Publicidade

Publicidade

08/05/2011 - 20:12

De gelo. Mão lá, pé cá

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [@felipeparanhos]
de Salvador

Que pé-frio eu sou. Disse que o Mikhail Aleshin tinha duas chances na Turquia de mostrar que tinha talento suficiente para angariar patrocinadores e ficar em definitivo com a vaga da Carlin na GP2. O russo bateu durante a classificação e… fraturou a mão esquerda.

Na sexta-feira, o carro da Carlin por ele pilotado passou reto na curva 12, atingindo a barreira de proteção. Aleshin disse que não fez nada de errado. “Freei em meu lugar normal na curva 12, mas o carro não parou. A equipe está investigando que problema pode ter acontecido”, disse Mikhail depois do acidente.

Vou ficar de olho pra ver se a Carlin divulga informações sobre o que aconteceu.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , , ,
06/12/2010 - 16:05

Traquinagens e serelepices

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Não vou me aprofundar tanto no assunto quanto fez o chefe Victor Martins, até porque ele falou exatamente o que eu pensava. Mas resolvi sair do breve descanso das férias (descanso nada, só faço estudar) para comentar a babaquice suprema de Mark Alan, o menino que, líder do campeonato de F1 com 11 pontos de vantagem, foi passear de bicicleta numa montanhinha com o amiguinho e se espatifou.

Só que Mark Alan é tão traquinas que ele já tinha se espatifado no início do ano brincando da mesma coisa. Daquela vez, quebrou a perna; desta, o ombro. Apesar de ser reincidente, o inteligente ser humano queria ser privilegiado por sua equipe de F1, que, aliás, não foi informada da singela lesão — num lugar que, afinal, nem é tão importante para um piloto, não é mesmo?

Aí dá pra entender porque Alanzinho era quem mais reclamava da falta de visibilidade na chuva que atrasou o início do GP da Coreia do Sul, por exemplo. Dá pra entender porque Alanzinho começou a chorar no GP do Brasil dizendo que era “óbvio” que a Red Bull privilegiava Vettel. Se privilegiava sem saber, imagina se soubesse que seu piloto mais experiente fraturou o ombro fazendo estripulias em duas rodas.

A Red Bull só errou em uma coisa: não colocar no contrato de Alanzinho uma cláusula de rescisão automática por burrice cometida fora do ambiente de trabalho.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo