Publicidade

Publicidade

05/04/2010 - 14:15

Gol. E é da Superliga

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

A Superliga ainda não conseguiu angariar a popularidade prevista quando de sua criação, no ano retrasado. Mas, após experimentar Superleague: The Game, até quem nunca assistiu uma corrida da categoria vai se interessar pelas disputas entre carros-clubes. Há algum tempo estava com esse texto pronto, mas aproveitei o início do campeonato de 2010, neste fim de semana, e pus aqui a minha avaliação.

Para os mais severos, que desejam realismo, uma boa notícia: o jogo usa aspectos — como as informações da tela — em rFactor, como se fosse um Mod do ótimo simulador da ISI. E é baseado na engine gMotor 2, o que garante às disputas uma boa dose de verdade.

Não há muita criatividade nos modos de jogo — o que é um elogio, pois não há minigames e presepadas do gênero. No básico Single Race e Tournament, você pode jogar provas avulsas ou disputar a temporada 2009 da categoria.

Os carros são bastante fiéis à realidade. Por outro lado, a ausência dos nomes dos pilotos é um ponto negativo. É verdade que os representantes dos clubes variam muito corrida a corrida, mas devia ser possível escolhê-los entre nomes que já vestiram os macacões dos times, ou pelo menos editar nomes, colocando quem a gente quisesse como adversários. Melhor assim do que correr contra Milan, Galatasaray e Sevilla — e não contra Giorgio Pantano, Ho-Pin Tung e Sébastien Bourdais.

Mesmo assim, o jogo vale muito a pena, até porque cobre uma fraqueza do rFactor: o modo contra o computador. Os adversários erram mais ou menos, são mais ou menos agressivos, o que traz o imponderável, tão comum às corridas, para a tela do seu PC. Outro detalhe importante é o amplo espectro de configurações no carro e na atividade de pista.

Uma, duas ou três corridas por circuito no campeonato, tempo de cada sessão, número de voltas e oponentes… As variáveis são muito grandes, o que aumenta o “tempo de vida útil” do jogo. Para os menos habituados ao mundo da simulação de corridas, uma boa notícia: o carro não é difícil de pilotar, mas ainda assim a condução não é “dura” como em jogos arcade — você sente a cada curva e reta o impacto de uma modificação em nível de combustível, pneus, pressão de freio…

Você pode adquirir Superleague: The Game no próprio site da categoria. Eis o trailer do jogo:

Autor: - Categoria(s): F-Superliga, Virtual Tags: , , ,
Voltar ao topo