Publicidade

Publicidade

30/09/2011 - 15:28

Campeão fora de combate?

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]
de Sumaré

Ainda não é oficial, mas tudo indica que Nasser Al-Attiyah não defenderá o título do Rali Dacar em 2012. A informação partiu do Twitter do piloto argentino Orlando Terranova, que em 2011 correu ao lado do luso Filipe Palmeiro com um BMW da equipe X-Raid. O príncipe do Catar estava cotado para guiar um Mini Countryman do time alemão no próximo mês de janeiro, mas é provável que algo tenha desandado nesse projeto.

Orly terá como navegador Lucas Cruz, que foi copiloto de Carlos Sainz nas últimas edições da prova, sempre representando a Volkswagen. Já que o time de Wolfsburgo tem centrado todas suas forças no WRC para a estreia oficial em 2013, o Dacar ficou sem sua equipe mais forte e tricampeã para uma nova fase da prova na América do Sul. Em 2012, o rali voltará às origens e será linear, com largada em Mar del Plata e chegada em Lima, capital peruana.

Curioso é que Nasser, praticamente garantido como um dos pilotos do projeto Volkswagen no WRC, abriu mão do Mundial para defender o título do Dacar, graças a um pedido de seu principal patrocinador, a investidora qatari Barwa.

Mas recentemente, Nasser também anunciou que buscava ser terceiro piloto do time de fábrica da Citroën, mais ou menos no mesmo esquema que faz Khalid Al-Qassimi, que corre esporadicamente pelo time oficial da Ford. O príncipe também anunciou um projeto para desenvolver os jovens pilotos de seu país no off-road.

Levando em conta a proximidade do fim do Dacar para o início Rali de Monte Carlo de 2012, apenas dois dias, é provável que, caso Orly Terranova esteja certo, Al-Attiyah tenha de fato priorizado o WRC, já que o Dacar segue cada vez mais caro. Vale lembrar, também, que a próxima edição da maior prova cross-country do mundo não terá outro campeão: Vladimir Chagin, o Czar do Dacar, anunciou sua aposentadoria depois de faturar seis títulos dos caminhões pela montadora Kamaz.

Abaixo, confira de novo o duelo épico entre Nasser e Sainz em janeiro. Sensacional.

Autor: - Categoria(s): Rali, Sem categoria, WRC Tags: , , , , ,
10/01/2011 - 12:05

Presente inesperado

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva1]

SUMARÉ — Nasser Al-Attiyah é um dos principais pilotos de carros do Rali Dacar em 2011. Vice-campeão da prova no ano passado, o príncipe-herdeiro do Catar obteve bons resultados em outras provas, como por exemplo, no Rali dos Sertões de 2009, quando também terminou em segundo, andando sempre próximo do ritmo do campeão Carlos Sainz.

Apesar de Nasser ser membro da família real de um dos países mais ricos do mundo, o piloto é considerado uma das pessoas mais simpáticas e acessíveis do meio ‘ralizístico’, conforme apurei em conversas com o pessoal que cobriu o Sertões em 2009. Sua postura agressiva dentro das pistas e extremamente generosa fora delas lhe rendeu muitos fãs. E um deles quis render uma homenagem a Al-Attiyah.

O jovem Orlando esteve presente no acampamento de Iquique, onde os pilotos concediam entrevistas aos veículos de todo o mundo. Munido de uma enorme bandeira do Catar, o chileno furou o bloqueio da segurança e seguiu aos boxes da Volkswagen para pegar uma foto e um autógrafo do príncipe.

“Nasser é o príncipe do rali. Queria lhe render uma homenagem. Também o faço pelo meu pai, que também é um grande admirador seu”, disse Orlando. O gesto emocionou Al-Attiyah, que após pedir o telefone do garoto para contato, convidou este e também seu pai, para conhecer seu palácio em Doha, capital do Catar. O chileno não conteve a emoção. “É um sonho que virou realidade. Não acredito. A única coisa que queria era uma foto. Apenas uma foto com ele”.

A generosidade de Nasser não é novidade. No mesmo Sertões de 2009, o carro de uma das melhores duplas femininas do Brasil, formado por Helena Deyama e Joseane Koerich — irmã de Marlon Koerich, que disputa o Dacar deste ano ao lado de Emerson Cavassin — pegou fogo em pleno sertão, sendo completamente destruído pelas chamas. Obviamente arrasadas com a má sorte e tendo o prosseguimento da carreira em xeque, as meninas também receberam um presente inesperado: um cheque de US$ 20 mil assinado por Nasser para comprar um novo carro. Como retribuição pelo gesto do piloto, a dupla o homenageou na edição de 2010, batizando o novo carro de Príncipe.

Autor: - Categoria(s): Rali Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo