Publicidade

Publicidade

07/11/2010 - 00:02

Velha história

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Diretor do Paddock Club é assaltado no centro de São Paulo

É, essa nota é do ano passado. Às vésperas do GP do Brasil.

E isso aqui?

“- Este Rolex é verdadeiro?
– Gostaria de uma oitava caipirinha?
– Devo parar no sinal vermelho?
– Você gostaria de conhecer uma garota muito bonita que eu conheço?
– Esta é realmente uma garota?
– Você gostaria de mais carne?
– Gostaria que eu estacionasse seu carro?
– Já considerou a possibilidade de viver com apenas um rim?
– Devo parar se um carro bater na minha traseira?
– Minha esposa vai acreditar que a calcinha sensual que eu trago na minha mala é um presente para ela?”

Isso aqui é uma brincadeira da Red Bull com o Brasil, lançada ano passado. Às vésperas do GP do Brasil.

Button sofre tentativa de assalto na saída do autódromo de Interlagos

Essa é de deste sábado. Véspera do GP do Brasil.

E ano que vem?

E em 2014, ano de Copa?

E em 2016?

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
21/10/2009 - 01:10

Frustração garantida

Compartilhe: Twitter

Está lá, no livro de São Francisco, capítulo 4, versículo 10:

Se tudo correr como esperado, vai ser o quinto ano consecutivo que o campeão será conhecido após as 73 voltas em Interlagos. E, se a situação correr como o previsto, mais uma vez um piloto brasileiro será derrotado na briga pelo título correndo em casa.

Eu poderia ser CHAUVINISTA PRA CARALHO com a grande maioria dos 43 comentários feitos que me xingaram, deturparam o que eu disse, me acusaram até de TORCER para o Button e coisas similares. Mas não: vou ser apenas magnânimo e dizer que isso, como já havia sido EXPLANADO, era normal e esperado.

Button fez o que precisava – aliás, fez até mais do que isso, pois teve uma corrida realmente impecável. Se o sábado do inglês foi de terror, o domingo deve ter gerado uma EXPLOSÃO de alegria poucas vezes vista. Afinal, o cara conseguir chegar em quinto, após largar em 14º, e conquistar o título com o rival largando na pole, é pra CHORAR no cantinho e agradecer, não?

Performance de campeão, sem dúvidas.

Mas aí vamos ao outro ponto da PROFECIA cometida por mim lá no início do mês, pouco depois do GP do Japão:

O histórico do veterano da Brawn na sua prova local é bastante fraco, com apenas quatro finalizações entre os pontos em 16 provas, e um solitário pódio em 2004

Claro que a maioria das pessoas LEU MAL e não entendeu que eu disse que Barrichello andava mal em Interlagos — como, de fato, não anda: ele manja do circuito, como manja de todos na sua maioria, experiente e bom piloto que é. Mas Rubens, de fato, não costuma contar com a sorte na zona sul de São Paulo.

Não que ele fosse ganhar: o safety-car no início arruinou completamente suas pretensões de vitória, e a chuva que não caiu acabou detonando tudo. Mas aquele pneu furado no fim foi muito triste. Ele merecia, pelo ano que teve e a história de filme infantil que protagonizou neste ano, chegar ao menos no pódio. Não deu, o que é uma pena, mas que apenas comprova o que eu já havia dito.

Enfim… o título de Button foi merecido. Ele não é um piloto brilhante? Nunca foi, assim como nunca o foram Damon Hill, Keke Rosberg, Alan Jones e os outros caras comumente citados em listas do gênero. Mas ninguém que vence seis corridas em sete é ruim ou não merece vencer. Foi o seu ano, a sua grande chance, e ele aproveitou. Os méritos estão todos aí.

Resta agora aguardar por 2010. Se tudo se desenhar como EU espero, vai ser um ano do cacete, rivalizando em emoção com 2008, mas com menos BICHICES extra-pista. Ferrari forte, McLaren também, Red Bull e Brawn seguindo um bom momento e Renault em cima… vai ser massa.

Confiem em mim. Já provei que entendo do futuro.

Com a luz da lua,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
18/10/2009 - 13:06

Não consigo acreditar

Compartilhe: Twitter

button_seco
Retrato da falência do jornalismo brasileiro

É normal, e até esperado, que qualquer emissora, em qualquer lugar do mundo, demonstre simpatia e torça pelos atletas do seu país em uma disputa internacional. Mesmo que, muitas vezes, estes atletas não representem nada para alguns torcedores, o fato de usar as cores do seu país tornam algo comum este tipo de sentimento. É o que acontece na F1: a imprensa inglesa baba por Hamilton e Button, os espanhois são tresloucados com Fernando Alonso e os italianos gostam de qualquer um que esteja na Ferrari.

Portanto, não seria diferente aqui, ainda mais com Barrichello na briga pelo título. Mas a foto acima representa, ao menos para mim, um total NONSENSE com relação a este assunto. Não consigo acreditar que uma emissora séria como a Globo realmente se propôs a colocar uma repórter/apresentadora como a Glenda Kloslowski a correr atrás do Button com uma toalha para secá-lo. Isso aí foge da questão “brincadeira” e vira puro desrespeito.

Secando o Button, o que a Globo pretende? Mostrar que torce por uma batida dele? Talvez uma que o tire da disputa do GP de Abu Dhabi? A linha que divide bom jornalismo com pachecada descontrol não é nem um pouco tênue — na verdade, é um muro de Berlim — e, ainda assim, eles conseguiram passar de um lado ao outro sem nenhuma vergonha.

Esse tipo de coisa é deprimente. Convidar outras pessoas a secar um boneco do inglês, mais ainda. Fico feliz apenas de ver que algumas pessoas se recusaram a participar desse tipo de patacoada.

Enxugando gelo,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
04/10/2009 - 10:00

Frustração anunciada

Compartilhe: Twitter

O GP do Brasil deve, mais uma vez, definir o Mundial de Pilotos. Se tudo correr como esperado, vai ser o quinto ano consecutivo que o campeão será conhecido após as 73 voltas em Interlagos. E, se a situação correr como o previsto, mais uma vez um piloto brasileiro será derrotado na briga pelo título correndo em casa.

O panorama era mais ou menos o mesmo na disputa Hamilton-Massa do ano passado, apesar de o piloto da Ferrari ter uma desvantagem menor do que a existente hoje entre os dois companheiros da Brawn. E Massa, por conta das circunstâncias, conseguiu aquela coisa incrível de ser o virtual campeão por 30 segundos. Mas existia um fator que contribuía para que os seus torcedores acreditassem em um milagre: Felipe é, hoje, o grande especialista de Interlagos no grid.

Não é o caso de Barrichello. O histórico do veterano da Brawn na sua prova local é bastante fraco, com apenas quatro finalizações entre os pontos em 16 provas, e um solitário pódio em 2004. Além disso, mesmo que Rubens consiga manter a briga em aberto após vencer em Interlagos, ainda vai precisar descontar a desvantagem que existir após a corrida em Abu Dhabi, onde ninguém sabe o que pode acontecer.

Por isso, sejamos francos: o título já é de Button. Claro que a F1 é um esporte, e no esporte qualquer coisa pode acontecer – eu comemorei a maior conquista da minha vida com um gol do Adriano Gabiru! Então, que Barrichello mantenha a esperança. Mas que também – como tem feito, aliás – mantenha a serenidade e saiba que, muito provavelmente, o resultado em São Paulo vai significar o fim das suas chances de ser campeão.

A trilha de hoje é apenas uma das maiores músicas da história, e como estou com sono, não quero justificar. Aproveitem:

Abraços,
Francisco Luz

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
Voltar ao topo