iG

Publicidade

Publicidade

06/09/2011 - 14:32

A primeira

Compartilhe: Twitter

FERNANDO SILVA [@Fernando_Silva7]
de Sumaré

Sempre gostei de assistir as corridas em Monza (pela TV, diga-se… ainda não estive presente lá, ainda), como sempre curti também acompanhar uma boa prova na chuva. E naquele setembro de 2008, o cenário era perfeito para o GP da Itália. Choveu muito naquele fim de semana, e isso certamente foi determinante para mudar toda uma ‘ordem natural’ das coisas, como dizem.

Quase um ano antes, no GP do Japão, que era disputado em Fuji, Sebastian Vettel fazia brilhante prova e poderia ter vencido a primeira na F1, logo em sua primeira temporada completa pela Toro Rosso. O alemão, no entanto, perdeu o ponto da frenagem quando estava em terceiro e encheu a traseira do carro de Mark Webber, vejam só. Foi o fim de corrida para Seb, mas ficou evidente sua capacidade no molhado.

Meses depois, mais maduro e um pouco mais experiente, Vettel teve um fim de semana praticamente perfeito no GP da itália. O alemão surpreendeu o mundo da F1 ao conquistar a pole em Monza até com certa tranquilidade. O STR2 estava muito bem acertado no molhado, tanto que Sébastien Bourdais classificou-se em quarto, mas poderia ter conquistado grid ainda melhor.

Veio o domingão, dia da corrida. Bourdais, que sempre foi bom piloto, deu um azar danado e ficou parado no grid antes da volta de apresentação. Em contrapartida, Vettel fez uma corrida suprema, liderando praticamente todas as voltas da corrida — exceto entre os giros 19 e 22, quando fez sua parada para troca de pneus e Heikki Kovalainen aproveitou para assumir a ponta —, e venceu com maestria sua primeira corrida na F1.

Foi mesmo o rito de passagem de Vettel, que deixou de ser promessa para se tornar um dos principais pilotos da F1. Tanto que no ano seguinte, o tedesco foi promovido para a Red Bull, e o restante da história todos conhecemos: mais jovem campeão da história e a caminho de ser também o mais novo bicampeão. Questão de tempo.

Acho que essa vitória de Vettel é a primeira que vem à mente quando me perguntam qual é foi a corrida mais marcante que eu já assisti. Claro que eu me recordo de outras, como a vitória de Rubens Barrichello na Alemanha em 2000, a despedida de Michael Schumacher em no GP da Itália de 2006, como também aquele final sensacional do GP do Brasil de 2008.

Mas por todas as dificuldades de Monza e por estar no comando da pequena Toro Rosso (que era Minardi), esse GP da Itália de 2008 é seguramente o meu preferido.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , ,
30/06/2011 - 13:35

Buemi, Alguersuari e imprensa: quanta bobagem

Compartilhe: Twitter


Felipe Paranhos

Este noticiário da F1, sempre se alimentando de histórias absurdas e presepadas repercutidas pela imprensa. A mais recente é essa briga Alguersuari x Buemi pela vaga restante na Toro Rosso — a outra vai ser de Daniel Ricciardo em 2012, até Felipe Giacomelli sabe disso. Ok, existe mesmo uma pressão, uma tensão. Mas daí a ficar especulando quem vai sair a cada GP…

Tá lá no AS, jornal que tem seu valor, mas que dá muitas notícias mequetrefes, notadamente exaltando os clubes de futebol e esportistas espanhóis em geral: Alguersuari deixa Buemi no abismo. Por abismo entenda 8 a 8 pontos no Mundial de Pilotos.

Até agora, na temporada, Alguersuari não ficou nenhuma vez à frente de Buemi no campeonato. Os primeiros pontos — quatro — de Jaime vieram no Canadá, quando Buemi já havia marcado seus oito. Agora, em Valência, corrida totalmente atípica, chata e sem ultrapassagens, o espanhol foi eliminado no Q1 da classificação, mas teve a seu favor uma estratégia de uma parada a menos, que deu certo.

Se formos contar do ano passado pra cá, Buemi, que não é lá esse piloto todo, tem 16 pontos contra 13 de Alguersuari. A menos que as coisas mudem daqui pra frente, não há motivo para que seja Buemi o escolhido para sair. Mas a minha impressão é a de que Jaime tem um lobby muito maior a seu favor.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,
10/10/2009 - 17:46

Patriotada strikes again

Compartilhe: Twitter

Felipe Paranhos

Quando li o texto pré-GP do Brasil da Red Bull, falei ao pessoal: vai dar merda. E deu. Vuvuzelas de todo canto e até jornalistas conhecidos — caso da blogueira Rosana Hermann — estão criticando o release, que brinca com características deste país que são conhecidas no mundo todo: violência, bebidas, travestis, mulheres sensuais. E muitas delas são verdades, criticadas pelos brasileiros todos os dias, só que tratadas de maneira bem-humorada.

O comunicado à imprensa fala em perguntas para as quais se deve dizer não:

– Este Rolex é verdadeiro?
– Gostaria de uma oitava caipirinha?
– Devo parar no sinal vermelho?
– Você gostaria de conhecer uma garota muito bonita que eu conheço?
– Esta é realmente uma garota?
– Você gostaria de mais carne?
– Gostaria que eu estacionasse seu carro?
– Já considerou a possibilidade de viver com apenas um rim?
– Devo parar se um carro bater na minha traseira?
– Minha esposa vai acreditar que a calcinha sensual que eu trago na minha mala é um presente para ela?

Pois bem: quem acompanha o automobilismo sabe que a equipe dos energéticos ironiza a todos e brinca até com as atuações de seus pilotos — outro dia, recebemos um release da Toro Rosso enumerando as “10 vantagens de ser eliminado no Q1”.

Ao insinuar preconceito contra o Brasil no “Guia de Sobrevivência”, a imprensa relaciona maliciosamente o texto aos guias “sérios” encontrados nas bancas de revista do Rio de Janeiro, como aqueles que ensinam os gringos a levarem as brasileiras pra cama.

E incentiva a hipocrisia brasileira, esta que aparece sempre que alguém critica o país dizendo o mesmo que falamos todos os dias — ou fazendo as mesmas piadas.

Portugueses ouvem brincadeiras sobre burrice; franceses sobre não tomar banho; argentinos sobre arrogância; japoneses sobre tamanho de pênis. E o brasileiro declara guerra às piadas sobre a violência — esta, sim, uma realidade…

Acréscimo em 12/10: Bem lembrado pelo leitor Max. A Red Bull tirou o texto original do site. Mediocridade 1 x 0 Senso de humor.

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , ,
31/07/2009 - 10:38

Perguntar não ofende

Compartilhe: Twitter

A pedido da Ferrari, teste de Michael Schumacher com a F60 foi liberado pela Fota. Se a Toro Rosso pedisse liberação para um teste do Jaime Alguersuari, as equipes fariam o mesmo?

Marcus Lellis

Autor: - Categoria(s): F1 Tags: , , , , , , , ,
Voltar ao topo