Publicidade

Publicidade

19/07/2009 - 14:33

E o pau quebrou, sim

Compartilhe: Twitter

Conversando com o câmera da ESPN argentina, apuramos que houve porrada, sim, na discussão entre Norberto Fontana e Marcos Di Palma. Aliás, eles conseguiram até imagens do ocorrido.

Foi briga feia. Di Palma tentava esganar Fontana, que devolvia puxando os vastos cabelos do oponente. Depois chegou a turma do “deixa disso”, afastou os dois. Isso aconteceu no intervalo entre as baterias rápidas e a prova principal. A organização da Top Race não se omitiu, já que a confusão aconteceu perto da Torre de Controle, e desclassificou os dois da corrida.

Segundo o câmera da ESPN argentina, Di Palma é, digamos, uma pessoa fora do controle. Já aprontou várias. Contou-nos que, uma vez, um avião onde estava Di Palma aterissou fora da rota comum para que a polícia pudesse prendê-lo.

Marcus Lellis 

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , ,
19/07/2009 - 12:54

E o pau quase quebrou na Top Race

Compartilhe: Twitter

Argentino é raçudo em tudo. Os ânimos ficam exaltados até no automobilismo. Depois de um choque que o tirou da corrida da Top Race V6 em Interlagos, Laureano Campanera partiu para cima de Henry Martín. Queria o tirar do carro e partir para a porrada, antes de ser contido pelos integrantes de sua equipe.

Ao se dirigir para os boxes da categoria, que ficam atrás do pit-lane, Laureano soltou os cachorros em Henry em entrevista para a Fox Sports. Até o chamou de filho da puta.

Pior que não foi a primeira discussão do dia. Norberto Fontana e Marcos Di Palma quase chegaram às vias de fato após as baterias rápidas pela manhã.

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Top Race V6 Tags: , , ,
09/06/2009 - 17:38

A F1 está um porre

Compartilhe: Twitter

Vou dar mais corda à discussão proposta pelo Francisco.

Entrei no Grande Prêmio no 1º de outubro de 2007. Animado, eufórico, oh, que legal!, vou cobrir a F1. Um esporte que sempre gostei muito, já tinha acordado cedo em inúmeras manhãs de domingo para ver as corridas, com ou sem o Ayrton Senna (porque é sabido que muitas pessoas se destimularam com a morte dele, eu não). Achei que seria fantástico fazer parte desse universo.

Um ano, oito meses e oito dias depois, esse castelo de areia foi por água abaixo, devastado por uma maré alta. Essas novelas que tomam conta da F1 nos últimos tempos conseguem acabar com a paciência de qualquer um. A recente exibida todos os dias pelo GP, a batalha entre Fota e FIA, é apenas um dos exemplos. Vamos tentar enumerar as que aconteceram desde que entrei no site:

– Saída do Alonso da McLaren. Vai embora? Não vai? Rescindiu o contrato. Não, ele renovou… enfim, foi embora, depois de uns 300 anos.

– Futuro do Alonso. Ferrari? BMW Sauber? Toro Rosso? Honda? Renault? Foi uma baita ladainha que durou cerca de um mês. O pior é que ele foi para Renault. Depois de quatro corridas ruins em 2008, a mesma história voltou. Até hoje vivem especulando sobre o futuro do espanhol.

– Abandono da Honda. Vai vazar? Vai resistir? É a crise? São os maus resultados? Depois de confirmada a saída, foram uns três meses para saber quem seria o bendito comprador do espólio, isso se a equipe fosse salva.

– Aposentadoria de Barrichello? Vai correr na Stock? Na Indy? Ficar, ele não fica. Entra o Bruno Senna. Não, o Senna sobrou. Fica, mesmo, o Rubens. Outra novela que foi de novembro a março.

Bem, lembrei dessas. Mas aposto que têm outras nesse período (não cheguei a pegar a novela da espionagem, mas também teve essa). Sabe, em certas horas, isso enche o saco, mesmo. Nós, jornalistas, corremos atrás de histórias. Acho que mais importante do que uma notícia é a história. Isso porque o sentido de notícia foi banalizado, principalmente com o advento da internet. Para falar o português politicamente incorreto, qualquer merda é notícia. Uma história boa é diferente.

Queremos histórias boas, novas e interessantes. Sempre é legal ver uma briguinha aqui, uma dúvida ali. Mas desde que tudo seja resolvido em uma semana. Quando isso se estende, quando os personagens começam a se contradizer, quando falam que uma situação vai acontecer e isso tudo muda em dois minutos, não tem um ser humano que suporte.

Sei que em todo lugar é assim, futebol adora uma novela, teve a do atacante Kleber no início do ano, sobre qual time ficaria com ele. Mesmo assim, a F1 supera qualquer esporte.

Outro dia, falei que cobrir a Stock Car era chato. Só que a F1 tá superando seus limites. A F1 está um porre! (Entendam o que falei, ESTÁ um porre, não É um porre) Com pilotos que só falam o óbvio, uma puta dificuldade para conseguir uma palavra deles, muita arrogância junta em um mesmo lugar.

Por favor, Bernie Ecclestone, Max Mosley e afins, acabem com essa ladainha de inscrições e nos tragam novas histórias. Vamos melhorar a F1 que já foi muito mais legal um dia.

Enquanto isso… viva a MotoGP!

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , , , , ,
Voltar ao topo