Publicidade

Publicidade

01/12/2010 - 14:10

Moral

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Ser esportista de ponta é poder falar o que quiser. Robert Kubica passou aquele lubrificante antes, mas disse com todas as letras que preferia ter a seu lado um piloto mais experiente em 2011. Ou seja, se pudesse escolher, mandaria Vitaly Petrov se consolar com o Putin.

A vaga na Renault continua vaga — sempre quis escrever isso. Mas parece mesmo que Vitaly deve continuar, pelo que se vê na imprensa europeia. Ainda assim, Kubica fala o que pensa. É difícil ver isso hoje em dia, vocês sabem.

O que mais me chamou a atenção, entretanto, não foi a sinceridade, mas o desprendimento de Robert. Pergunta ao Alonso se ele prefere ter um Nelsinho ou um Massa como companheiro. Ao Schumacher se ele prefere ter um Sam Bird ou um Rosberg do lado. Kubica chegou à F1 ao lado de um piloto mais forte — Nick Heidfeld. Perdeu duas  vezes, 2007 e 2009, ganhou na mais importante, 2008.

Eu não acho que Kubica realmente fez muito até 2010. Mas, neste ano, ficou claro que ele precisa de um carro melhor no futuro.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , ,
Voltar ao topo