iG

Publicidade

Publicidade

02/08/2011 - 15:02

Palermo e Abbondanzieri, dos gramados para as pistas

Compartilhe: Twitter


FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]
de Sumaré

Recentemente aposentados do futebol, Martín Palermo e Roberto ‘Pato’ Abbondanzieri podem trilhar o caminho de Bruno Marioni, que como relata a mineirinha Paula Gondim na Revista Warm Up de julho, tem feito sucesso no Linea Competizione.

A dupla de jogadores que fez história no Boca Juniors deve estrear em Buenos Aires no próximo dia 4 de setembro, mas pelo Top Race Series, uma das categorias do Top Race, uma das mais importantes do turismo argentino, ao lado do TC 2000 e do mítico Turismo Carretera. A informação foi publicada recentemente pelo diário ‘La Nación’. Entretanto as participações de Palermo, maior artilheiro da história do Boca, e de Pato, ex-Internacional, ainda não estão totalmente confirmadas.

De acordo com a imprensa argentina, outro ídolo do futebol mundial que pode participar de uma corrida por lá é Gabriel Batistuta. Sim, ele mesmo. Mito do Boca, Fiorentina e Roma, o eterno artilheiro pode correr também no Linea. Atualmente, Batigol se divide entre as atividades de fazendeiro em Reconquista, sua cidade-natal, e os campos de polo, esporte bastante tradicional por lá.

Aqui no Brasil, eu não me lembro do envolvimento de nenhum jogador de futebol com o automobilismo, não como piloto. Tem o Denílson agora, que estreou na Moto 1000 GP em Interlagos no mês passado, mas acho que é só. O Roberto Carlos, ex-Palmeiras, Real Madrid e Corinthians, atual Anzhi, teve (ou ainda tem) sociedade na equipe do Eduardo Bassani, mas acho que é só.

Amigo leitor, você se lembra de algum outro craque dos gramados que se aventurou no automobilismo brasileiro? E dentre os boleiros, quem você gostaria de ver um dia disputando uma corrida por aí?

Autor: - Categoria(s): Geral, Revista Warm Up, Top Race V6, Trofeo Linea Tags: , , , , , , , ,
07/12/2009 - 11:03

Um pouco de off-topic [2]

Compartilhe: Twitter

BRASIL - FÚTBOL

Felipe Paranhos

Lembram disso? Como gosto do esporte. Agora, o Chico pode comemorar o vice-campeonato da Copa do Brasil, da Recopa Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro — que não vence há 30 anos, também conhecido como três décadas — do fabuloso colorado.  Ah, agradeço pelo Álvaro, belo zagueiro, execrado pela torcida que acha o D’Alessandro craque.

O esporte só é legal se levado com bom senso. O futebol brasileiro é uma vergonha, como pudemos ver no lamentável crime cometido por torcedores uniformizados do Coritiba — que deveria mesmo ser suspenso das competições por pelo menos um ano — no Couto Pereira ontem. Mas a festa nas ruas de Maceió, com centenas de pessoas nas ruas, a celebração por toda a minha Salvador e a comemoração inteligente dos que não se juntaram aos imbecis que brigaram no Rio provam ser possível se divertir e respeitar o outro.

Neste momento, em cada canto do Brasil há uma camisa rubro-negra. Que os alviverdes, alvinegros, tricolores e arco-íris aplaudam e torçam para poder sacanear seu colega de trabalho no ano que vem. Não há nada pior do que  o torcedor que vê paixão esportiva como motivo para brigar — e não falo dos criminosos do Couto Pereira, falo de gente normal. Para os marginais do Alto da Glória, nada vai acontecer, porque o futebol brasileiro, como disse, é uma vergonha.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , ,
27/05/2009 - 20:24

E a Fota, hein?

Compartilhe: Twitter

Alguém mais viu um ar de 1987 e Clube dos 13 nessa suspensão da Fota à William? Explicando para quem não sabe, o Clube dos 13 surgiu como a redenção do futebol brasileiro, congregando todos os clubes para que eles tomassem conta dos campeonatos nacionais – o que os clubes ingleses, hoje tão venerados, foram fazer em 1992.

Mas a coisa degringolou: ao invés de aceitar o campeonato do Clube dos 13, a CBF – que havia pedido para a entidade organizasse o torneio – tentou mudar o jogo no meio da brincadeira. E, dentro do C13, algumas equipes traíram seus pares e se uniram à CBF. O resultado é que até hoje se discute quem foi o campeão nacional daquele ano, se o recente freguês Flamengo ou o Sport.

Pois, não acho improvável que algo parecido aconteça na F1. Digamos que a FIA mantenha o teto orçamentário de 130 milhas. Digamos também que a Ferrari, Renault, Red Bull, Toyota, BMW e (viajando um pouco aqui) McLaren mantenham a palavra e boicotem a categoria, formando uma série própria. Aí a Williams, que hoje quebrou a “unidade” da Fota – e que eu, não sei porque tão ingênuo, ainda acreditava que existia -, vai lá e ganha o Mundial oficialista, da FIA, a F1 as we know it. E a Ferrari ganha o, sei lá, primeiro campeonato da SÉRIE 1 ou algo do gênero.

Ia virar a mesma coisa que o nosso vilipendiado (uia) futebol nacional, porque eu não consigo crer e imaginar que a F1 vá sobreviver sem a Ferrari, e vice-versa. Então, em um determinado momento, os times recalcitrantes (óia!) voltariam ao seu velho lar, e a discussão começaria: quem ganhou em 2010? a Williams? A Ferrari? Mosley?

Pois é, é o que eu acho que vai acontecer, infelizmente: ao invés de rejuvenescer o esporte e seguir promovendo pesquisas, mostrando o valor que as equipes têm, vai tudo virar uma discussão sobre quem venceu em 2010. Uma merda de futuro, em suma.

Confiem em mim,
Francisco Luz

P.S.: Como a gente sempre fala um para o outro nas nossas reuniões msnzísticas, “leia o site, imundo”. Não tinha visto a matéria dizendo que, aparentemente, a Fota aceitou a proposta da FIA. Se isso for confirmado mesmo, bueno, desconsiderem o negócio da discussão, porque aí a associação vai se resumir só ao que o C13 é hoje: algo que serve para negociar como distribuir dinheiro entre eles. E a promessa de mudanças, bem… Aí é melhor ficar com um sonzinho que fala sobre isso:

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , ,
25/05/2009 - 15:11

As paixões esportivas de cada um, além do automobilismo

Compartilhe: Twitter

Acabou o fim de semana mais importante do ano no automobilismo, aquele que reúne duas das mais tradicionais provas do esporte, o GP de Mônaco de F1 e as 500 Milhas de Indianápolis. Muito trabalho para quem está envolvido nisso. Graças à escala, ganhei folga hoje, nada mal depois deste domingo.

Mas folga na segunda-feira é um saco. O que fazer numa segunda-feira? Bem, pelo menos, tenho meu futebol sagrado de segunda-feira aqui nas areias santistas. E isso me incentivou a perguntar aos blogueiros: que esporte vocês acompanham além do automobilismo? Sim, porque a vida vai além da velocidade entre duas e quatro rodas.

Como 98% dos homens brasileiros (estatística meramente especulativa), tenho o futebol como esporte preferido. Gosto bastante da F1 e da MotoGP, mas ambas dividem espaço com outros esportes, como o basquete (as finais da NBA neste ano estão fantásticas), o vôlei (já pratiquei) e o tênis. Aliás, o tênis foi tema de um post no meu blog pessoal, nessa semana começa Roland Garros, o maior torneio do esporte da bolinha amarela, na minha opinião.

Vamos fazer essa enquete com o pessoal. Aguardamos os comentários aqui na caixinha!

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): Geral Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo