iG

Publicidade

Publicidade

06/06/2011 - 15:45

Sem pé, nem cabeça

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]
de Sumaré

Confesso que não assisti às etapas da F-Superliga televisionadas pelo Bandsports no último final de semana, já que estava no belo Velopark fazendo a cobertura da Porsche Cup. Não que eu morra de amores pela categoria, nada disso. Mas eu fiquei curioso para saber mesmo se haveria corrida em Assen depois de tanta confusão e indefinição, principalmente por conta de um grid tão diminuto e da não participação de Corinthians e Flamengo no certame.

Pois é. Nada de times brasileiros na F-Superliga. O país é representado por uma única equipe, que conta com Antonio Pizzonia no volante. E só. O grid não é dos mais cheios, apenas 14 carros, o que mostra que pouco a pouco, a Superliga vai perdendo em interesse depois dessa filosofia adotada nesse ano.

É estranho ver que não há identificação entre piloto e equipe (ou país representado), do mesmo jeito que hoje muitos jogadores de futebol não se identificam com o clube e zás. É bizarro ver Duncan Tappy acelerar com o carro do JAPÃO e Andy Soucek, com a TURQUIA. E também não é menos esquisito ver um carro da Holanda disputando a vitória com outro carro da Holanda. Quiseram adotar uma filosofia da finada A1 GP, mas essa categoria que está aí está sem pé, nem cabeça. Não é nem A1 GP, nem Superliga. Não é nada.

Não sei por que diabos mexeram em algo que, se não estava dando tão certo, tinha algo bem estruturado e tal. Mas enfim. O fato é que, mesmo com um grid vazio, as corridas foram bem disputadas, como você pode ver no vídeo acima. Pizzonia mandou bem e quase ganhou a superfinal e o prêmio de € 100 mil, grana essa que foi para Craig Dolby.

Aliás, falando em dinheiro, outra coisa também é preciso ponderar: de onde sai a ferpa que banca isso tudo, já que a Superliga não é lá um primor de audiência e de público pagante? Como diria Januário de Oliveira, sinistro, muito sinistro.

Autor: - Categoria(s): F-Superliga Tags: , , , , , ,
07/12/2009 - 11:03

Um pouco de off-topic [2]

Compartilhe: Twitter

BRASIL - FÚTBOL

Felipe Paranhos

Lembram disso? Como gosto do esporte. Agora, o Chico pode comemorar o vice-campeonato da Copa do Brasil, da Recopa Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro — que não vence há 30 anos, também conhecido como três décadas — do fabuloso colorado.  Ah, agradeço pelo Álvaro, belo zagueiro, execrado pela torcida que acha o D’Alessandro craque.

O esporte só é legal se levado com bom senso. O futebol brasileiro é uma vergonha, como pudemos ver no lamentável crime cometido por torcedores uniformizados do Coritiba — que deveria mesmo ser suspenso das competições por pelo menos um ano — no Couto Pereira ontem. Mas a festa nas ruas de Maceió, com centenas de pessoas nas ruas, a celebração por toda a minha Salvador e a comemoração inteligente dos que não se juntaram aos imbecis que brigaram no Rio provam ser possível se divertir e respeitar o outro.

Neste momento, em cada canto do Brasil há uma camisa rubro-negra. Que os alviverdes, alvinegros, tricolores e arco-íris aplaudam e torçam para poder sacanear seu colega de trabalho no ano que vem. Não há nada pior do que  o torcedor que vê paixão esportiva como motivo para brigar — e não falo dos criminosos do Couto Pereira, falo de gente normal. Para os marginais do Alto da Glória, nada vai acontecer, porque o futebol brasileiro, como disse, é uma vergonha.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
22/06/2009 - 18:17

Flamengo não deve ter Tuka Rocha na F-Superliga

Compartilhe: Twitter

Tuka Rocha em Vallelunga/2008

O Flamengo deve anunciar nesta terça-feira (23) piloto e equipe com os quais irá disputar a temporada da F-Superliga, que começa neste sábado (27). Ao que tudo indica, Tuka Rocha, que representou o rubro-negro em 2008, não será escolhido. Motivo? A crise.

No ano passado, a maioria dos pilotos que correram o campeonato não eram pagantes. Com o caos financeiro e a queda no número de patrocinadores para a categoria, o dinheiro dos pilotos passou a ser necessário. Inclusive, a Astromega, time que carregava o vermelho e o preto do clube carioca, deixou a Superliga na última sexta-feira.

O Flamengo é um dos clubes que precisará do aporte financeiro. E Tuka não tem esta grana. Portanto, a menos que algo mude repentinamente, o carro do Fla não o terá no cockpit. O piloto mais próximo de acertar com o Fla é também brasileiro e já tem os patrocinadores para tal.

Como diria Victor Martins, informei.

P.S.: Fontes me confirmam que, ao menos até a semana passada, Antonio Pizzonia — que correu parte do campeonato de 2008 pelo Corinthians — passou pelo mesmo problema de Tuka.

[Felipe Paranhos]

Atualização às 7h34 de 23/6: Enrique Bernoldi foi anunciado como o piloto. A equipe será a Delta/ADR. Pizzonia conseguiu fechar com o Corinthians.

Autor: - Categoria(s): F-Superliga Tags: , , , ,
Voltar ao topo