iG

Publicidade

Publicidade

22/06/2011 - 13:56

O fim está próximo

Compartilhe: Twitter

FELIPE PARANHOS [no Twitter: @felipeparanhos]

O fim está próximo. E será em 2011. Você pode acreditar no que quiser, mas, se eu pudesse apostar em uma saída da F1, bancaria a de Jarno Trulli ao fim desta temporada. O italiano declarou à edição de hoje da ‘Gazzetta dello Sport’ que tá meio de saco cheio da Lotus, de andar no fundo do grid e tal.

Eu acho que se trata de uma grande desculpa. Trulli está tomando a segunda naba seguida de Heikki Kovalainen, um piloto que vinha de nabas contínuas sofridas para seus companheiros em equipes anteriores. Trulli diz que está atrás de Kova porque tem uma pilotagem “mais precisa” e, num carro difícil como o da Lotus, ter esta característica faz com que se corra como se estivesse vendado. Achei meio sem-vergonha esse papo. Quer dizer que você é mais piloto (pilotagem precisa é um ponto positivo, creio), mas num carro ruim o cara que é pior que você se dá melhor? Peraê.

O que sei é que a Lotus não está nada contente com o rendimento de Trulli, conforme Luiz Razia contou, no último fim de semana, ao Rede TV! Esporte, ao qual assisti. O brasileiro, piloto de testes da equipe, acredita que esta possa ser uma boa porta de entrada para a F1.

Seria a melhor possível. Mas ainda seria necessário entender se a equipe pretende manter a estratégia de ter dois pilotos experientes, o que inviabilizaria a entrada do baiano. Além disso, deve ser importante que Razia vença a disputa interna na Air Asia, equipe da Lotus na GP2, contra Davide Valsecchi.

No momento, Valsecchi tem 21 pontos e Razia três. Mas a GP2 tem muito, muito de sorte. É a categoria de monopostos menos previsível entre as principais do mundo. E ainda faltam 12 corridas…

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , , , , , ,
09/02/2011 - 21:36

Definhar, agonizar, suportar

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

* Brasileiros que estrearam na GP2 em 2005: Nelsinho Piquet e Xandinho Negrão

* Que estrearam em 2006: Lucas Di Grassi

* Em 2007: Bruno Senna, Antonio Pizzonia e Sergio Jimenez

* Em 2008: Alberto Valério, Diego Nunes e Carlos Iaconelli

* Em 2009: Luiz Razia

* Em 2010: Ninguém

* Em 2011: Ninguém

Piquet se reergue na Nascar depois do papelão que cometeu na F1. Xandinho hoje milita na Stock. Di Grassi conseguiu vaga na F1, mas acabou fora da Virgin por conta de um cara mais endinheirado. Pizzonia passou pelo momento mais difícil da sua carreira na GP2 e hoje vai bem na Stock. Jimenez tenta reconstruir a carreira na Montana e no GT1. Valério acaba de desistir dos monopostos. Nunes trouxe seu patrocínio para o Brasil. Iaconelli teve bom 2010, mas numa categoria C do automobilismo europeu, a Auto GP. Razia tem, provavelmente, a derradeira chance de lutar pelo título. E, ano passado e neste ano, não entrou nenhum piloto novo do país na categoria.

Eu sei que estou batendo nesta tecla novamente, mas, alguém tem dúvida de que, em poucos anos, não teremos ninguém na F1? Alguma duvida de que o automobilismo brasileiro de ponta está definhando?

Nem vou falar muito da Indy, que tem praticamente a mesma situação, de falta de renovação e de novatos brasileiros que duram uma ou duas temporadas (exemplos recentes são Jaime Câmara, Rapha Matos, Mario Romancini).

Obviamente não é uma questão de falta de qualidade desta geração de pilotos.

Autor: - Categoria(s): F-Indy, F1, GP2 Tags: , , , , , , , , , , ,
24/01/2011 - 14:31

Números fixos na F1

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Luiz Razia lançou no Twitter outro dia, resolvi trazer a discussão pra cá: e se os pilotos da F1 tivessem seus números nos carros? Explico: e se fosse como na MotoGP, em que o Valentino é o 46, o Lorenzo é o 99, Hayden o 69…

Do ponto de vista da identificação piloto-torcedor, não seria melhor se o Schumacher fosse sempre 7, o Alonso sempre 23, o Vettel sempre 78, o Barrichello sempre 11, como foi na Jordan, na Honda e será em 2011 na Williams? Além de gerar uma ligação mais interessante com o fã do esporte, é algo facilmente transformável em dinheiro: imagina a quantidade de produtos vendidos com o número do piloto.

Lembram da homenagem que o Lorenzo fez ao Rossi no GP da Itália, depois da fratura exposta do Rossi? Uma camisa amarela, escrito VR 46 na frente, com o grafismo do sol nas mangas.

A torcida perde chance de ficar mais “próxima” de seu piloto preferido e o velho Bernie perde uma boa oportunidade de fazer dinheiro.

Autor: - Categoria(s): F1, MotoGP Tags: , , ,
26/08/2010 - 12:01

Só um

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A saída de Alberto Valério da Coloni, confirmada na última terça-feira (24), deu início a uma situação ao mesmo tempo nova e lamentável. Pela primeira vez na história da GP2, o Brasil terá apenas um piloto no grid. Isso vai acontecer já neste GP da Bélgica, em que só Luiz Razia vai representar a bandeira nacional na prova.

Razia é o último dos dez brasileiros que passaram pela categoria. É o remanescente de uma lista que tem Alberto Valério, Antonio Pizzonia, Bruno Senna, Carlos Iaconelli, Diego Nunes, Lucas Di Grassi, Nelsinho Piquet, Sérgio Jimenez e Xandinho Negrão.

Que isso não seja o início de uma era. A saída de Valério da categoria teve muito a ver com a perda de patrocínios, algo que talvez seja motivado pela pouca divulgação que a GP2 tem no Brasil.

Não à toa, fora Lucas Di Grassi, que se destacou mesmo correndo pela Durango, os principais pilotos brasileiros nestes seis anos foram Piquet e Senna, dois que nunca tiveram grandes preocupações financeiras na categoria.

Há muitos brasileiros talentosos pela Europa. É esperar 2011 para ver se a GP2 será o próximo passo. Uma temporada sem nenhum deles seria um desastre para o automobilismo brasileiro.

Autor: - Categoria(s): GP2 Tags: , , , , ,
08/07/2010 - 12:46

Escolha

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

No automobilismo, como no jornalismo esportivo em geral, misturar torcida e profissão é um equívoco grave. Cada um, entretanto, tem suas preferências e simpatias, já que se trata de um esporte individual na essência, embora coletivo na prática.

Eu espero o sucesso do conterrâneo Luiz Razia. Grande cara, muitíssimo gente boa e talentoso pacas. Mas agora eu queria saber de vocês, que são livres para torcer com a paixão que convier: há algum piloto — F1 não vale — pelo qual vocês vibrem?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags: , , , , ,
12/02/2010 - 11:18

Razia: da GP2 para a F1, da F1 para a GP2

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Como sempre, nosso repórter em Jerez Marcelo Ferronato se multiplicou nesta sexta (12). Além de cobrir os treinos, dar boas informações sobre o que acontece na pista, ele foi buscar algumas boas entrevistas. Uma delas foi com Luiz Razia.

O piloto de testes da Virgin falou sobre a chance de ser membro de uma equipe da F1 e sobre como pretende trazer a experiência da F1 para a temporada da GP2.

Razia deu, inclusive, indícios de que deve correr por uma equipe de ponta. Ouça qual é.

Ouça a entrevista de Luiz Razia a Marcelo Ferronato em Jerez

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , , ,
12/02/2010 - 11:18

Uma breve evolução

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Luiz Razia mostrou hoje, em seu Twitter, a versão 2010 de seu capacete. Fiz uma tosqueirazinha artística para mostrar a vocês as três últimas pinturas do piloto de testes da Virgin. A principal modificação em relação ao último modelo é a presença da marca da Marussia, fabricante russa de carros esportivos, justamente em cima da rosa-dos-ventos que o baiano sempre levou na cabeça. Os detalhes em azul, que rodeavam a figura, agora são em preto e mais “gordos”, por assim dizer.

RaziaCapacetes

Autor: - Categoria(s): F1, GP2 Tags: , ,
Voltar ao topo