Publicidade

Publicidade

03/03/2011 - 11:08

O grande desafio

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]

Vencer a subida de Pikes Peak, no Estado do Colorado, nos Estados Unidos, tem o mesmo significado para os pilotos de rali do que conquistar o GP de Mônaco na F1, ou as 500 Milhas de Indianápolis na Indy, ou mesmo o Monte Everest para os alpinistas. Desafiador por natureza, o percurso homologado pela FIA tem cerca de 19,99 km e conta com intermináveis 156 curvas em trechos de areia, pedra e asfalto.

Muitos pilotos já morreram ao tentar chegar ao cume da mítica montanha norte-americana, localizada de 4.301 m de altitude, já que não há qualquer tipo de proteção separando a pista do precipício, o que torna o trecho ainda mais desafiador. Pikes Peak não perdoa erros e costuma cobrar com a vida por qualquer deslize.

Dentre as lendas que venceram o desafio, estão Ari Vatanen, Juha Kankkunen e Marcus Gronholm, todos vencedores no WRC. Petter Solberg, campeão mundial de rali de 2003, garantiu que vai encarar a subida de Pikes Peak em 2011. O norueguês deve pilotar um protótipo baseado no Citroën C4 que utilizou no ano passado.

Os objetivos de Solberg não são nada modestos. O experiente piloto visa quebrar o recorde estabelecido pelo nipônico Nobuhiro “Monster” Tajima, que em 2007 cravou 10min01s408 com um protótipo da Suzuki.

O vídeo abaixo, bastante famoso, mostra bem a dimensão do que Solberg terá pela frente. Com um protótipo da Peugeot em 1989, Vatanen esbanjou arrojo nas curvas de Pikes Peak, ficando a centímetros do abismo. A filmagem deu origem a um curta-metragem premiado em toda a Europa no início da década de 90. Só digo uma coisa: o vídeo é espetacular, vale MUITO a pena.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
18/05/2010 - 11:07

Bia 500

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Bia Figueiredo visitou o Museu do Hall da Fama do circuito de Indianápolis, que tem um acervo bastante extenso da história do oval mais famoso do mundo.

“O acervo tem cerca de 75 carros e mais uns 100 carros no porão, onde são conservados. Tem exemplares de tudo o que já correu lá, como carros da F1, da Nascar, da Indy e motos. Além de troféus, fotos e veículos, tem um cinema exibindo filmes sobre a história do circuito”, disse Bia, que vai disputar a prova pela Dreyer & Reinbold, com patrocínio da Ipiranga — mesma empresa que a apoiou na etapa de abertura da temporada, em São Paulo.

Bia ainda tirou uma foto ao lado do carro de Janeth Guthrie, primeira mulher a participar das 500 Milhas. Boa sorte para a paulistana.

Autor: - Categoria(s): F-Indy Tags: , , ,
Voltar ao topo