010 é uma bosta.

Siga-me no Twitter.

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , , , , , , ,
28/10/2010 - 13:14

Gran Turismo 5: falta pouco

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Gran Turismo 5, mais nova edição de uma das mais famosas franquias de jogos de corrida, deve ser lançado ainda no fim deste ano, depois de vários adiamentos. Para aplacar a ansiedade dos que aguardam sua apresentação, a Sony e a Polyphony Digital estão divulgando alguns teasers do jogo.

GT5 está em fase de finalização. Antes disso, porém, Sebastian Vettel testou o jogo. E a ele foi dada a oportunidade de andar no X1, um protótipo virtual que tem como objetivo ser o carro mais rápido do mundo, desprezando qualquer regra de categorias esportivas.

Para isso, a Polyphony fechou uma parceria com a Red Bull. Adrian Newey e Vettel foram os consultores técnicos do projeto. Ao fim da produção, o alemão andou no carro, como vocês podem ver no vídeo abaixo, colocado no ar hoje.

Gran Turismo 5  precisa consertar o problema da falta de realismo nos acidentes, característica dos jogos passados. Mas, do ponto de vista da pilotagem, será com certeza fantástico. Preciso comprar um Playstation 3.

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , , , , ,
29/06/2010 - 10:33

Grande ideia

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Os companheiros do F1BC, liga de automobilismo virtual na qual eu corri por um tempo e reapareço sempre que o trabalho permite — ou seja, quase nunca :) —, tiveram uma ideia bem legal para ajudar os municípios de Alagoas e Pernambuco atingidos pelas chuvas do fim de outono.

(Aliás, já perceberam como as grandes TVs fazem uma cobertura destes incidentes muito mais tímida do que no caso de Santa Catarina, dois anos atrás? Por que será?)

Voltando, vamos lá: o pessoal da liga, capitaneada pelo Rodrigo Wizard, decidiu fazer o GP da Solidariedade. No circuito virtual de Caruaru, haverá uma prova com os carros do BTCC — o Campeonato Britânico de Turismo.

A proposta surgiu porque um dos pilotos da liga, Rafael Ferreira, é morador de União dos Palmares, uma das cidades atingidas de maneira mais intensa pelas chuvas. “O nível do rio aumentou muito rápido. Tentamos ajudar os vizinhos a tirar o que podiam de suas casas. Por sorte não fui atingido, pois vivo em local alto, mas muitos dos que moravam próximos a mim perderam tudo. Entre os desaparecidos e mortos sempre encontramos um conhecido ou amigo. As cidades foram destruídas e precisam de ajuda”, disse Rafael.

A corrida acontece no dia 9 de julho — nada a ver com o meu digníssimo aniversário. A inscrição,  válida até o dia 2, é uma doação de no mínimo R$ 10 para as contas bancárias abertas pelo Corpo de Bombeiros de Alagoas. Eis os dados: no Banco do Brasil, Conta Corrente nº 5241-8 / agência 3557-2;  na Caixa Econômica Federal, agência 2735 / operação 006 / conta 955-6. Serão aceitas até 90 inscrições para as três baterias de 30 minutos, além da bateria final.

O vencedor ganha um exemplar do livro “História do Automobilismo Brasileiro”, da Ed. Sextante.

Autor: - Categoria(s): Virtual Tags: , , , , , ,
28/04/2010 - 14:58

F1 2010, espere por ele

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

(Provavelmente) Em setembro, os donos de PC, PS3 e XBox360 poderão adquirir aquele que é o jogo mais esperado de automobilismo em anos. Tudo porque F1 2009 ficou abaixo das expectativas, já que foi feito às pressas pela Codemasters.

Para este game, porém, a empresa britânica trabalha há muito tempo. Aos poucos, são divulgados materiais referentes ao desenvolvimento do jogo. A conta da produtora no YouTube já tem dois vídeos protagonizados pelo coordenador dos trabalhos para o jogo, Paul Jeal.

Não se assuste ao ver Nico Rosberg na Williams ou Fernando Alonso na Renault: é que, nestes vídeos, as informações — circuito, patrocinadores, pinturas — são de 2009, mas já na engine do F1 2010.

Eu não acreditei muito no F1 2009, mas espero bastante da edição deste ano. Não um primor de simulação, mas um jogo honesto, acessível a diversos públicos, com um modo carreira decente.

Outro fator que dá mais esperanças aos jogadores é a presença da mala Anthony Davidson, ex-piloto de testes, como consultor no projeto. Veja os vídeos:

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , , , , , ,
05/04/2010 - 14:15

Gol. E é da Superliga

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Superliga ainda não conseguiu angariar a popularidade prevista quando de sua criação, no ano retrasado. Mas, após experimentar Superleague: The Game, até quem nunca assistiu uma corrida da categoria vai se interessar pelas disputas entre carros-clubes. Há algum tempo estava com esse texto pronto, mas aproveitei o início do campeonato de 2010, neste fim de semana, e pus aqui a minha avaliação.

Para os mais severos, que desejam realismo, uma boa notícia: o jogo usa aspectos — como as informações da tela — em rFactor, como se fosse um Mod do ótimo simulador da ISI. E é baseado na engine gMotor 2, o que garante às disputas uma boa dose de verdade.

Não há muita criatividade nos modos de jogo — o que é um elogio, pois não há minigames e presepadas do gênero. No básico Single Race e Tournament, você pode jogar provas avulsas ou disputar a temporada 2009 da categoria.

Os carros são bastante fiéis à realidade. Por outro lado, a ausência dos nomes dos pilotos é um ponto negativo. É verdade que os representantes dos clubes variam muito corrida a corrida, mas devia ser possível escolhê-los entre nomes que já vestiram os macacões dos times, ou pelo menos editar nomes, colocando quem a gente quisesse como adversários. Melhor assim do que correr contra Milan, Galatasaray e Sevilla — e não contra Giorgio Pantano, Ho-Pin Tung e Sébastien Bourdais.

Mesmo assim, o jogo vale muito a pena, até porque cobre uma fraqueza do rFactor: o modo contra o computador. Os adversários erram mais ou menos, são mais ou menos agressivos, o que traz o imponderável, tão comum às corridas, para a tela do seu PC. Outro detalhe importante é o amplo espectro de configurações no carro e na atividade de pista.

Uma, duas ou três corridas por circuito no campeonato, tempo de cada sessão, número de voltas e oponentes… As variáveis são muito grandes, o que aumenta o “tempo de vida útil” do jogo. Para os menos habituados ao mundo da simulação de corridas, uma boa notícia: o carro não é difícil de pilotar, mas ainda assim a condução não é “dura” como em jogos arcade — você sente a cada curva e reta o impacto de uma modificação em nível de combustível, pneus, pressão de freio…

Você pode adquirir Superleague: The Game no próprio site da categoria. Eis o trailer do jogo:

Autor: - Categoria(s): F-Superliga, Virtual Tags: , , ,
11/12/2009 - 11:20

Ayrton Senna, o jogo

Compartilhe: Twitter

SuperMonacoGPII

Felipe Paranhos

Em tempos de falta de assunto e de saco, prefiro falar de assuntos acessórios à F1. Portanto, a eleição da Autosport que escolheu Ayrton Senna como melhor piloto da história da categoria será só o gancho de algo MUITO MAIS importante: videogame =)

Ayrton Senna’s Super Monaco GP II foi, como se pode depreender, uma continuação. O primeiro jogo, porém, não tinha a chancela do piloto brasileiro. Numa época em que as categorias ainda não haviam notado as vantagens de investir em jogos oficiais, ter o nome de um campeão atrelado a um game era, sem dúvida, um atrativo.

A série provavelmente inaugurou algo que hoje é praxe nos jogos de automobilismo: o modo carreira. No Super Monaco GP I, você começa na Minarae, obviamente inspirada na Minardi. Ao longo da temporada, ganhando corridas, você entra em outras equipes. Depois de conquistar seu primeiro título, você é contratado pela Madonna — a McLaren — e desafiado pelo seu arquirrival, G. Ceara. É Senna.

O segundo jogo tem o mesmo princípio, mas você escolhe os pilotos a desafiar. Se terminar à frente do rival em corridas seguidas, troca de lugar com o adversário. Ayrton é o único nome real no game. Ontem, brinquei um pouco: depois de vencer a primeira corrida, superando I. Germi — Ivan Capelli — e M. Blume — Michael Schumacher —, parei. No auge.

Como talvez já tenha dito por aqui, comecei a gostar de automobilismo ao ver um cara zerar o jogo com o controle ao contrário — o que, na verdade, não é merda nenhuma. O realismo é zero, a ponto de você contornar a Junção de Interlagos a 250 km/h, mas, ainda assim, o game foi fundamental para tudo o que se vê hoje no automobilismo virtual.

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , ,
02/11/2009 - 11:13

F1 2009: finalmente

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

O hiato de quase três anos acabou. No próximo dia 17, a Codemasters lança F1 2009, jogo oficial desta temporada da categoria. É a primeira edição do game sob a responsabilidade da empresa britânica.

A Sony, fabricante da série Playstation, teve a exclusividade da produção do jogo entre 2002 e 2007. Com o fim do contrato, a FOA pediu mais por um novo acordo e, após a recusa dos japoneses, a F1 ficou sem representação nos videogames.

F12009b

No meio deste ano do ano passado, entretanto, a FOA abriu uma concorrência para decidir a nova produtora dos jogos: vencendo Eletronic Arts e Ubisoft, deu Codemasters. A firma britânica acabou com o “monopólio” do Playstation e vai lançar o produto para mais consoles — desta vez, somente os usuários de Wii e PSP terão a chance de experimentá-lo.

O game é baseado no início da temporada 2009 — portanto, nada de Romain Grosjean, Jaime Alguersuari ou Vitantonio Liuzzi. Feito um pouco às pressas, F1 2009 tem o desafio de resolver alguns problemas claros de quando a Sony tinha a franquia: um modo carreira mais bem elaborado e longo, mais realismo do carro quando na zebra ou na grama e, sobretudo, nos acidentes.

F12009c

O problema é que o Wii é caracterizado por seus jogos “casuais”, menos preocupados com a representação fiel dos objetos do que acontece em outros consoles. Embora exista uma movimentação para acabar com isso, é possível que resquícios desta primeira fase do produto da Nintendo apareçam no jogo. Para trazer uma sensação mais próxima da realidade, o game vem com uma espécie de “volante” adaptado ao Wiimote — nome presepeiro para o inovador joystick da marca.

Veja um trailer de F1 2009:

Autor: - Categoria(s): F1, Virtual Tags: , , , , ,
01/09/2009 - 18:38

Crise na Panthers!

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Nunca mais havia feito relatos sobre minha carreira no automobilismo virtual. Trabalhava nos bastidores. Auxiliei Daniele Ferraz na criação da Panthers Racing — ela queria Pink Panthers, mas eu vetei, muito presepeiro. A estreia da equipe foi em Istambul, na 1ª etapa do campeonato de Rali do F1BC. Fizemos dobradinha nas duas baterias — o que não era muito difícil, já que, visando dominar o mundo, o time contratou 926 pilotos para este campeonato.

Minha participação na rodada inicial foi pífia: na corrida 1 do circuito turco, um infeliz detonou minha suspensão na largada e passei a gastar os pneus excessivamente. No meio da prova, um deles estourou e eu acabei batendo num outro rapaz. Nessa, abandonei. Irritado, fiz “a bola é minha, não jogo mais” e não corri a segunda prova no Império de Massa. Aproveitei pra fazer uma refeição saudável no Burger King.

Tudo poderia mudar na segunda etapa, entretanto. Em Cleveland, fiz o terceiro melhor tempo da equipe nos treinos antes da prova, atrás somente dos dois Thiagos do time, que CERTAMENTE correm dopados — 2s à frente de todo mundo. Na classificação, voltei à normalidade, largando em décimo entre 19 carros. Larguei atrás da tal Ferraz, que errou na primeira curva. E foi atingida por mim. Depois, a autodenominada Briatore da Panthers resolveu protestar à direção de prova, que ainda não se pronunciou — mas deve puni-la com uma rodada de suspensão pela CALÚNIA contra mim.

Instantes antes da colisão. Tsc...
O instante da barbeiragem da colega de equipe e a batida inevitável.

Apesar do incidente, fiz uma boa corrida. Fui oitavo no geral, terceiro na minha categoria. Fosse na Classic Cup do Gomes, dava troféu (pelo oitavo lugar, claro).

Veio a prova 2, com grid invertido. Consegui escapar da carambola na largada, mas na segunda volta tinha um carro atravessado nesta curva da foto. Reduzi pra não bater, mas encostei no carro branco à frente. Perdi cinquenta mil posições. Desconcentrado, na aproximação de uma curva, freei com uma roda na grama e rodei feio. Fui tentando me recuperar, arriscando tudo. Vinha dando certo, até que o motor, fraco, quebrou. Já uma nova fornecedora, já que julgamos que esta nos dá propulsores ridículos, que não aguentam uma pilotagem mais arrojada. Ou foi isso, ou eu reduzi as marchas rápido demais. Er… Não importa. Minha prioridade será a T-Light, categoria que começa em outubro. E, pra não dizerem que não dou informações no BloGP, taí, em primeira mão, o carro novo.


Na traseira, tem o logo do GP. Depois mostro. :)

Autor: - Categoria(s): Virtual Tags: , ,
29/06/2009 - 18:48

Um ponto. Grande vitória.

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Acho que vocês se lembram da minha primeira experiência com o automobilismo virtual. A Grande Prêmio Racing havia se inscrito para o Mundial de 2010 e Victor Martins mandou eu adquirir experiência para o caso de sermos escolhidos.

A equipe até já havia sido formada pelo desagradável editor-chefe: ele e Gomes cuidariam da estratégia, Evelyn ficaria como grid-girl, Lellis seria o assessor e Chico Luz seria entregue à captação de recursos financeiros. Mas, como vocês sabem, Mosley refutou nosso interesse. E a GPR me abandonou. Martins não atendia mais minhas ligações e soube por meu agente que Gomes transferiu os esforços e as finanças do natimorto time para o Meianov.

Sem patrocínio e sem equipe, tive de dar um passo atrás na carreira. Daniele Ferraz, chefe de equipe, piloto, projetista e copeira da Playboy Racing, me convidou para uma das quatro vagas da equipe na T-Light — categoria de Turismo para iniciantes do F1BC. A decisão foi difícil, mas decidi aceitar.

Assumi o carro #50. Era de outro cara, que desistiu. O nome dele segue na carenagem. Ó vida, ó azar. Além de tudo, ainda corro com um tal de Vinicios da Matta impresso no vidro. Mas tudo bem. Graças à briga FIA x Fota, perdi a etapa de Hockenheim, o que me deixou bastante feliz com Mosley e Montezemolo, dois fofos desse jogo midiático ridículo.

Na quinta (25), chegamos ao circuito de rua de Birmingham para a prova. Na classificação de cinco voltas em até dez minutos, consegui o 26º tempo entre 32 carros — não tão mal para quem corre de teclado contra os volantes que só faltam guiar sozinhos.

(Brincadeira. Quanto melhor o volante, mais trabalho dá. Ô inveja. Mas de teclado é ruim mesmo.)

Alertado por Daniele, João Victor e Fernando Passos, meus companheiros de equipe, pus na cabeça que fugiria de eventuais disputas por posições na primeira curva. O estreito circuito inglês era palco para carambolas históricas. E assim foi. Acabei encontrando um carro rodado à minha frente, um ou outro toque, mas saí ileso da confusão, no honroso 20º lugar. Com um ritmo 3s mais lento por volta que os líderes, só me restava tentar não atrapalhar ninguém.

Tomando cuidado para não rodar, me aproveitei dos erros dos outros para ganhar posições. Mas, como disse, eu era bem mais lento que os rivais. Se na classificação havia feito 1min41s, já bem acima dos ponteiros, fazia 1min42s alto durante a prova. E veio o estalo: não trocar pneu nas paradas nos boxes. Assim, ganharia tempo. Como não fazia uma condução arrojada, não estava desgastando muito o jogo com que comecei a prova.

(Outra gozação. Sou uma piada como piloto. Achava que só era preciso sinalizar a quantidade de gasolina a colocar nos pits. Por isso, os “mecânicos” do jogo nem olhavam para os pneus. Acabou sendo bom.)

Deu certo. Consegui me manter entre o 18º e o 22º lugares, mesmo facilitando as ultrapassagens de quem vinha mais rápido do que eu. No terceiro trecho da prova, após a segunda parada, o presente veio. Alguns carros à frente abandonaram, outros bateram, e eu alcancei o 15º posto, o último dos que pontuavam.

Um ponto apenas. Mas só tenho a agradecer àqueles bonequinhos virtuais vibrantes, com amor à camisa, que não trocaram meus pneus e me levaram ao top-15.

Este é o compacto da corrida, com narração de Rodrigo Wizard. Atenção à perícia do piloto em 5:50, ao conseguir evitar um acidente com um infeliz que vinha atravessado na pista.

Autor: - Categoria(s): Virtual Tags: , ,
Voltar ao topo