Publicidade

Publicidade

12/07/2011 - 15:24

Mal que vem pro bem

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [@felipeparanhos]

A GP2 anunciou sua fusão com a GP2 Ásia, virando agora só um campeonato internacional que deve passar também pelo oriente. Até aí, já era esperado, a ‘Autosport’ já tinha noticiado essa possibilidade. Mas não dá pra levar a sério esse papinho de fusão. O que aconteceu foi o fim da GP2 Ásia.

A categoria foi criada pra movimentar o mercado do automobilismo por lá, trazendo uma quase-F1 para os pouco utilizados circuitos locais — e, de quebra, porque não existe almoço grátis, reunir mais patrocinadores para a GP2. Para os fãs do esporte, melhor: o campeonato acontecia no inverno europeu, quando as principais categorias do mundo estão de férias.

O negócio é que a GP2 Ásia nunca engrenou de fato. Começou com dez corridas, passou para doze, depois caiu para oito e, finalmente, teve apenas quatro em 2011 — duas delas em Imola, num evidente desvirtuamento do caráter asiático inicial. Para a última temporada, já havia sido instituído que somente as equipes que disputassem a fase europeia da GP2 poderiam participar do certame oriental. Isso matou as chances da Meritus, única equipe local que se atrevia a participar como independente.

Por um lado, é bem ruim, porque acaba com uma categoria que era mais barata do que a GP2 e tinha carros ligeiramente menos potentes, facilitando a adaptação dos pilotos ao estilo dos Dallara e à estrutura do fim de semana de corrida, que é extremamente peculiar, com aqueles treinos malucos de meia hora.

Mas, por outro, é importante para o esporte. Por alguns motivos em especial: a F1 corre em Xangai, no Bahrein, em Sepang, em Cingapura, na Coreia do Sul e em Abu Dhabi. Neste ano, a GP2 Ásia ia correr só no Bahrein e em Abu Dhabi, repetindo o que havia acontecido na temporada 2009/2010. Xangai só recebeu o campeonato uma vez, em 2008/2009. Até em Dubai a categoria correu — e a pista é tão obscuro que, ao digitar “Dubai circuit GP2” no Google Images, apareceu uma foto da Stéfhany do Crossfox. Foi lá, inclusive, que aconteceu um dos episódios  mais toscos da história: choveu, aí alagou o autódromo, os boxes, tudo, e não teve corrida.

Fala a verdade: o automobilismo não perde nada sem a GP2 Ásia.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , ,
18/02/2011 - 07:23

Sem audiência especial

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Giedo van der Garde teve um motivo a mais para lamentar o cancelamento da etapa do Bahrein da GP2 Ásia: seu pai havia viajado até o Oriente Médio só para assisti-lo correr.

“Que falta de sorte”, disse o piloto em sua conta no Twitter. “Próxima vez, pai…”, acrescentou. Van der Garde lembrou da chegada planejada da F1 em breve, para os treinos coletivos do Carnaval e a abertura do campeonato, na semana seguinte. “Espero que as coisas se acalmem em algumas semanas”, falou.

Na verdade, escrevi isso para dizer que, se nada for anunciado a respeiro, a temporada da GP2 Ásia deve ficar só com a primeira etapa, de Abu Dhabi. Isso porque os dois outros GPs eram no Bahrein: neste fim de semana e nos dias 12 e 13 de março, como preliminar da F1. Se a corrida for cancelada, Jules Bianchi será decretado campeão após só duas provas.

Mas não creio que isso aconteça. As equipes investem uma grana grande e os pilotos também. De qualquer forma, a organização da categoria tem um desafio para dar um jeito no calendário.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,
15/02/2011 - 21:32

O preço…

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

…que se paga às vezes é alto demais. A GP2 Ásia, que sabe lá por que razão, simplesmente não corre em China e Japão, chegou ao Bahrein neste início de semana. Só que, na verdade, não chegou. Isso porque, inspirado pelas manifestações no Egito, o povo barenita está nas ruas protestando contra o governo do país.

(A maioria do povo é xiita. Cerca de 70%. Só que o governo, em regime de monarquia, é sunita. Os grupos que estão nas ruas pedem liberdade para a oposição política e a abertura de espaços  por parte dos sunitas no governo. Entre os gritos da população, estava o ‘Nem xiitas, nem sunitas, somos todos barenitas’.)

Muito tem se falado sobre a possibilidade de os manifestantes usarem a F1 para expor suas questões, mas o fato é que neste fim de semana tem corrida. E posso dizer aqui que as coisas estão muito atrasadas por lá. Soube que, apesar de a quinta-feira ser o dia de deixar tudo pronto para o GP, os boxes ainda estão vazios, nada chegou, nem equipamentos.

Com tudo atrasado, as equipes esperam deixar tudo pronto em tempo recorde para a prova. No Twitter, Luiz Razia mostrou otimismo e declarou que espera que tudo esteja pronto a tempo. “Tem protesto aqui perto do hotel no Bahrein, e os carros da GP2 ainda nao chegaram por esses motivos. Vamos ver o que vai acontecer. Nos resta pegar os camelos e fazer um CamelGP , pelo menos vai dar para ultrapassar heheheh!!!! Vamos resolver a situação, no problemss!!!”

Esperamos que o GP aconteça normalmente.

[Atualização: os treinos livre e classificatório, marcados para esta quinta-feira, foram adiados para a sexta-feira. Na noite de ontem, duas pessoas morreram e dez ficaram gravemente feridas após a dura repressão aos protestos. Já são quatro mortes nas manifestações. Pelo que dá para perceber aqui de longe, não acho que vai ter corrida neste fim de semana. Aguardemos.]

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , , , , ,
Voltar ao topo