iG

Publicidade

Publicidade

20/04/2011 - 18:29

Esporte que maltrata

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Alberto Valério, Tiago Geronimi, Caio Lara, Raphael Abbate. Todos eles, ano passado, disputavam campeonatos de monopostos lá fora. Neste ano, estão em posições de coadjuvante nos torneios de turismo brasileiros. Apesar de, evidentemente, tratar-se de um período de adaptação, tenho certeza que os quatro pilotos, de 25, 22, 20 e 19 anos gostariam de continuar por lá.

Ao menos, houve a passagem pelo automobilismo internacional. E quando nem isso acontece, fica só a frustração? É um pouco do que passa Lu Boesel. Competitivo na F3 Sul-Americana, onde ficou conhecido, o sobrinho de Raul e irmão de Pedro, da Copa Montana, o piloto buscou os EUA como destino.

Chegou na O2, equipe da Lights, para testes. Foi o mais rápido num treino que teve, inclusive, Josef Newgarden, que veio da GP3, com um carro mais complexo do que o da F3 Sul-Americana. Lu impressionou a equipe, ganhou a verba do patrocinador do time.

Voltou ao Brasil empolgado para completar a verba e conseguir se garantir na temporada 2011 da Lights. Não deu tempo de obter os recursos para iniciar o campeonato. Sua almejada estreia ficaria para Long Beach, se tudo desse certo.

Pelo visto, não deu. E Lu cogita, como os pilotos citados lá em cima, abandonar o sonho de correr em categorias de monopostos fora do país e tentar vaga nos campeonatos de turismo daqui. Ontem, no Twitter, o piloto desabafou.

“Minha carreira inteira até aqui segui nos monopostos, mas cada vez mais sinto que esse é um caminho incerto e para poucos com bolsos grandes. Mesmo amando o monoposto, o turismo tá cada vez mais presente e mais perto da realidade! Usar um pouco mais do curso adm e tocar a vida”, falou.

Ê, automobilismo… Esporte que maltrata.

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , , , ,
13/04/2010 - 08:48

Indy e Lights | Sweet home Alabama

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Quem não assistiu à vitória de Helio Castroneves no GP do Alabama da Indy, no último domingo (11), pode acompanhar os melhores momentos da corrida via internet. A Indy Racing League já divulgou o vídeo que mostra a conquista do brasileiro e da Penske, com a ótima estratégia de pit-stops e de economia de combustível do piloto. Você pode ver também a segunda vitória seguida de JK Vernay na temporada da Indy Lights, mais abaixo.

▼ A vitória de Helio Castroneves no GP do Alabama da Indy:

▼ A vitória de JK Vernay no GP do Alabama da Lights:

Autor: - Categoria(s): F-Indy, Indy Lights Tags: , , , , , , ,
31/03/2010 - 16:52

Corridaça

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

São 4min24s de melhores momentos de uma corridaça. É a Indy Lights, que sempre produz boas provas em mistos, em São Petersburgo, no último fim de semana. Se você não teve a oportunidade de assisti-la ao vivo via internet no último domingo, recomendo acompanhar estes highlights. O GP foi vencido por JK Vernay, da Sam Schmidt, e você pode acompanhar com a matéria que escrevi sobre a prova.

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , , ,
28/03/2010 - 10:08

Sem glamour

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Gosto das categorias de base. Tudo é mais simples, menos glamour, menos presepeiro. A alegria, porém, é a mesma. Repara na equipe do James Hinchcliffe, a Moore da Indy Lights, com a pole do canadense:

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , ,
24/03/2010 - 13:26

Lights: um brasileiro e uma musa

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Neste fim de semana começa a temporada 2010 da Indy Lights. Com menos brasileiros, mas com bons nomes. Rodrigo Barbosa é o único piloto daqui confirmado para o campeonato. Agora na PDM, o piloto terá uma situação muito mais amigável do que no ano passado: a ELFF, equipe brasileira, era terrível, um desastre. O time, que tinha sede em Asheville, na Carolina do Norte, teve desempenho pífio em 2009, sendo cerca de 3s mais lento do que os rivais em mistos e até 5s em ovais.

A PDM, equipe do brasileiro para este ano, teve passagem curta pela categoria em 2009, mas o rendimento agradou bastante. Com o holandês Junior Strous,  dominou as duas primeiras corridas na temporada. Um episódio de bebedeira, porém, fez com que Strous perdesse o patrocínio da Shell, e a PDM deixou o campeonato.

Strous, novamente com o patrocínio da petrolífera, agora corre na HVM, que estreia programa de acesso à Indy. A Bryan Herta, que ano passado adotou em algumas corridas o talentoso brasileiro Felipe Guimarães, terá Sebastian Saavedra, terceiro colocado em 2009 pela AFS/Andretti Green, e Stefan Wilson — irmão mais novo do Justin.

A Andersen, agora sem a Rahal-Letterman, promove a estreia de Carmen Jordá na categoria. A pilota, que veio da F3 Espanhola, assume o lugar que foi de Mario Romancini. Não se deve esperar, porém, muita qualidade na pilotagem — ela deve aparecer mais por seus atributos físicos. Outro que vem da F3 Espanhola é Adrián Campos Jr, filho do quase chefe de equipe na F1, que será companheiro de James Hinchcliffe na Moore.

A já citada AFS/Andretti terá Charlie Kimball e Martin Plowman para tentar repetir o título conquistado por JR Hildebrand. A Sam Schmidt, pela qual correu Bia Figueiredo, vai com o canadense Philip Major, a inglesa e fraquinha Pippa Mann e o francês JK Vernay.

A Genoa terá Richard Kent, a novata Cape vai com Gustavo Yacaman, ex-companheiro de Bia na Sam Schmidt, e o Team E entrega o carro de número 17 a Jay Heylen. A Walker aposta em Jonathan Summerton, aquele mesmo que foi especulado na USF1 tempos atrás. Ele foi vice-campeão da finada F-Atlantic em 2009.

Alliance, Brian Stewart, Davey Hamilton/Kingdom, ELFF e PBIR, esperadas para este ano, não têm futuro definido.

Atualização em 26/03:  A Sam Schmidt confirmou também James Winslow, britânico campeão da finada F3 Ásia em 2006 e da F3 Australiana em 2008. No ano passado, correu pela Genoa na última — última mesmo — temporada da F-Atlantic.

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , , , ,
11/12/2009 - 18:32

Sai uma, entra outra

Compartilhe: Twitter

1RMC9187-9355

Felipe Paranhos

A Sam Schmidt, equipe da Indy Lights, anunciou a contratação de Pippa Mann para a temporada 2010. A inglesa vai substituir Bia Figueiredo, que correrá na Indy no ano que vem, embora não tenha ainda definido em que time.

A escolha de Pippa, entretanto, não parece ser exatamente por critérios de qualidade: seu campeonato em 2009, pela Panther, foi bem fraquinho, e, na verdade, a piloto nunca mostrou nada digno de atenção especial na Lights, na World Series e nas categorias de base da Renault pelas quais passou.

Os norte-americanos perceberam há algum tempo que ter uma mulher na equipe é interessante do ponto de vista midiático, sobretudo se for competitiva. E, desde 2005, só em um ano a Sam Schmidt não teve uma piloto, ainda que, em alguns casos, só em poucas corridas. Primeiro foi Sarah McCune, que, na temporada citada foi pole-position no GP de Nashville; em 2007, Leilani Münter correu em Kentucky e Chicago e, nas duas últimas temporadas, Bia mostrou que tinha talento para subir à Indy.

Não deve ser o caso de Pippa.

Autor: - Categoria(s): Indy Lights Tags: , ,
26/11/2009 - 21:37

A chance de JR

Compartilhe: Twitter

02DH5413-6642

Felipe Paranhos

Fui mais um a ficar surpreso com a escolha da Force India para os testes coletivos em Jerez de la Frontera, nos três primeiros dias de dezembro. Todos esperavam a convocação de Karun Chandhok e Neel Jani, que têm estreitas ligações com a Índia. A equipe de Vijay Mallya preferiu Paul Di Resta e JR Hildebrand, que, segundo o dirigente, tiveram desempenho “incrível” nos simuladores da McLaren. E, convenhamos, fez bem.

Dizer que Hildebrand tem a chance mais importante de sua carreira parece óbvio. Mais do que um teste em uma equipe de F1, entretanto, o atual campeão da Indy Lights tem a oportunidade de se firmar como piloto de nível mundial. As quatro vitórias do norte-americano nesta temporada foram em circuitos mistos: Long Beach, Watkins Glen, Edmonton e Sonoma.

Ainda que nove das 17 etapas da Indy de 2010 sejam em mistos, gostaria de ver Hildebrand competindo contra os pilotos europeus, que têm uma formação mais forte em circuitos não-ovais. Mas, evidentemente, JR terá muitas dificuldades com o carro da Force India, sobretudo pela diferença de potência entre os carros da Lights e da F1.

Mas o rapaz é talentoso, acho que vai vingar. Mesmo que não brilhe nos testes coletivos — o que é mais provável. A propósito, me respondam: tem alguém da Indy ou da Indy Lights que vocês queiram ver na F1?

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,
Voltar ao topo